Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Vamos encerrar por aqui este artigo liveblog, que seguiu a atualidade relacionada com a pandemia de Covid-19 ao longo desta quarta-feira.

    Vacina da CureVac revela ter baixa eficácia, apenas 47% (e a culpa pode ser das variantes)

    Continue a seguir-nos nesta nova ligação. Muito obrigado!

  • Lisboa em avaliação

    Na região de Lisboa os casos dispararam nas duas últimas semanas e o calendário do Executivo fixa que apenas quando os concelhos ultrapassam por duas vezes seguidas as linhas vermelhas fixadas é que há uma ação concreta de recuo: “A matriz foi construída com base em dois indicadores fundamentais e é em função dessas variações que vamos aplicando as medidas que estão previstas. Todos os concelhos serão iguais para este conceito e Lisboa não será diferente e terá o mesmo tratamento dos outros concelhos”.

    “O mecanismo da matriz é de salvaguarda, não são princípios de desconfinamento”, explica ao Observador fonte do Governo, para explicar que a regra não seja alterada a meio caminho — Lisboa só esta semana está acima dos 240 casos por cem mil habitantes. “As pessoas têm de ter previsibilidade”, comenta a mesma fonte adiantando que, neste momento, “não há informação para fazer outra coisa que não o que está definido”.

    O Governo pode não agir de mote próprio, mas qualquer autarquia pode pedir essa antecipação de medidas mais restritivas para o concelho — foi o que fez Sesimbra, que se preparava para avançar no desconfinamento com números preocupantes no concelho. Segundo apurou o Observador, no caso de Lisboa, essa possibilidade está a ser avaliada embora ainda sem uma decisão fechada no gabinete de Fernando Medina.

  • Associação da GNR lembra que continua por pagar subsídio de risco Covid-19

    A Associação dos Profissionais da Guarda relembrou que continua por pagar o subsídio extraordinário pelo serviço prestado durante a pandemia e por atribuir o subsídio de risco.

    Associação da GNR lembra que continua por pagar subsídio de risco Covid-19

  • PSD requer audição urgente de especialistas

    O Grupo Parlamentar do PSD requereu hoje uma audição no Parlamento, com caráter de urgência, de “vários especialistas sobre a evolução da pandemia” de Covid-19 após as “informações mais recentes” da nova variante “com ritmo de transmissibilidade mais acelerado”.

    No requerimento, divulgado à comunicação social, os sociais-democratas justificam o pedido com as “informações mais recentes sobre a existência de uma nova variante do Sars-Cov2 com ritmo de transmissibilidade mais acelerado, já identificada em Portugal e dominante na região de Lisboa”.

    Os parlamentares do PSD, que dirigiram o pedido ao presidente da Comissão Eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia, lembram que esta comissão deve “tentar seguir o mais possível a evolução dos acontecimentos”.

    “Os deputados apelam a que estas audições sejam agendadas com caráter de urgência”, pode ler-se.

  • Madeira regista oito novos casos

    A Madeira registou hoje oito novos casos de Covid-19, nove recuperações e 31 situações suspeitas, indicou a Direção Regional de Saúde, referindo que o total de infeções ativas é de 61, com dois doentes hospitalizados.

    Entre os novos positivos, três foram importados e cinco são de transmissão local, elevando para 9.550 o número de casos confirmados de infeção por SARS-CoV-2 na região desde o início da pandemia. O arquipélago assinala, também, 72 óbitos associados à doença.

  • Médico apela para que cidadãos se protejam

    O internista António Pais Lacerda apelou hoje para que as pessoas mantenham “ao máximo” a proteção contra a Covid-19 e pensem que não estão a proteger-se de uma doença viral aguda a curto prazo, mas de repercussões no futuro.

    “Muitas doenças que conhecemos têm repercussões a longo prazo e nós não fazemos ideia nenhuma do que são as repercussões a médio e a longo prazo” da Covid-19, afirmou à Lusa o diretor do serviço de Medicina Interna II do Hospital Santa Maria, em Lisboa, onde o número de doentes internados tem vindo a aumentar, totalizando 34 na terça-feira, nove dos quais em cuidados intensivos.

