Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Bom dia.

    Este liveblogue fica por aqui. Para ficar a par das notícias desta terça-feira sobre a pandemia da Covid-19 consulte este liveblogue.

    Europa a confinar com medo do contágio no Natal

  • Cães conseguem detetar infetados com Covid

    Mesmo que sem sintomas, cães treinados conseguem identificar pessoas contagiadas pelo vírus da Covid-19. A notícia é avançada pelo Guardian que cita um estudo liderado por Dominique Grandjean, professor na escola veterinária de Alfort, em França.

    Depois de um estudo preliminar, realizado em março, os investigadores voltaram ao terreno e garantem que os cães identificam os infetados com um grau de precisão entre os 85% a 100%. Para fazê-lo, precisam apenas de cheirar uma amostra de suor diretamente da axila do potencial infetado.

    Segundo Grandjean, os cães demoram um décimo de segundo a determinar se a pessoa está infetada ou não e os animais já começaram a ser usados em aeroportos nos Emirados Árabes Unidos.

  • Treinador Vanderlei Luxemburgo está com Covid-19, pela segunda vez

    O brasileiro, de 68 anos, está de novo infetado. Depois de ter sido contagiado em julho, quando dirigia o clube brasileiro Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo está de novo com Covid-19.

    O treinador está internado no hospital Sírio Libanês, em São Paulo. A notícia é avançada pela Globo.

  • Singapura aprova vacina Pfizer. Primeiro-ministro será vacinado para afastar o medo dos mais velhos

    As primeiras doses devem chegar a Singapura antes do fim de dezembro e o governo já anunciou que espera ter todos os 5,7 milhões de habitantes vacinados até ao terceiro trimestre de 2021. O anúncio foi feito ao mesmo tempo que foi tornada pública a aprovação da vacina da Pfizer.

    Na cidade-estado asiático, a vacina será gratuita e não obrigatória.

    “Eu e os meus colegas, incluindo os mais velhos, seremos vacinados mais cedo. Isso é para mostrar, especialmente a idosos como eu, que acreditamos que as vacinas são seguras”, disse o primeiro-ministro Lee Hsien Loong, de 68 anos, durante um discurso transmitido na televisão.

  • Primeiro-ministro de Essuatíni, antiga Suazilândia, morre de Covid-19

    Ambrose Dlamini, de 52 anos, morreu vítima de Covid-19. O primeiro-ministro de Essuatíni, antiga Suazilândia, tinha testado positivo há quatro semanas e encontrava-se internado num hospital da África do Sul.

  • Mesmo com vacina, Hong Kong deve estar alerta durante todo o ano de 2021

    No mesmo dia em que morreu mais uma vítima de Covid em Hong Kong, uma mulher de 42 anos, o ministro da Finanças deixou o aviso. Mesmo com a vacina, a região deve estar alerta durante todo o ano de 2021.

    As palavras de Paul Chan surgem no seu blog oficial e são citadas pelo South China Morning Post. A cidade soma agora um total de 117 vítimas mortais da pandemia.

    “Embora a vacina possa evitar sintomas graves, não pode eliminar completamente o risco de infeção. Portanto, uma expectativa mais cautelosa é que mesmo com a adição de vacinas como importante ferramenta de combate à pandemia, não poderemos ser complacentes no próximo ano”, escreveu.

  • Londres. Casos de Covid entre jovens aumentam mais do que no resto da população

    Os casos entre os jovens, com idades entre os 10 e os 19 anos, dispararam em Londres e em algumas zonas do Reino Unido. Segundo a Sky News, a taxa de crescimento nesta faixa etária é muito mais rápida dos que no resto da população da capital.

    Apesar de alguns distritos de Londres terem encerrado as escolas, o governo de Boris Johnson já avisou que poderá recorrer a mecanismos legais para reverter a decisão e obrigar os estabelecimentos de ensino a manterem-se abertos.

    [Gráfico mostra diferença da aceleração do vírus]

    Fonte Sky News

  • Brasil aproxima-se dos 7 milhões de infetados

    Foram mais 433 mortes e 25.193 diagnósticos positivos que o Brasil registou nas últimas 24 horas. Tal como em muitos outros países, as segundas-feiras costumam mostrar uma diminuição dos casos devido ao efeito do fim de semana.

    Segundo os números do Ministério da Saúde brasileiro, o país conta assim com um total de 181.835 mortes e quase 7 milhões de infetados (6.927.145).

    O Brasil é o segundo país do mundo com maior número de mortes por coronavírus, apenas atrás dos EUA. Em número de contágios é o terceiro, abaixo dos EUA e da Índia.

  • Estados Unidos ultrapassam a barreira das 300 mil mortes

    É o equivalente à população da cidade de Cincinnati, Ohio. A pandemia já fez mais de 300 mil mortos nos Estados Unidos, segundos os dados da Universidade Johns Hopkins.

    Números acumulados, os infetados já ultrapassam os 16 milhões. Esta segunda-feira, o país arrancou com a campanha de vacinação contra a Covid em Nova Iorque e Sandra Lindsay, uma enfermeira, foi a primeira a ser vacinada.

  • Madeira assinala 20 novos casos e um total de 293 infeções ativas

    A Madeira assinalou hoje 20 casos de Covid-19, elevando as infeções ativas para 293, indicou a Direção Regional de Saúde, sublinhando que foi registado mais um óbito no arquipélago, que totaliza agora seis mortes associadas ao novo coronavírus.

    Entre os novos casos positivos, 12 são de transmissão local e oito importados, oriundos do Reino Unido (cinco), Polónia (um) e Região de Lisboa e Vale do Tejo (dois).

