479kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Existem pokémons à solta no Departamento de Estado dos EUA

Este artigo tem mais de 5 anos

John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado, interrompeu uma conferência de imprensa para repreender um jornalista mais interessado em caçar pokémons do que na luta contra o Estado Islâmico.

John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA falava dos esforços da aliança na luta contra o Estado Islâmico
i

John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA falava dos esforços da aliança na luta contra o Estado Islâmico

CNN

John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA falava dos esforços da aliança na luta contra o Estado Islâmico

CNN

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Existem pokémons à solta no Departamento de Estado norte-americano. E, como não podia deixar de ser, existem caçadores atrás deles. Um desses caçadores de criaturas da realidade virtual, jornalista de profissão, foi confrontado por John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado que estava a dar uma conferência de imprensa sobre os esforços da aliança de combate ao Estado Islâmico.

“Está a jogar aquela coisa dos pokémon, não está?”, perguntou John Kirby, a meio do briefing diário, a um repórter que estava na sala de imprensa. O momento foi registado pelas câmaras da CNN, que também captou a resposta do jornalista, que não foi identificado.

“Estou só com um olho nele”, disse o repórter ao porta-voz do Departamento de Estado, visivelmente irritado com a situação. John Kirby prosseguiu com o discurso e falou sobre as dificuldades em derrotar o Estado Islâmico, frisando que os Estados Unidos continuam empenhados na aliança de 66 países, entre eles o Reino Unido, a França, os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita, entre outros.

O porta-voz do Departamento de Estado voltou a dirigir-se ao jornalista no fim da sua intervenção. “Conseguiu apanhar um?”, perguntou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Não, porque a rede de rede aqui não é muito boa”, respondeu o jornalista.

“Sinto muito”, retorquiu John Kirby com ironia, antes de prosseguir com o briefing. Ora veja como foi:

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.