“Trumbo”

Realizada por Jay Roach, esta biografia do argumentista Dalton Trumbo, um dos 10 militantes do Partido Comunista dos EUA que foi posto na “lista negra” dos estúdios de Hollywood nos anos 50, mas continuou a trabalhar sob pseudónimo e escreveu filmes oscarizados como “Férias em Roma”, de William Wyler, até voltar a ser creditado em “Spartacus”, de Stanley Kubrick, tem uma boa interpretação de Bryan Cranston (“Breaking Bad”) no papel do título, mas não ultrapassa a mediania didáctica. O argumento de John McNamara baseia-se na biografia altamente simpática de Trumbo escrita por Bruce Cook, pelo que o filme branqueia ou omite vários aspetos inconvenientes da vida política do argumentista, desde a sua colaboração regular no “Daily Worker”, o jornal do PCUSA, com artigos elogiosos de Estaline e do regime totalitário da URSS, até ao facto de, juntamente com outros camaradas que trabalhavam em Hollywood, ter conseguido bloquear a adaptação ao cinema de livros que denunciavam a URSS e o comunismo, como “O Zero e o Infinito”, de Arthur Koestler. Sim, Trumbo foi uma vítima dos excessos de zelo anticomunista nos EUA no início da Guerra Fria, mas não era nem por sombras o idealista simpático, inofensivo e vagamente radical que a fita nos quer vender.

“Zoolander 2”

Quinze anos depois do filme original, “Zoolander”, uma sátira de sabor “nonsense” aos ridículos, hipocrisias e vaidades do mundo da moda, Ben Stiller regressa à pele de Derek Zoolander, o super-modelo masculino insondavelmente burro, e à realização, em “Zoolander 2”. Desta vez, Zoolander, agora humilhado e fora de moda, é recrutado pela Interpol, juntamente com o seu amigo Hansel McDonald (Owen Wilson), para ajudarem a resolver o misterioso assassínio de uma série de “beautiful people”. Will Ferrell está também de volta na figura do magnata da moda Jacobim Mugatu, o principal inimigo do super-modelo. No elenco surgem ainda Penélope Cruz, Kristen Wiig, Milla Jovovich e Benedict Cumberbatch, bem como várias celebridades interpretando-se a si mesmas: Sting, Katy Perry, Tommy Hilfiger, Susan Boyle, Malala Yousafzai, Lewis Hamilton, Valentino, Anna Wintour, Christiane Amanpour, etc.

“Mustang”

Cinco jovens irmãs, órfãs de pai e mãe, vivem numa vila costeira da Turquia com a avó, o tio e várias tias. Fechadas em casa pelos familiares e impedidas até de ir à escola, por terem estado a brincar na praia com alguns colegas e tido “comportamentos impróprios” (ou seja, andaram às cavalitas dos rapazes), as raparigas começam a ser educadas para o matrimónio, e casadas uma a uma. Até que há uma tragédia e as mais novas decidem revoltar-se. Primeira realização da cineasta franco-turca Deniz Gamze Ergüven, “Mustang” é uma co-produção franco-germânico-turca que está candidata ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro e já recebeu várias distinções, entre as quais o Prémio LUX do Parlamento Europeu, o Goya de Melhor Filme Europeu, o Prémio do Público do Festival de Salónica ou quatro prémios Lumière, entre os quais o de Melhor Filme e Melhor Primeiro Filme. “Mustang” foi escolhido pelo Observador como o filme da semana, e pode ler a crítica aqui.