    Dois dos casos reportados hoje são doentes hospitalizados, que foram sinalizados no âmbito do rastreio intra-hospitalar de doentes, um é profissional de saúde do serviço público e outro é profissional das forças de segurança, associado a um caso anteriormente identificado.

    A Direção Regional de Saúde sublinha que hoje foram também identificadas 151 situações suspeitas, havendo a assinalar oito recuperações.

    A região passa a contabilizar 1.059 casos confirmados de Covid-19, dos quais 293 estão ativos, sendo 64 importados e 229 de transmissão local.

  • Subida. Reino Unido com mais 232 mortes

    O Reino Unido registou mais 232 óbitos, número superior ao da véspera (144). Também o número de contágios aumentou, com mais 20.263 infetados nas últimas 24 horas — uma subida significativa em relação aos 18.447 infeções de domingo.

  • Brasil. Anvisa diz que pedidos de uso de emergência para vacinas serão respondidos em 10 dias

    Só vacinas com testes clínicos conduzidos no Brasil poderão receber a aprovação para uso de emergência no país, anunciou hoje o organismo brasileiro responsável por dar luz verde aos fármacos contra a Covid-19. A Anvisa — Agência Nacional de Vigilância Sanitária — deixou claro que ter aprovação no estrangeiro só por si não bastará.

    Todos os pedidos que sejam feitos, adiantou a agência em comunicado, terão resposta no espaço de dez dias.

  • Surto com 24 infetados em lar de Torres Vedras 

    Há um surto de Covid-19 num lar de Torres Vedras onde, para já, há 24 pessoas infetadas. A notícia é avançada pela Agência Lusa, que cita o delegado de saúde regional.

    O cluster é no Lar Vida Maior, na Maceira. Dos infetados, 16 são utentes e 6 são funcionários.

  • Covid-19. PSD considera injusta e grave decisão suíça de colocar Portugal em lista vermelha

    O PSD considera a decisão da Suíça de impor quarentena no regresso a quem viajar de Portugal “é baseada em dados” do ECDC “que se encontram completamente desatualizados”.

    Covid-19. PSD considera injusta e grave decisão suíça de colocar Portugal em lista vermelha

  • Polónia. Terceira vaga é ameaça real

    As restrições na Polónia deveriam vigorar até 17 de janeiro, defendeu hoje o ministro da Saúde polaco, Adam Niedzielski, dizendo que uma terceira vaga da pandemia é uma ameaça real.

    Atualmente, os encontros com mais de 5 pessoas estão proibidos, bem como casamentos e funerais. As escolas estão fechadas com o ensino a decorrer à distância.

  • Covid-19. Lar em Leiria tem 40 utentes e 27 funcionários infetados

    Quarenta utentes e 27 funcionários do lar da Associação de Desenvolvimento e Bem Estar Social da Freguesia da Barreira testaram positivo ao novo coronavírus. Maioria está assintomática.

    Covid-19. Lar em Leiria tem 40 utentes e 27 funcionários infetados

  • Canadá já começou vacinação

    Anita Quidangen, trabalhadora num lar de idosos, tornou-se hoje a primeira pessoa a ser vacinada no Canadá com o fármaco da Pfizer-BioNTech.

    Foi em Toronto, Ontário, que o país deu hoje início à campanha de vacinação contra a Covid-19 que se prevê irá decorrer ao longo de um ano.

    CANADA-HEALTH-VIRUS-VACCINE

    Anita Quidangen foi a primeira pessoa a ser vacinada no Canadá

  • Bélgica. Pai Natal responsável por surto de Covid em lar de idosos

    A intenção era boa, mas correu mal, como o próprio autarca da cidade belga admitiu. Pelo menos 75 pessoas, 61 deles residentes, ficaram infetadas depois de uma visita do Pai Natal a um lar de idosos em Mol, Antuérpia.

    “Foi um dia negro para o lar”, disse o autarca Wim Caeyers a uma televisão local, segundo avança o Notícias ao Minuto, referindo que o sucedido está a ter efeitos psicológicos pesados no homem que se disfarçou de Pai Natal e nos organizadores do evento.

    “Foi feito com a melhor das intenções, mas correu mal”, concluiu Caeyers.

  • Covid-19. Hospital das Caldas da Rainha com 36 pessoas infetadas

    Dos dois surtos detetados na semana passada, no Hospital das Caldas da Rainha, o mais recente é aquele que resultou num maior número de casos de infeção pelo novo coronavírus com 26 infetados.

    Covid-19. Hospital das Caldas da Rainha com 36 pessoas infetadas

  • Vacina Sputnik V com eficácia de 91,4% na 3.ª e última fase de ensaios

    É a terceira e última fase dos ensaios e a vacina russa contra a Covid-19 manteve os níveis de eficácia. As últimas notícias davam conta de 92% de eficácia e, agora, a Sputnik V mostra ter 91,4%, segundo o instituto de investigação Gamaleya.

    As análises, realizadas em 22.714 voluntários 21 dias depois da inoculação da primeira dose, revelaram a existência de 78 pessoas infetadas. Entre elas, 62 receberam o placebo e 16 foram vacinadas.

    “Estes dados permitem afirmar com certeza que a Sputnik V é altamente eficaz e totalmente segura para a saúde”, afirmou Alexandr Gintsburg, diretor do instituto Gamaleya.

    Os efeitos adversos registados foram, para já, febre, fadiga, fraqueza e dor de cabeça.

1 de 4