O antigo médio de abertura da seleção da Nova Zelândia Dan Carter anunciou este sábado, aos 38 anos, a retirada do râguebi profissional, modalidade na qual foi bicampeão mundial (2011 e 2015) e três vezes eleito melhor jogador do planeta.

“Retiro-me hoje oficialmente do râguebi profissional. Um desporto que pratiquei durante 32 anos e que me ajudou a tornar-me na pessoa que sou. Não sei como agradecer a todos os que desempenharam um papel no meu percurso, em particular aos adeptos. O râguebi fará sempre parte da minha vida. Obrigado”, escreveu o antigo número 10 dos ‘All Blacks’ nas redes sociais.

Carter teve duas passagens pelo râguebi europeu, ambas no Top 14, de França. Primeiro no Perpignan, em 2008/09, a segunda entre 2015 e 2018, no Racing 92.

Atualmente jogava nos Blues, de Auckland, na Nova Zelândia, onde procurava recuperar tempo de jogo depois de uma passagem pelos Kobelco Steelers, do Japão, em 2018.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Carter, que completa 39 anos no próximo mês, envergou a camisola preta dos ‘All Blacks’ em 112 ocasiões e faz parte dos ‘Centurions’ do râguebi, restrito grupo, atualmente de 69 jogadores com pelo menos 100 internacionalizações, que inclui os irmãos portugueses Vasco Uva e Gonçalo Uva.

Mais do que ao nível de clubes, foi pelos ‘All Blacks’ que ‘forjou’ o seu lugar na história do râguebi, conquistando o campeonato do Mundo em 2011 e 2015 e sendo eleito melhor jogador do Mundo nos anos de 2005, 2012 e 2015.

Ao serviço da seleção neozelandesa conquistou ainda o torneio das Três Nações em seis ocasiões (2003, 2005, 2006, 2007, 2008 e 2010) e o seu sucessor, o Rugby Championship, por duas vezes (2012 e 2013).