Histórico de atualizações
  • Bom dia. Terminamos por aqui este liveblog diário. Pode continuar a acompanhar as notícias mais relevantes sobre a pandemia de Covid-19 aqui.

    Inglaterra autoriza a vacinação contra a Covid-19 de todos os jovens de 16 e 17 anos

  • Itália regista 5.664 novos casos e 19 mortes

    Itália registou 5.664 novos casos de Covid-19 e 19 mortes nas últimas 24 horas, números inferiores aos do dia anterior devido à redução dos exames realizados, informou o Ministério da Saúde do país.

    No total, 4.440.669 pessoas foram infetadas em Itália desde o primeiro caso de Covid-19 declarado no país, em fevereiro de 2020, e 128.432 pessoas morreram.

    Os números são inferiores aos 7.188 casos novos e 34 óbitos registados no sábado, sobretudo porque 160.870 exames foram realizados este domingo no país, menos 93.136 do que no sábado.

    A taxa de positividade foi este domingo de 3,52%, enquanto no sábado foi de 2,8%.

    Por outro lado, a pressão nos hospitais continua a aumentar, já que dos 128.528 positivos atualmente no país, a grande maioria está em casa quase sem sintomas, enquanto 3.546 foram internados, mais 73 que na quarta-feira, e há 384 pacientes em unidades de cuidados intensivos, mais 12 que no dia anterior.

    Em relação à campanha de vacinação, 35.531.715 pessoas têm a vacinação completa, o que representa 65,79% do total da população com mais de 12 anos.

  • Moçambique com mais nove óbitos e 405 novos casos

    Moçambique registou mais nove mortes por Covid-19 e 405 novos casos, nas últimas 24 horas, anunciou este domingo o Ministério da Saúde, num comunicado com a última atualização sobre a pandemia.

    A nota avança que os óbitos registados de sábado a domingo sobem o número de mortes por Covid-19 para 1.716 e o de casos aumenta para 138.749. Neste momento, o país tem 18.579 casos ativos.

    O Ministério da Saúde de Moçambique avança que 1.051 recuperaram totalmente de Covid-19, elevando para 118.450 (85,4%) o número de indivíduos nessa condição no país.

    De sábado para domingo, o país registou 25 novos internamentos e 27 altas hospitalares.

    Até ao momento, o país tem um cumulativo de 6.488 pacientes hospitalizadas em centros de internamento de Covid-19 e em unidades hospitalares. Desse número, 69,6% destes pacientes encontra-se na cidade de Maputo.

  • Angola atinge 1.100 mortes por Covid-19

    Angola totalizou 1.100 óbitos associados à Covid-19, após terem sido confirmadas mais 14 mortes nas últimas 24 horas, período em que foram registados 84 novos casos e 90 recuperações.

    Segundo o boletim epidemiológico da direção nacional de Saúde Pública angolana, os óbitos foram reportados nas províncias do Namibe (5), Lunda Norte (3), Lunda Sul (3) e as províncias do Bié, Huíla e Luanda com um óbito cada.

    A província da Lunda Norte, leste de Angola, registou o maior número de novos casos nesse período, 30 na totalidade, seguida pelas províncias da Huíla (23), Luanda (20), Namibe (5), Lunda Sul (2), Malanje (2) e o mesmo número no Moxico.

    Angola, que há mais de um ano vive situação de calamidade pública, para conter a propagação do vírus, totaliza 44.617 casos positivos de Covid-19, 1.100 óbitos, 41.482 recuperados e 2.035 casos ativos.

    Os laboratórios processaram, em 24 horas, 1.178 amostras por RT-PCR. O cumulativo aponta para 856.091 amostras processadas com uma taxa de positividade de 5,2%.

  • Covid-19. Mais de 153 mil jovens de 16 e 17 anos vacinados

    A partir de segunda-feira, 16 de agosto, “a modalidade casa aberta está disponível para os utentes elegíveis com idade igual ou superior a 16 anos”.

    Covid-19. Mais de 153 mil jovens de 16 e 17 anos vacinados

  • Rússia ultrapassa as 800 mortes diárias pelo quarto dia consecutivo

    A Rússia registou hoje 816 mortes por Covid-19, ultrapassando pelo quarto dia consecutivo as 800 vítimas diárias, segundo o último balanço das autoridades locais.

    A contagem diária na Rússia ultrapassou na passada quinta-feira a barreira dos 800 mortos pela primeira vez na pandemia, tendo permanecido nesse nível desde então.

    O país enfrentou uma onda de infeções no mês passado, que as autoridades atribuíram à disseminação da variante delta. Os novos casos confirmados aumentaram de cerca de 9.000 por dia no início de junho para 25.000 por dia em meados de julho.

    As novas infeções diminuíram ligeiramente esta semana, para cerca de 21.000 por dia, mas o número de mortes diárias permaneceu elevado.

