Uma nova peça da série “Valquíria”, de Joana Vasconcelos, concebida especialmente para a “Grande Praça” do hotel-casino de Macau, é inaugurada este domingo e fica patente ao público de segunda-feira até 31 de outubro. A peça “Valkyrie Octopus” é, segundo o ateliê da artista portuguesa, a “mais complexa” peça da série “Valquíria” criada até ao momento e está instalada na Grande Praça do MGM Macau, uma área com nome e réplicas arquitetónicas portuguesas, como a Casa dos Bicos.

Com 35 metros de comprimento, 20 de altura e 1.200 quilos, a “Valkyrie Octopus” levou quase 10 meses a ser construída e é a maior peça da artista até à data. O trabalho é feito a partir de mais de 4.000 metros de tecido de várias cores, padrões e texturas, ornamentados com milhares de missangas e luzes LED (Díodo Emissor de Luz), as quais são alimentadas por 3.100 metros de cabos elétricos.

A escala monumental da “Valkyrie Octopus” fez com que a peça fosse testada num hangar de aviões, envolvendo uma equipa de mais de 50 profissionais da arquitetura, engenharia, engenharia e metalurgia. Em Macau, o trabalho ficou concluído após “dez longos dias”, recordou Joana Vasconcelos, na sexta-feira, na apresentação da obra. A instalação combina artesanato e tecnologia, algo “complicado e bastante novo” no trabalho da artista, como afirmou.

Além das luzes LED, aplicadas em conjunto com os trabalhos manuais em costura e crochê, Joana Vasconcelos recorreu “às técnicas de insufláveis para o enchimento, que permitiram um trabalho de maior dimensão”. “Trouxe muitas coisas que são tradicionais de Portugal”, explicou Joana Vasconcelos, ao descrever os trabalhos de costura e bordados de Nisa e Viana do Castelo na peça. “Tenho aqui técnicas da minha cultura em conjunto com tecnologia (…) Por isso é uma ponte entre o passado e o futuro”, sublinhou.