Onde está a beleza de uma mulher? Durante os últimos 51 anos, o calendário da empresa italiana Pirelli tinha uma resposta muito concreta. Estava num peito generoso, pernas elegantes e olhar sugestivo.

Isto foi válido até este ano, porque a Pirelli decidiu fazer uma revolução. Vai inverter a definição já em 2016. E em vez de mulheres com seios descobertos e pernas longas, o calendário mais sensual do mundo vai ter ativistas intelectuais (e não necessariamente bonitas no físico) a abrilhantar os meses do próximo ano. A edição procura quebrar convenções. E já tem um nome: “The Cut”, anuncia a Women’s Health.

A ideia é dar palco a “mulheres inspiradoras”, como descreve a fotógrafa Annie Leibovitz, que vai captar imagens de Yoko Ono, Patti Smith ou Serena Williams, entre muitas outras. E nem sequer vai ter de esperar até ao Réveillon para apreciar este trabalho: a 30 de novembro, o calendário já estará pronto a ser lançado em Londres, conta o El Confidencial.

“Comecei a pensar no papel que as mulheres assumem, nas mulheres que alcançaram alguma coisa. Queria fazer um álbum clássico de fotografias. Pensei que as mulheres devessem parecer fortes, mas naturais”, explicou Annie Leibovitz à Vogue. Para isso abandonou os atrevimentos típicos da Pirelli e decidiu embrenhar-se num “ambiente intimista” onde a única coisa voluptuosa a ser retratada é uma “personalidade de referência”.

Esta não é a primeira vez que a Pirelli altera os conceitos que dos seus calendários. Em 2005, incluiu um homem e no ano passado decidiu juntar uma modelo plus-size para demonstrar que a beleza não está apenas num corpo escultural.

Saiba quem são as modelo escolhidas pela fotógrafa Annie Leibovitz para entrar no calendário 2016 da Pirelli.