António Costa manifestou uma “enorme tristeza” pelo falecimento de Nicolau Breyner, da qual teve conhecimento durante a reunião de concertação social.

O primeiro-ministro recorda “um extraordinário ator, nos últimos anos um grande realizador e para além disso um amigo e que deixa um vazio imenso no teatro, no cinema e na novela em Portugal”.

Costa admite que deve “a ele alguns dos mais notáveis papéis representados em Portugal e grandes momentos de humor em que ele era absolutamente exímio desde a crítica política à crítica de costumes”. Salientou que “é uma grande perda para todos nós”, os portugueses, e para ele, o primeiro-ministro, “uma grande tristeza”.