Histórico de atualizações
  • Este liveblog fica por aqui. Continue a acompanhar-nos aqui:

    Covid-19. Sete detidos em segunda noite de protestos violentos nos Países Baixos

  • Milhares protestam em países europeus contra restrições para conter nova vaga da pandemia

    Restrições para travar a nova vaga de covid-19 na Europa levaram milhares em protesto para as ruas na Áustria, Irlanda do Norte, Holanda, Itália, Suíça e Croácia.

    Milhares protestam em países europeus contra restrições para conter nova vaga da pandemia

  • Atual coordenador do Plano de Vacinação assume “reorganização interna”

    As alterações ao processo de vacinação da dose de reforço contra a Covid-19 exigem também uma reorganização interna do núcleo de coordenação, além do aumento dos meios no terreno, admitiu hoje o responsável pelo plano.

    “Estamos a reprogramar, é também uma reorganização interna para responder aos novos desafios. Estamos confiantes de que isso vai acontecer, estamos já a trabalhar para isso e esperamos que, progressivamente, vamos aumentando a nossa capacidade de vacinação”, afirmou o coronel Carlos Penha Gonçalves aos jornalistas numa visita a um centro de vacinação em Mafra, no distrito de Lisboa.

    O responsável por esta etapa do processo lembrou que há “um plano em curso” e que a estrutura está concentrada na sua execução, que prevê a vacinação de 900 mil pessoas até 19 de dezembro.

    “O nosso foco é esse e o ritmo que estamos a atingir agora vai permitir fazer isso. É preciso que as pessoas venham ao processo de vacinação quando forem agendadas. Se não conseguirem, venham à ‘casa aberta’ e serão vacinadas. Neste momento estamos a vacinar as pessoas mais frágeis”, esclareceu, reiterando: “Não vamos chamar as pessoas sem ter capacidade para as vacinar”.

    Questionado sobre o redimensionamento da resposta no terreno, Penha Gonçalves disse que a avaliação sobre os pontos de vacinação existentes está a ser feita pelas administrações regionais de saúde e que o ajuste, que “tem sido feito desde o início do processo”, pode passar por um aumento em número ou na dimensão dos centros.

    Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.310 pessoas e foram contabilizados 1.119.784 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde de hoje.

  • Lacerda Sales: mais de 42 mil pessoas foram vacinadas com terceira dose este sábado

    O secretário de Estado e da Saúde anunciou que até ao início da tarde deste sábado mais de 42 mil pessoas tinha sido vacinadas com a 3ª dose da vacina da Covid-19.

    Os números foram avançados por Lacerda Sales à margem de uma visita a um centro de vacinação em Mafra.

    Numa altura em que os maiores de 65 anos podem fazer o auto-agendamento para receber a dose de reforço, o secretário de Estado deixou ainda claro que existem meios suficientes para dar resposta.

    Quanto à vacinação dos mais novos, questionado pelos jornalistas sobre a hipótese de a Agência Europeia do Medicamento dar luz verde à vacinação de menores de 12 anos, sublinhou ser necessário esperar pela orientação da Direção-Geral da Saúde.

  • Jerónimo rejeita "voltar atrás" com "medidas desgarradas e muitas vezes incompreensíveis de confinamento"

    O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu hoje que o caminho para combater a pandemia é acelerar a vacinação e reforçar o SNS, manifestando “profundas reservas” com a ideia de “voltar atrás” com “medidas desgarradas” de confinamento.

    À margem da manifestação convocada pela CGTP, que hoje junta em Lisboa milhares de pessoas, Jerónimo de Sousa foi questionado pelos jornalistas sobre aquilo que irá defender junto do primeiro-ministro, António Costa, que recebe para a semana os partidos com representação parlamentar sobre a situação epidemiológica em Portugal.

    “A melhor experiência que tivemos foi a aplicação das vacinas. É este o caminho, continuar a aprofundar essa garantia que resultou bem e, naturalmente, resistimos, temos profundas reservas em relação a confinamentos, voltar para trás”, respondeu.

    Para o líder comunista, “o caminho é vacinação mais rápida não só para os mais velhos, também para os mais jovens” e “tomar medidas de reforço do SNS que deem resposta aos problemas” nos serviços públicos de saúde.

    “E cada um de nós, com sentido de responsabilidade, tomarmos medidas de proteção que entendermos necessárias”, acrescentou.

    O objetivo, para Jerónimo de Sousa, deve passar por estas apostas e não por “medidas desgarradas, muitas vezes incompreensíveis de confinamento”.

  • Açores com 35 novos casos de infeção

    Os Açores registaram, nas últimas 24 horas, 35 novos casos positivos de covid-19, sendo 22 na ilha de São Miguel, sete na Terceira, quatro na Graciosa e dois em São Jorge, anunciou hoje a Autoridade de Saúde.

