Os gabinetes portugueses de arquitetura Ventura+Partners, do Porto, e Valdemar Coutinho, de Viana do Castelo, foram distinguidos com menções honrosas, na primeira edição dos prémios internacionais A+Firm, da plataforma Architizer, dedicados à atividade de ateliês.

De acordo com a lista de premiados da Architizer, publicada na plataforma ‘online’, o gabinete liderado por Manuel Ventura recebeu uma menção honrosa na categoria de Melhor Firma de Grande Dimensão, a par dos ateliês norte-americanos Arrowstreet, Fogarty Finger, Hastings, Rottet Studio e SGA.

Valdemar Coutinho recebeu igualmente uma menção honrosa, mas na classe de Melhor Empresa de Pequena Dimensão, com outros 12 ateliês da Áustria, da China, dos Estados Unidos e da Noruega, nomeadamente Desai Chia, Leon & Primmer, Mork Ulnes, Nerma Linsberger, Peter Pichler, Ryuichi Ashizawa, e os gabinetes Alter, NADAAA, OfficeOffCourse, Signal, SUP e Xiny.

O prémio da categoria de Pequena Empresa foi para a Shulin Architectural Design, de Hangzhou, na China, enquanto o de Grande Empresa foi para outro ateliê chinês, Neri & Hu, de Xangai.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na categoria de Melhor Empresa de Média Dimensão, o gabinete brasileiro MK27, de São Paulo, recebeu igualmente um menção honrosa, enquanto o ateliê de Koichi Takada, em Sydney, na Austrália, ficou com o prémio desta classe.

Do trabalho do ateliê de Manuel Ventura, o ‘site’ dos prémios A+Firm destaca projetos como o da Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, o Hospital da Cuf, no Porto, o Edifício Primavera, em Braga, e o Bessa Hotel, na avenida da Liberdade, em Lisboa.

A Ventura+Partners foi fundada em 1994 por Manuel Ventura, desenvolve projetos de arquitetura, design e urbanismo, tem escritórios em Portugal, Estados Unidos e França, “projetos em mais de uma dezena de países”, segundo o seu ‘site’, e emprega cerca de 100 trabalhadores.

No caso do ateliê de Valdemar Coutinho, os prémios A+Firm destacam projetos distinguidos como os da urbanização da Areosa, das casas Vila Franca, das Gárgulas e Conde da Carreira, em Viana de Castelo, assim como o Pavilhão Atlântico, nesta cidade.

O ateliê Valdemar Coutinho foi fundado em Viana do Castelo, em 2001, com uma equipa multidisciplinar nas áreas de arquitetura, urbanismo, design, engenharia civil e património histórico, somando já mais de duas dezenas de prémios internacionais, pelos seus projetos.

A escolha das primeiras empresas distinguidas nos A+Firm, segundo a plataforma Architizer, foi feita a partir do portefólio de 400 ateliês, “de 50 países, dos seis continentes”, incluíndo América do Norte e do Sul.

O prémio de Melhor Extra-Grande Empresa (Best XL Firm) foi para a britânica Foster+Partners que tem, entre os seus projetos, o novo estádio de Wembley e a sede da líder chinesa de comércio eletrónico Alibaba.

Os prémios distinguiram ainda os melhores ateliês nos diferentes continentes: Ateliê Michael Green, do Canadá, na América do Norte, o Estúdio Saxe, da Costa Rica, na América do Sul, o Departamento de Arquitetura da Universidade de Banguecoque, na Tailândia, Ásia, o gabinete francês de Dominique Coulon, na Europa, o grupo Koffi & Diabaté, na Costa do Marfim, em África, e a firma de arquitetura de Austin Maynard, na Austrália.

A Architizer, a maior plataforma digital de arquitetura, a nível mundial, adiantou ainda que será publicado um catálogo com todos os vencedores da primeira edição dos prémios A+Firm, em parceria com a editora Phaidon.

A lista dos principais prémios pode ser consultada aqui.