    As autoridades russas estão a tentar acelerar o ritmo de vacinação no país, que tem sido inferior ao registado em muitos países ocidentais.

    A 06 de agosto, mais de 39 milhões de russos – ou 26,7% da população de 146 milhões — tinham recebido pelo menos uma dose, enquanto mais de 30 milhões, ou 20%, estavam totalmente vacinados.

  • Boletim DGS. Portugal tem mais 1.174 casos ativos, o maior aumento desde 25 de julho

    O país tem agora 45.367 casos ativos de infeção com o vírus que provoca a Covid-19, mais 1.174 do que no dia anterior. Esta trata-se da maior subida, em termos absolutos e relativos, desde 25 de julho.

    Nessa altura, o número de casos ativos subiu em 1.415, mas o total era, também ele, superior: 54.197.

    Portugal tem ainda mais 1.030 recuperados, num total de 940.406 curados da infeção desde o início da pandemia.

  • Boletim DGS. Mais de metade das mortes foram acima dos 80 anos

    Oito das 13 mortes registadas nas últimas 24 horas foram de pessoas com 80 ou mais anos (cinco mulheres e três homens).

    Na faixa etária anterior, dos 70 aos 79 anos, há a registar a morte de 4 homens e, na dos 60 aos 69 anos, de uma mulher.

  • Boletim DGS. Com 36,6% dos novos casos, Lisboa e Vale do Tejo volta a ultrapassar Norte

    Lisboa e Vale do Tejo voltou a ultrapassar a região Norte nos novos casos. Nas últimas 24 horas, detetou mais 813 infeções (36,6% do total). O Norte, por sua vez, tem mais 678 (30,5%).

    Segue-se o Algarve, com mais 272, o Centro, que soma mais 199 infetados, e o Alentejo, que tem mais 149. Já a região autónoma da Madeira tem 55 e a região autónoma dos Açores mais 51.

    Em termos de óbitos, Lisboa e Vale do Tejo registou as mesmas quatro mortes do que o Norte. No Centro morreram três pessoas, enquanto o Alentejo e o Algarve registam, cada uma das regiões, um óbito.

  • Boletim DGS. Internamentos voltam a aumentar (mas nos cuidados intensivos diminuem)

    O número de internamentos em enfermaria voltou a aumentar, uma tendência que é comum nos boletins divulgados ao domingo (relativos a sábado), já que aos fins de semana tendem a ser dadas menos altas. Assim, nas últimas 24 horas, há mais 17 internados, para um total de 744. Os internamentos estavam a descer há cinco dias consecutivos.

    Em unidades de cuidados intensivos, a tendência foi inversa e houve uma redução: estão agora 157 pessoas, menos quatro do que no dia anterior. Este indicador está a descer há seis dias consecutivos.

  • Boletim DGS. Mais 2.217 casos e 13 mortos com Covid-19 nas últimas 24 horas

    Portugal registou, nas últimas 24 horas, mais 2.217 novos casos (ontem tinham sido 2.571) e 13 mortes (ontem tinham sido 12) com Covid-19, segundo o mais recente boletim divulgado este domingo pela Direção-Geral da Saúde.

    Face ao boletim divulgado no domingo passado, há um agravamento: nessa altura, houve o registo de mais 1.982 infetados e 10 mortes, números mais baixos do que os revelados este domingo pela DGS.

  • Madeira mantém testes à chegada em setembro

    O presidente do Governo da Madeira, Miguel Albuquerque, afirmou este domingo que a obrigatoriedade de teste PCR para Covid-19 à chegada à região vai manter-se em setembro, mas disse esperar uma “retoma da normalidade” já no próximo ano.

    “Vamos ter de continuar [com a exigência de apresentação ou realização de teste à chegada]. É uma segurança”, declarou governante, na freguesia do Monte, onde assistiu à missa da Assunção de Nossa Senhora.

    A obrigatoriedade de apresentar ou realizar testes PCR nos portos e aeroportos da região autónoma está em vigor desde 01 de julho de 2021.

    “Estamos a constatar uma retoma da nossa economia, o setor do turismo está a correr bem, com bons índices de ocupação”, afirmou, reforçando: “A nossa ideia é reabrirmos as atividades ditas normais a partir de outubro, com a Festa da Flor, conseguindo um índice de vacinação superior aos 80%.”

    O líder do executivo regional, de coligação PSD/CDS, apelou à população para manter o comportamento preventivo face à Covid-19, considerando que o número de casos registados no arquipélago aumentou nas últimas semanas, atingindo uma média de 40 por dia.

    Miguel Albuquerque salientou que os novos casos são, sobretudo, jovens, pelo que a região vai continuar a vacinar a população — cerca de 251 mil habitantes — a partir dos 12 anos.