    No boletim diário, a Autoridade de Saúde Regional especifica que em São Miguel foram diagnosticados 14 casos no concelho de Ponta Delgada, cinco na Ribeira Grande, dois na Lagoa e um no concelho da Povoação.

    “A Graciosa registou quatro casos correspondentes ao concelho de Santa Cruz, a Terceira registou seis casos no concelho de Angra do Heroísmo e um no concelho da Praia da Vitória. e São Jorge registou dois casos no concelho de Velas”, adianta o boletim.

    Os casos conhecidos nas últimas 24 horas são resultantes de 968 testes realizados, não havendo neste período registo de recuperações da doença.

    “À data de hoje, há oito doentes internados, todos no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, sendo que nenhum se encontra em Unidade de Cuidados Intensivos”, salienta o documento.

    O arquipélago tem presentemente 334 casos ativos do novo coronavírus, sendo 265 em São Miguel, 23 na Graciosa, 17 em São Jorge, 14 na Terceira, nove no Faial e seis no Pico.

    De acordo com os dados hoje divulgados, 195.687 pessoas têm a vacinação completa, sendo que “8.174 utentes receberam o reforço da vacina (3.ª dose)”.

  • Madeira abre centros de vacinação no domingo devido ao aumento da procura

    Os centros de vacinação contra a Covid-19 na Madeira vão estar abertos no domingo devido à crescente procura registada desde sexta-feira, após o anúncio de novas medidas de contenção da pandemia, indicou este sábado a Secretaria Regional da Saúde.

    Os centros de vacinação do Funchal, Câmara de Lobos (zona oeste) e Santa Cruz (zona leste), estarão abertos à comunidade no modo “casa aberta”, funcionando das 09h00 às 18h00 (Funchal), das 09h00 às 17h00 (Câmara de Lobos) e das 09h00 às 14h00 (Santa Cruz).

    A Secretaria da Saúde refere, em comunicado, que na sexta-feira foram administradas na região autónoma 1.446 vacinas contra o SARS-CoV-2, das quais 672 correspondem a primeiras doses.

    “Este comportamento por parte da população é muito importante para o combate à disseminação do coronavírus na região, em prol da saúde de todos”, sublinha a autoridade regional de saúde.

    As novas medidas de contenção da Covid-19 na Madeira, que entraram em vigor às 00:00 de hoje, e determinam que os recintos públicos e privados do arquipélago passam a ser acessíveis apenas com certificado de vacinação contra a Covid-19 ou teste antigénio negativo.

  • Boletim DGS. Maioria das vítimas mortais tinha mais de 80 anos

    Seis das dez vítimas mortais confirmadas este sábado tinham 80 ou mais anos, informou a DGS. Três eram homens e três eram mulheres.

    Morreram vítimas da Covid-19 ainda dois homens e uma mulher com 70 a 79 anos e uma mulher na faixa etária dos 60 aos 69 anos.

  • Boletim DGS. Lisboa e Vale do Tejo com 37% dos novos casos

    Lisboa e Vale do Tejo registou 37% dos novos casos em Portugal, com 855 infeções confirmadas. A seguir ficou a região Norte, com 633 (27%).

    Foram ainda comunicados 430 novos casos no Centro (18,4%); 167 no Algarve (7,2%); e 127 no Alentejo (5,4%).

    Os óbitos ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo (4), Norte (2), Centro (2) e Algarve (1).

    Açores e Madeira têm mais 27 e 94 infeções, respetivamente. Uma pessoa morreram na região da Madeira.

  • Boletim DGS. Internamentos sobem. Há mais 16 doentes nos hospitais

    Os internamentos registaram este sábado uma subida, tanto em enfermaria como nas unidades de cuidados intensivos (UCI).

    Em relação aos primeiros, há mais 16 doentes internados, num total de 544.

    Desde 13 de setembro, quando foram comunicados 586 internamentos, que não havia tantos infetados nas enfermarias dos hospitais portugueses.

    Em UCI, há agora 88 doentes, mais nove do que ontem. Trata-se do número mais alto desde 18 de setembro.

    Nas últimas 24 horas foram dadas como recuperadas 1.581 pessoas com Covid-19, num total de 1.058.461 desde o início da pandemia.

  • Boletim DGS. Portugal com 2.333 novos casos e 10 mortes

    Nas últimas 24 horas, foram confirmados em Portugal 2.333 novos casos de Covid-19 e dez mortes devido à doença, informou a DGS.

    Trata-se de uma descida nos casos em relação a ontem (menos 38), mas de uma subida nos óbitos (cinco).

