Arquitetura

Casa da Arquitetura e tutela criam plataforma sobre acervos e coleções

A Casa da Arquitetura e a Direção-Geral do Património Cultural vão criar um site que permite consultar os acervos e as coleções de arquitetos. A Casa da Arquitetura abre dia 17 em Matosinhos.

Uma vertente desta plataforma consiste no empréstimo de material para realizar exposições

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

A Casa da Arquitetura, estrutura que inaugura dia 17 em Matosinhos, e a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) vão lançar uma plataforma online e de consulta gratuita com a localização física das coleções e acervos de arquitetos.

O objetivo é conseguir informar os investigadores, estudantes de arquitetura, autores, entre outros agentes ligados à área, das características das obras arquivadas e do sítio onde estão, sejam coleções de municípios, faculdades, fundações ou mesmo acervos individuais.

“Será uma plataforma conjunta que agregará espólios. Isto surge da ambição de trabalharmos em conjunto e não como se as diversas estruturas fossem quintais. Pretendemos divulgar, operacionalizar o que existe em Portugal”, disse a diretora-geral do Património Cultural, Paula Silva, após ter assinado esta quinta-feira um protocolo em Matosinhos, no distrito do Porto.

A plataforma será online e gratuita e é expectativa dos responsáveis que esteja a funcionar no final do próximo ano e soma-se a outros aspetos de um protocolo, como a formação e apoio que a DGPC dará à Casa da Arquitetura para que os profissionais desta nova estrutura arquivem o material de forma igual à que é feita por quem trabalha no Sistema de Informação para o Património Arquitetónico (SIPA) que funciona no Forte de Sacavém.

A iniciativa de criar este protocolo e colaboração foi do diretor-executivo da Casa da Arquitetura, Nuno Sampaio, que à Lusa explicou a importância de “chamar as peças pelo mesmo nome, saber arquivar da mesma forma, seguir um método que torne o processo uniforme e coerente”.

“O SIPA é um sistema de informação e documentação sobre património arquitetónico, urbanístico e paisagístico português e de origem ou de matriz portuguesas, cujas atribuições e competências foram transferidas para a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) por força da aplicação do Decreto-Lei nº 102/2015, de 5 de junho”, é descrito no protocolo.

A terceira vertente da parceria firmada esta quinta-feira traduz-se no empréstimo de material para realizar exposições, sendo que Nuno Sampaio apontou que a Casa da Arquitetura será o único espaço em Portugal com capacidade para arquivo e área de exposição.

Em causa está um espaço totalmente reabilitado, com vários pavilhões e edifícios, localizado no centro do concelho, que antes acolhia a Real Vinícola mas que permaneceu sem uso ao longo de décadas, tendo ficado devoluto.

O nascimento da Casa da Arquitetura neste espaço foi um dos aspetos destacadas na cerimónia pela presidente da câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, que valorizou “a devolução de algo emblemático à comunidade”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site