  • Cabo Verde com mais 79 infetados e três mortes

    Cabo Verde registou 79 infetados com Covid-19 nas últimas 24 horas, e três mortes, elevando para 31.783 o acumulado de casos da doença desde março de 2020, segundo dados divulgados hoje pelo Ministério da Saúde.

    Nas últimas 24 horas foram dados como recuperados da doença em Cabo Verde 121 infetados e subiu para 279 o acumulado de óbitos por complicações associadas à Covid-19.

  • Tratamento reduz risco de morte em doentes com Covid-19 que não conseguem produzir anticorpos

    Os doentes com Covid-19 grave podem beneficiar de um tratamento com anticorpos quando o sistema imunitário não é capaz de os produzir. O tratamento reduz o risco de morte e de agravamento da doença.

    Tratamento reduz risco de morte em doentes com Covid-19 que não conseguem produzir anticorpos

  • Angola regista cinco novas mortes, 173 casos e 228 recuperações

    Angola registou 173 novos casos de Covid-19 em 24 horas, assim como cinco mortes e 228 recuperações, anunciou hoje o secretário de Estado para a Saúde Pública.

    O país passa agora a somar 37.094 casos desde o início da pandemia, incluindo 847 óbitos e 31.003 recuperados da doença, estando ativos 5.244 casos. Entre os casos ativos, 17 estão em estado crítico e 28 em estado grave.

  • A variante Delta e os seus riscos. 9 razões para estarmos atentos

    Os dados do Reino Unido e da Índia mostram que a variante Delta pode transmitir-se mais rapidamente, levar a mais internamentos — incluindo entre as crianças — e ser mais resistente às vacinas.

    A variante Delta e os seus riscos. 9 razões para estarmos atentos

  • Marcha do Orgulho LGBTI+ volta à rua em Lisboa

    A marcha do orgulho LGBTI+ volta à rua em Lisboa, no sábado, após um ano de interregno devido à pandemia, para “desconfinar direitos, afastar preconceitos” e com recomendações de uso de máscara e cumprimento de distâncias.

    “Desconfinar direitos, afastar preconceitos” é o lema da 22.ª Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa, que “traz à luz os efeitos agravados e sentidos pela sua comunidade após um ano de pandemia”, segundo um comunicado da organização da marcha, hoje divulgado.

  • Guiné-Bissau regista mais um caso de infeção

    Guiné-Bissau registou mais um caso de infeção pelo novo coronavírus, informou hoje o Alto Comissariado para a Covid-19. De acordo com os dados oficiais, ontem foi registado mais um caso para um total acumulado de 3.810 e realizados 51 testes.

    Os dados referem que mais uma pessoa foi dada como recuperada da doença para um total acumulado de 3.551 e que há 184 casos ativos no país.

    Segundo o boletim diário, quatro pessoas estão internadas devido à doença. Desde o início da pandemia, a Guiné-Bissau já registou 69 vítimas mortais.

  • Fenprof diz que faltam medidas concretas no plano

    A Fenprof considera o plano de recuperação das aprendizagens “insuficiente e dececionante”, por faltarem medidas concretas como a redução de alunos por turma ou o reforço de professores nas salas de aula.

    A posição da Federação Nacional dos Professores foi transmitida hoje aos secretários de Estado do Ministério da Educação durante a reunião online agendada para discutir o “Plano de Recuperação das Aprendizagens – Escola+ 21/23” perdidas pelos alunos do ensino obrigatório durante a pandemia.

    Para a Fenprof, o documento do Governo falha por estarem “ausentes medidas de fundo”, como a redução do número de alunos por turma, “medidas que visem aliviar os docentes do sobretrabalho a que estão sujeitos, boa parte burocrático”, mais coadjuvações, o reforço dos docentes de Intervenção Precoce e a aprovação de medidas específicas para o 1.º ciclo, como ter turmas de um só ano de escolaridade.

  • APECATE diz que “há falta de bom senso” nas regras de testagem

    O presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos (APECATE) diz que há “falta de bom senso” nas regras publicadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) para a testagem em eventos e alertou para “danos colaterais”.

    Em declarações à Lusa, a propósito do congresso da associação, marcado para os dias 21 e 22 de junho, António Marques Vidal esclarece que a entidade não está contra “uma medida que visa aumentar a segurança”, mas alertou que “é muito diferente fazer testes para um casamento e para um concerto” e para um evento corporativo.