    Os casos ativos são agora 43.013 (mais 742 do que na sexta-feira) e os contactos em vigilância 42.42.775 (mais 2.062 do que no dia anterior)

    Desde o início da pandemia foram comunicados em Portugal 1.119.784 casos de Covid-19 e 18.310 mortes.

  • OMS alerta que podem morrer 500 mil pessoas até março

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) manifestou este sábado grande preocupação com o aumento de casos de Covid-19 na Europa e advertiu que cerca de 500 mil pessoas podem morrer até março de 2022 se não forem tomadas medidas urgentes.

    As declarações foram feitas à BBC pelo diretor regional da OMS, Hans Kluge, para quem o uso de máscaras faciais pode ajudar imediatamente, depois de países como a Alemanha e a Áustria terem registado um aumento acentuado de infeções.

    Segundo Kluge, o inverno, a falta de vacinação e a presença da variante delta, a mais contagiosa, são os fatores por detrás do pico dos novos casos de coronavírus na Europa.

    Por isso, o responsável apelou a medidas de saúde pública e à vacinação de mais pessoas.

    “A Covid-19 é novamente a causa número um da mortalidade na nossa região”, disse Kluge à BBC, acrescentando: “sabemos o que precisamos de fazer” para combater o vírus.

    A obrigatoriedade da vacinação deveria ser um “último recurso”, uma vez que medidas como a utilização do certificado digital covid poderiam ser tomadas em primeiro lugar.

    O diretor europeu da OMS salientou que estas decisões não são uma restrição da liberdade, mas “um instrumento para manter a nossa liberdade individual”.

    A Áustria tornou-se o primeiro país europeu a anunciar a vacinação obrigatória até fevereiro de 2022, enquanto países como a República Checa e a Eslováquia anunciaram novas restrições para as pessoas que não estão imunizadas.

  • República Checa com novo máximo de infetados esta semana

    O número de infetados pelo novo coronavírus na República Checa atingiu um novo máximo pela segunda vez esta semana, revelou hoje o Ministério da Saúde.

    O ministério referiu ainda que a contagem diária subiu para 22.936 infetados na sexta-feira, quase 500 casos acima do recorde anterior que tinha sido batido na terça-feira.

    A taxa de infeção no país disparou para 929 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos sete dias.

    Segundo as autoridades checas, este é um sinal preocupante, pois na quinta-feira morreram 110 pessoas, com o número diário de mortes a ultrapassar a centena pela primeira vez desde abril deste ano.

  • Novas medidas de contenção ainda sem controlo não afetam rotina na Madeira

    A entrada em vigor hoje das novas medidas de contenção da Covid-19 na Madeira não provocou alterações na rotina dos cidadãos e o controlo dos comprovativos de vacinação e teste antigénio nos estabelecimentos ainda não está a ser efetuado.

    O acesso aos centros comerciais, mercearias, farmácias, bares e outros estabelecimentos decorre normalmente, conforme a agência Lusa constatou em vários pontos do Funchal, situação que resulta do facto de o Governo Regional ter estipulado um período de adaptação às novas medidas de uma semana.

    A resolução do executivo (PSD/CDS-PP) entrou em vigor às 00h00 de hoje e determina que os recintos públicos e privados da Região Autónoma da Madeira passam a ser acessíveis apenas com certificado de vacinação contra a Covid-19 ou teste antigénio negativo.

    A obrigatoriedade de apresentação de um dos dois documentos envolve a possibilidade de os cidadãos realizarem testes rápidos gratuitos de sete em sete dias (período durante o qual os resultados são considerados válidos).

    Contudo, a partir das 00h00 do dia 27 (sábado da próxima semana) a apresentação de apenas um dos comprovativos (vacinação ou teste rápido) mantém-se apenas para aceder a supermercados e mercearias, transportes públicos, farmácias e clínicas, igrejas e outros locais de culto, e para realizar atos urgentes relativos à Justiça e recorrer a outros serviços essenciais.

    Nessa data, passa a ser obrigatório apresentar tanto o certificado de vacinação como o comprovativo de teste para entrar em espaços desportivos, restaurantes, cabeleireiros, ginásios, bares e discotecas, eventos culturais, cinemas, atividades noturnas, jogos, casinos e outras atividades sociais similares.

  • Hong Kong autoriza vacina chinesa para menores dos 3 aos 17 anos

    As autoridades de Hong Kong autorizaram a administração da vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac para menores a partir dos três anos.

    Segundo um comunicado emitido este sábado pela secretaria de Alimentação e Saúde, citado pela Reuters, a vacinação de jovens entre os 12 e 17 anos será prioritária, com a imunização das restantes faixas etárias a acontecer numa segunda fase.

    Na opinião do organismo, o alargamento da vacinação a menores a partir dos três anos deve-se ao facto de os benefícios “superarem os ricos”.

