288kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Existem pokémons à solta no Departamento de Estado dos EUA

Este artigo tem mais de 5 anos

John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado, interrompeu uma conferência de imprensa para repreender um jornalista mais interessado em caçar pokémons do que na luta contra o Estado Islâmico.

John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA falava dos esforços da aliança na luta contra o Estado Islâmico
i

John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA falava dos esforços da aliança na luta contra o Estado Islâmico

CNN

John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA falava dos esforços da aliança na luta contra o Estado Islâmico

CNN

Existem pokémons à solta no Departamento de Estado norte-americano. E, como não podia deixar de ser, existem caçadores atrás deles. Um desses caçadores de criaturas da realidade virtual, jornalista de profissão, foi confrontado por John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado que estava a dar uma conferência de imprensa sobre os esforços da aliança de combate ao Estado Islâmico.

“Está a jogar aquela coisa dos pokémon, não está?”, perguntou John Kirby, a meio do briefing diário, a um repórter que estava na sala de imprensa. O momento foi registado pelas câmaras da CNN, que também captou a resposta do jornalista, que não foi identificado.

“Estou só com um olho nele”, disse o repórter ao porta-voz do Departamento de Estado, visivelmente irritado com a situação. John Kirby prosseguiu com o discurso e falou sobre as dificuldades em derrotar o Estado Islâmico, frisando que os Estados Unidos continuam empenhados na aliança de 66 países, entre eles o Reino Unido, a França, os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita, entre outros.

O porta-voz do Departamento de Estado voltou a dirigir-se ao jornalista no fim da sua intervenção. “Conseguiu apanhar um?”, perguntou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Não, porque a rede de rede aqui não é muito boa”, respondeu o jornalista.

“Sinto muito”, retorquiu John Kirby com ironia, antes de prosseguir com o briefing. Ora veja como foi:

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.