  • Casos de infeção no mundo superam os 206 milhões

    A pandemia do novo coronavírus ultrapassou os 206 milhões de casos de infeção a nível mundial, com o registo de mais de 555 mil novos contágios nas últimas 24 horas, revela este domingo o balanço da France-Presse (AFP).

    No total, e desde que o novo coronavírus (SARS-CoV-2) foi identificado na China em dezembro de 2019, mais de 206.744.860 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em todo o mundo.

    A grande maioria dos pacientes recupera da doença Covid-19, provocada pelo SARS-CoV-2, mas uma parte destas pessoas ainda relatam sentir alguns sintomas associados durante semanas ou mesmo até meses, segundo a agência noticiosa AFP.

    Desde o início da crise sanitária, a Covid-19 já provocou pelo menos 4.353.003 vítimas mortais no mundo, de acordo com o mesmo balanço da agência francesa.

  • Timor-Leste regista mais um óbito e casos aumentam em todo o país

    Timor-Leste registou hoje mais um óbito de uma pessoa infetada com o SARS-CoV-2, elevando para 30 o total de mortes associadas à pandemia, com o número de novos casos a aumentar em todo o país.

    Segundo informou hoje o Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC), a vítima foi um homem de 76 anos, com história clínica de tuberculose e que foi diagnosticado com síndrome de insuficiência respiratória aguda na sexta-feira.

    O CIGC explica que nas últimas 24 horas se registaram em todo o país mais 142 novos casos e 13 casos recuperados, com o total de casos ativos a ultrapassar os 2.000 (2.068) e o total acumulado desde o início da pandemia a subir para 12.565.

    Dili registou 92 novos casos, voltando a ser a região com mais casos ativos no país (831), Covalima 23, Baucau 13, a Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno (RAEOA) registou 11, Ainaro dois e Aileu um.

    Nas últimas 24 horas foram feitos em todo o país quase 590 testes.

    A taxa de incidência a nível nacional é agora de 11,2 por 100 mil habitantes.

  • A noite em que manifestantes cercaram o vice-almirante e um DJ foi a um centro de vacinação

    No dia em que o Pavilhão Multiusos de Odivelas recebeu um DJ para marcar o arranque da vacinação dos adolescentes, Gouveia e Melo foi recebido por manifestantes. Polícia teve de intervir. A reportagem da noite.

    A noite em que manifestantes cercaram o vice-almirante e um DJ foi a um centro de vacinação

  • África contabiliza mais 467 mortes e 34.241 infetados

    África contabilizou mais 467 mortes relacionadas com a Covid-19 e 34.241 infeções, nas últimas 24 horas, segundo dados do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC).

    O número total de casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 ascende agora a 7.257.094, enquanto o de óbitos se fixou em 182.452.

    Já o número de recuperados no continente está agora em 6.327.912.

    Por região, África Austral continua a ser a mais afetada com 3.467.230 casos, dos quais 3.088.841 foram considerados recuperados, e 95.793 mortes.

    O Norte de África regista 2.156.693 infeções, 1.808.603 recuperados e 58.627 mortes. Por sua vez, a África Oriental tem 857.672 casos, 742.513 recuperados e 17.814 mortes associadas à Covid-19.

    A África Central é a região com menos casos, nomeadamente, 211.865, 179.220 dos quais recuperados, e 3.175 mortes.

  • Especialistas do Reino Unido pressionam governo britânico a apresentar novo plano de contingência contra variantes

    Os especialistas do Reino Unido avisam o governo de Boris Johnson que é preciso estabelecer um plano de contingência que estabeleça como lidar com futuras variantes do coronavírus. Se tal não for feito, a batalha contra a Covid-19 pode ser atrasada em um ano ou mais.

    O grupo de aconselhamento científico em emergências (Sage, na sigla original) acredita que a chegada de novas variantes que ‘escapam’ à eficácia da vacina é uma “possibilidade realista”. O Sage pede, por isso, que se continue a trabalhar em novas vacinas. E apela a que os decisores políticos levem o problema “a sério” sob o risco de se regredir no combate ao vírus. Se, por um lado, a comunidade científica sabe que “pode gerar vacinas contra o vírus e de forma relativamente rápida”, por outro lado, “estaríamos de volta à mesma situação em que estávamos há um ano, dependendo do impacto da imunidade atual contra uma nova variante”, disse ao The Guardian Marc Baguelin, da equipa de resposta à Covid-19 do Imperial College.

  • Bom dia!

    Obrigada por nos ter acompanhado durante o dia de sábado. Recorde neste link os principais destaques da pandemia.

    Covid-19. Autoridades francesas investigam certificados falsos de vacinação

    Hoje, domingo, será neste liveblog que vamos atualizar a informação sobre a Covid-19.

1 de 1