Deixar crescer a barba é um conceito que se tem tornado cada vez mais popular, seja pela possibilidade de participar em concursos de criatividade, seja como regresso a uma “vida rural e autêntica” como o estilo lumbersexual (estilo lenhador). Mas o objetivo do fotógrafo Brock Elbank era maior que isso, era sensibilizar para o cancro da pele.

O trabalho que teve de fazer para a revista neozelandesa Black deixou-o fascinado com barbas e depressa resolveu preparar um projeto que incluísse pelos faciais. Quando conheceu Jimmy Niggles a motivação do projeto fotográfico mudou. Niggles tinha deixado crescer a barba depois de um amigo ter morrido de melanoma (a forma mais severa de cancro da pele) como forma de sensibilização para o rastreio e Elbank lançou o projeto #Project60 para fotografar 60 barbas e contribuir para a mesma causa. Brock Elbank recebeu cerca de 1.200 candidaturas de possíveis modelos e os 60 escolhidos viajar até à área rural de Warwickshire, no Reino Unido, para serem fotografados sem qualquer compensação das despesas.

As fotografias tiradas no âmbito do #Project60 e outras que nunca foram apresentadas em público – num total de 80 quadros – estarão em exposição no centro cultural Somerset House, em Londres, de 5 a 29 de março de 2015. Entre os pogonófilos (amantes de barbas) que quiseram fazer parte deste projeto contam-se algumas personalidades como o ator John Hurt ou os modelos Ricki Hall e Billy Huxley, mas também algumas personagens interessantes como o tatoista Miles Better ou a britânica Harnaam Kaur – que desde os 16 anos tem barba, resultado de uma doença nos ovários que lhe causa excesso de pilosidade, lê-se no comunicado de imprensa do centro cultural.