Já existiam vários casos de Covid-19 na Europa, mas em Montenegro ainda não havia registo de qualquer infeção quando o governo decidiu proibir reuniões públicas, fechar escolas, restaurantes, e encerrar várias passagens da fronteira com a Sérvia, de onde é frequente virem vários turistas para aproveitar o litoral. Estávamos a 13 de março e, três dias depois, com o escalar dos casos nos balcãs, os voos seriam suspensos, assim como as linhas internacionais de autocarros e o comboio. Ainda não se sabia, mas nesta altura, porém, o novo coronavírus já estava em território montenegrino: a 17 de março seriam confirmados os primeiros dois casos no país, com Montenegro a ser o último país da Europa atingido pela pandemia. Seria, no entanto, um dos primeiros a assumir que o vírus foi erradicado, como anunciou o governo esta segunda-feira.

“Somos o último país europeu que registou um primeiro caso da Covid-19 e o primeiro que conseguiu erradicar o vírus!“, declarou em comunicado oficial o ministro da Saúde, Kenan Hrapovic. Segundo o Instituto de saúde pública local, este pequeno país com cerca de 650.000 habitantes numa área de 13,450 quilómetros não regista um novo contágio por coronavírus desde 4 de maio — o dia em que, coincidentemente, começou a aliviar as medidas de confinamento. Assim, em Montenegro, o país deu como erradicado o vírus ao fim de 20 dias sem qualquer novo caso e os números ficaram fechados, para já, nos 324 casos positivos.

Montenegro afirma ser o primeiro país a erradicar a Covid-19 e a estar “livre do coronavírus” após 20 dias sem contágios

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.