480kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Compare. As (outras) imagens manipuladas de Steve McCurry

Este artigo tem mais de 5 anos

É um dos fotógrafos mais aclamados do mundo, mas está agora no centro de um escândalo de manipulação de imagens. Foram encontradas outras fotografias modificadas em Photoshop. Compare-as aqui.

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os quarenta anos de carreira do fotógrafo Steve McCurry têm estado debaixo de fogo após a publicação de várias imagens manipuladas digitalmente por um dos profissionais mais icónicos da National Geographic. Tudo começou quando um fotógrafo italiano, Paolo Viglione, descobriu erros de edição em Photoshop numa das imagens de Steve McCurry e denunciou-os na sua página pessoal, alegando que não queria atacar o galardoado fotógrafo, mas apenas partilhar “algo peculiar” que tinha reparado na imagem.

A publicação acabou apagada na Internet. Mas nessa altura o fogo já tinha sido ateado e foram descobertas mais imagens assinadas por McCurry e editadas em computador. O fotógrafo norte-americano, cuja imagem mais icónica é a de uma menina afegã de olhos claros que se tornou numa das melhores capas da National Geographic, veio defender-se agora, dois meses após o escândalo ter rebentado, dizendo: “Sou fotógrafo, não sou jornalista. A minha função é contar histórias com as minhas imagens. Uso o Photoshop em coisas minimalistas”. Ainda assim, não se livrou de um debate em redor do seu nome sobre quão ética a manipulação de imagens neste caso.

Enquanto o debate decorre, outras imagens editadas – seja por alteração das cores ou por mudanças dos objetos nas imagens – têm aparecido pela Internet. Essas imagens foram disponibilizadas pelo próprio Steve McCurry ao longo dos últimos anos, mas a sua publicação foi sempre espaçada no tempo: foram os internautas que compararam as várias versões conhecidas das imagens para denunciar mais mudanças em Photoshop trabalhadas pelo fotógrafo.

Entretanto, a página do fotógrafo foi apagada. Mas os conteúdos são eternos dentro da rede e as imagens continuam a ser comparadas, conta a PetaPixel. Uma delas mostra uma rua de Tóquio, cujas duas versões foram eliminadas da página, mas continuam a circular na Internet. Compare as duas na imagem em formato “gif” aqui em baixo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

via GIPHY

Outra imagem no centro da discussão é a de um homem a trepar uma vedação de madeira na Rússia. Uma primeira versão foi publicada em 2013 e outra chegou à Internet no ano seguinte.

via GIPHY

Veja agora esta imagem de um homem no Vale de Omo, na Etiópia, publicada pela primeira vez em 2012 e uma segunda vez mais tarde.

via GIPHY

Outro exemplo é a próxima fotografia tirada nas Honduras. A primeira imagem tinha sido publicada em 2013, enquanto a segunda versão chegou ao site de Steve McCurry em 2014.

via GIPHY

Ambas as imagens no “gif” seguinte foram publicadas entre 2012 e 2013 no site de McCurry e mostram três mulheres a conversar em Paris.

via GIPHY

Steve McCurry publicou ainda a fotografia de uma criança a trabalhar na Índia. A fotografia foi conseguida em 1993, mas chegou à Internet 16 anos mais tarde. Há duas versões diferentes a circular na rede.

via GIPHY

Uma última imagem no centro do debate mostra um homem a correr junto ao mar no Brasil. A Magnum Photos, que detém as fotografias de Steve McCurry, vende a imagem em cores monocromáticas. Ainda no ano passado, uma versão a cores chegou à Internet.

via GIPHY

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.