    “Os contextos são diferentes, as maneiras de interagir são diferentes, a probabilidade de risco é diferente e depois chegamos aos custos. Quem é que vai pagar”, questiona.

  • Manifestação este mês em Lisboa contra medidas para setor dos eventos

    A Associação Portuguesa de Serviços Técnicos para Eventos vai manifestar-se devido às “medidas inexplicáveis” do Governo para o setor, nomeadamente a obrigatoriedade de realização de testes à Covid-19 nos eventos culturais.

    Num comunicado hoje divulgado, a APSTE anuncia que irá realizar “uma nova manifestação, original e sem comprometer as regras atualmente em vigor, no próximo dia 30 de junho, em Lisboa”, devido às “mais recentes medidas assumidas por Governo e Direção Geral da Saúde, em relação aos eventos”.

    A Inspeção-Geral das Atividades Culturais esclareceu hoje que é “obrigatória” a realização de testes nos eventos culturais, quando o número de espectadores for superior a mil, em espetáculos ao ar livre, e a 500, em espaços fechados.

  • Praias costeiras e fluviais do Alentejo têm capacidade para 43.690 pessoas

    As praias costeiras e fluviais do Alentejo podem receber, em simultâneo, um total de 43.690 pessoas, esta época balnear, segundo o despacho da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), publicado em Diário da República.

    O documento sobre a capacidade potencial de ocupação das praias para a época balnear deste ano, consultado pela Lusa, indica que, nesta região, as 39 praias, 30 costeiras e nove fluviais (29 grandes e 10 pequenas), vão ter uma capacidade total de 43.690 pessoas.

  • Passageiros oriundos do Nepal passam a cumprir quarentena na chegada a Portugal

    Os passageiros provenientes do Nepal passam a ter que fazer quarentena obrigatória de 14 dias na chegada a Portugal, tal como acontece com passageiros oriundos do Brasil, África do Sul e Índia.

    Passageiros oriundos do Nepal passam a cumprir quarentena na chegada a Portugal

  • Hospitalizações no Reino Unido aumentaram 41% numa semana

    O Reino Unido registou nove mortes e 9.055 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo os últimos dados do Governo britânico, que também mostram um aumento de significativo nas hospitalizações.

    O quadro de estatísticas atualizadas do Ministério da Saúde mostra que o número de pessoas internadas aumentou 41,4% na semana entre 6 e 12 de junho, uma média de 179 por dia.

    Na terça-feira tinham sido notificadas 10 mortes e 7.673 casos. Desde o início da pandemia, foram notificados 127.926 óbitos de Covid-19 num total de 4.589.814 infeções confirmadas no Reino Unido.

  • Espanha registou o nível de incidência acumulada mais baixo desde 12 de agosto

    O nível de incidência acumulada baixou hoje em Espanha para menos de 100 casos diagnosticados por cada 100.000 habitantes, o número mais baixo desde 12 de agosto de 2020, revelou o Ministério da Saúde espanhol.

    Os contágios continuam assim a sua trajetória descendente, passando a incidência acumulada de 101 (terça-feira) para 99 casos diagnosticados por cada 100.000 habitantes.

    Os serviços sanitários também notificaram 3.823 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 3.749.031 o total de infetados até agora.

    Foram ainda registadas mais 36 mortes atribuídas à pandemia desde segunda-feira, passando o total de óbitos para 80.615. O número de hospitalizações desceu de 3.251, para hoje se situar nas 3.089 entradas.

  • Parlamento da Madeira mantém quórum mínimo de 24 deputados

    O parlamento da Madeira vai manter o quórum de funcionamento dos plenários nos 24 deputados, indicou hoje o presidente da Assembleia Legislativa Regional, referindo que a decisão decorre da “manutenção da pandemia” de Covid-19.

    José Manuel Rodrigues (CDS-PP) sublinha, em comunicado, que a situação tem vindo a “melhorar substancialmente” no arquipélago, mas que o quórum vai manter-se nos 24 deputados, do total de 47, até que “chegue um parecer que será solicitado à autoridade regional de saúde sobre matéria”.

1 de 4