  • Alemanha regista recorde de incidência semanal

    A Alemanha registou este sábado uma incidência semanal de 362,2 infeções pelo novo coronavírus por 100 mil habitantes, o que representa o nível mais alto desde o início da pandemia, segundo os últimos dados do Instituto Robert Koch (RKI).

    Na semana passada, a incidência semanal foi de 277,4 e no mês passado foi de 80,4. O número de infeções também tende a aumentar e nas últimas 24 horas foram registados 63.924 novos contágios pelo SARS-CoV-2, 18.843 a mais em relação há uma semana.

    Um total de 248 pessoas morreram de causas relacionadas com a doença Covid-19 nas últimas 24 horas, mais 20 do que há uma semana.

    Desde o início da pandemia, houve 5.291.549 infeções pelo coronavírus SARS-CoV-2 confirmadas na Alemanha e 99.301 pessoas morreram de covid-19.

    A quarta onda da pandemia continua a atingir níveis recordes na Alemanha, onde, perante a estagnação da campanha de vacinação, se teme uma quinta onda.

  • Iraque recebe 1,2 milhões de doses de vacina da Pfizer através da Covax

    O Iraque anunciou hoje ter recebido 1,2 milhões de doses da vacina da Pfizer contra o coronavírus SARS-CoV-2, como parte do programa de ajuda internacional Covax, num momento em que o país receia uma quarta vaga da epidemia.

    No Iraque, a maioria da população continua cética em relação às vacinas, pelo que apenas cerca de sete milhões de pessoas, o que corresponde a 17% da população estimada de 40 milhões de iraquianos, foram inoculadas com uma ou duas doses, segundo os números mais recentes do Ministério da Saúde do país.

    O sistema de saúde, fragilizado por anos de corrupção, conflitos e negligência, luta para fazer face à crescente epidemia.

    Numa declaração emitida hoje, o Ministério da Saúde anunciou “a chegada de um novo carregamento de vacinas anticoagulantes da Pfizer, através do Programa Covax e da Unicef” (Fundo das Nações Unidas para a Infância), que inclui mais de 1,2 milhões de doses.

    A iniciativa Covax é uma parceria público-privada entre a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Vaccine Alliance (Gavi) e a Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (Cepi) para ajudar os países mais pobres a ter acesso à vacina.

    Na quinta-feira, durante uma entrevista à televisão estatal, o porta-voz do Ministério da Saúde, Saif al-Badr, alertou que “o Iraque ainda enfrenta o perigo da pandemia do coronavírus”.

    “Estamos à espera de entrar numa quarta vaga, e que pode ser com uma nova variante”, acrescentou.

    Mais de dois milhões de pessoas foram infetadas e 23.628 morreram no Iraque desde o início da pandemia, de acordo com números oficiais.

    Contudo, o elevado nível de desconfiança em relação às instituições e a circulação de informações falsas têm incapacitado o Governo de mitigar o ceticismo geral em relação à vacina e às medidas de prevenção, apesar de ter havido um aumento do número de pessoas a recorrer aos centros de vacinação.

    Dois incêndios em unidades dedicadas à Covid-19 de um hospital em Bagdade, em abril (que fez mais de 80 mortos) e em Nassiriya, em julho (com 60 mortos), ilustraram a desordem do sistema hospitalar e alimentaram a raiva da população.

    No dia a dia, medidas de prevenção como o uso de máscara e o distanciamento físico são muito pouco respeitados pelos iraquianos.

  • Rússia iguala número máximo de mortes diárias com 1.254 óbitos

    Na sexta-feira, o país registou também 1.254 novas mortes ligadas à Covid-19, o número máximo de óbitos pelo terceiro dia consecutivo. Voltou a registar o mesmo número este sábado.

    Covid-19. Rússia iguala número máximo de mortes diárias com 1.254 óbitos

  • Conselho de Saúde pensou "problemas da pandemia" mas teve dificuldade em ser ouvido pelo poder político

    Durante a primeira fase da pandemia, o órgão de consulta do Governo teve “uma certa dificuldade em ser ouvido” pelo poder político, o que se “compreende porque eram momentos de decisões rápidas”.

    Covid-19. Conselho de Saúde pensou “problemas da pandemia” mas teve dificuldade em ser ouvido pelo poder político

  • Profissionais de saúde começam a receber terceira dose este fim de semana. Primeiro médico já foi vacinado

    Os profissionais de saúde começam este fim de semana a receber a terceira dose da vacina contra a Covid-19.

    A vacinação arranca no Hospital de S. João, no Porto, onde o primeiro médico já foi imunizado. Segundo a RTP, António Sarmento, que tinha sido a primeira pessoa a ser vacinada em Portugal, foi o primeiro a receber a dose de reforço.

    Entre sábado e domingo, serão vacinados 4.100 profissionais neste hospital.

1 de 2