FC Porto

De bola corrida, canto, livre ou lançamento, FC Porto não marcava tanto há 55 anos

O primeiro golo foi de bola parada, o segundo de bola corrida: FC Porto não encontra becos sem saída na hora de marcar e, com isso, tem a maior veia goleadora dos dragões na Liga dos últimos 55 anos.

Herrera marcou o primeiro golo após um canto e assistiu Aboubakar para o segundo num contra-ataque

AFP/Getty Images

Ao sexto jogo em casa para o Campeonato, o FC Porto não goleou. Ainda assim, essa “não goleada” frente ao Belenenses que ficou selada em definitivo depois do 2-0 de Aboubakar em cima do minuto 90, permitiu que os comandados de Sérgio Conceição escrevessem mais um pouco de história num arranque de Liga notável.

Segundo os dados do Playmakerstats, o FC Porto não tinha um arranque de Campeonato com tantos golos há 55 anos, registo para o qual muito contribuem os resultados volumosos no Dragão antes da receção ao Belenenses frente a Estoril (4-0), Moreirense (3-0), Desp. Chaves (3-0), Portimonense (5-2) e P. Ferreira (6-1).

Há um outro dado curioso em torno da produção ofensiva do FC Porto: apesar dos dois golos na sequência de cantos e livres diante do RB Leipzig, e do canto que originou o primeiro tento de Herrera contra o Belenenses, a verdade é que 75% dos golos apontados pelos azuis e brancos até ao momento foram de bola corrida, o que revela bem a capacidade e o volume de jogo ofensivo dos dragões ao longo das partidas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site