A cientista Antonia Groneberg, que fez o seu doutoramento no Centro Champalimaud, em Lisboa, ganhou um prémio atribuído pela revista científica Science, no valor de 900 euros, com um vídeo em que demonstra a sua investigação através da dança.

Antonia Groneberg, atualmente a trabalhar como pós-doutorada no hospital universitário Charité, em Berlim, na Alemanha, concorreu em 2019 ao concurso “Dança o teu doutoramento”, promovido pela Science, editada pela American Association for the Advancement of Science (Associação Americana para o Avanço da Ciência), que esta sexta-feira divulgou a lista dos premiados em comunicado.

Groneberg, que aborda na sua tese como os movimentos de grupos de larvas de peixe-zebra afetam o desenvolvimento do cérebro e o comportamento de cada espécime, comparando as diferenças verificadas com larvas que foram isoladas, venceu nas categorias global e ciência social.

O concurso, que se realiza há 12 anos por iniciativa de um ex-colaborador da Science, desafia cientistas de todo o mundo a explicarem a sua investigação através da dança. A ex-investigadora da Champalimaud decidiu concorrer porque a ciência e a dança sempre foram a sua paixão, refere o comunicado da Associação Americana para o Avanço da Ciência. Enquanto fazia o seu doutoramento em neurociências em Lisboa, Antonia Groneberg ensinava dança moderna e dança jazz a estudantes.

Justificando a atribuição do prémio à cientista, um dos membros do júri, a artista norte-americana Alexa Meade, sustentou, citada no comunicado, que a coreografia de Antonia Groneberg é uma “obra-prima artística, esteticamente maravilhosa e intelectualmente profunda“.

Além de artistas, o júri inclui cientistas, que avaliaram 30 candidaturas.