Tem a certeza de que aquela frase histórica que costuma citar foi mesmo dita por quem pensa? No famoso debate presidencial de 1986 entre Mário Soares e Freitas do Amaral, na RTP, o jornalista Miguel Sousa Tavares virou-se para o fundador do CDS e perguntou: “Salvo erro, se errei peço desculpa ao autor da frase, foi o doutor Eduardo Prado Coelho quem disse que quando ouvia alguém dizer que esquerda e direita é um conceito ultrapassado, já sabia que estava a falar com uma pessoa de direita. Quer comentar?”

Freitas do Amaral sorriu e começou a resposta assim: “Essa frase que o senhor atribui ao Prado Coelho é uma velha frase dita há muitas décadas por um autor francês.” Infelizmente, o candidato não chegou a dizer o nome do “autor francês”, pelo que fica a dúvida sobre a paternidade.

Mas não é preciso sermos excessivamente exigentes com Miguel Sousa Tavares. Há inúmeros exemplos de aforismos e ditos históricos erradamente atribuídos. “Não concordo com o que dizes, mas defenderei até à morte o teu direito a dizê-lo” – eis uma frase que Voltaire nunca pronunciou. E, no entanto, o filósofo francês é dado como o autor, em lugar da escritora Evelyn Beatrice Hall.

Maria Antonieta também nunca recomendou aos pobres que comessem brioche, por não terem pão. E o Marquês de Pombal, a seguir ao terramoto de 1755, não mandou enterrar os mortos e cuidar dos vivos. E Abraham Lincoln não disse “Podes enganar todos durante algum tempo e alguns sempre, mas não podes enganar todos sempre” — o autor é o coronel McClure, que assegurou que Lincoln a teria dito durante uma conversa pessoal.

A febre das citações na Internet

Há dias, no Corriere Della Sera, o romancista e político italiano Claudio Magris escreveu sobre estes embustes. A crónica de Magris citava um tal Adriano Ausilio, “estudante de filosofia, ávido caçador de erros e implacável com atribuições imprecisas”, mas não sabemos se ele existe mesmo ou se é criação literária de Magris.

O ponto, para o escritor italiano, era este: a proliferação de páginas na Internet com citações e adágios é uma das responsáveis pela má atribuição de frases. O mesmo pensa Ralph Keyes, autor do livro The Quote Verifier (2006). E desde 1976 que a BBC Radio 4 emite o programa Quote… Unquote, dedicado à análise de citações e respetivos erros — a preocupação é, portanto, antiga.

Em Portugal, temos o citador.pt, que se descreve como “o maior site de citações, frases, textos e poemas genuínos e devidamente recenseados em língua portuguesa”. “Recolhe conteúdos diretamente das fontes bibliográficas”, afirmam os responsáveis. Existe desde 2003 e reclama uma média mensal de mais de um milhão de visitantes. Têm sido publicados alguns artigos sobre o tema (como este do The Guardian), e o Observador também quer ajudar — por isso, veja na fotogaleria em cima alguns exemplos de citações mal atribuídas (e, claro, a identidade dos verdadeiros autores).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR