“Se alguém me tivesse dito que eu tinha uma hipótese de ganhar o Prémio Nobel, eu teria pensado que as minhas oportunidades eram tão grandes como estar na lua”, escreveu Bob Dylan, o primeiro autor-compositor a receber o prémio.

Este discurso, que foi lido pela embaixadora do Estados Unidos no banquete da cerimónia de entrega dos Prémios Nobel, à qual Bob Dylan não compareceu, acabou por ser a primeira vez que o músico agradeceu formalmente à Academia Sueca por o ter premiado com o Nobel da Literatura.

“Nenhuma vez tive tempo de perguntar a mim mesmo, ‘Serão as minhas músicas literatura?'”, disse Dylan, confessando que juntar-se a nomes como Thomas Mann, Albert Camus ou Ernest Hemingway, entre outros, “está além das palavras”.

E, dirigindo-se à Academia Sueca, agradeceu por “dedicar tempo a considerar essa pergunta” e, em última análise, “por dar uma resposta tão maravilhosa”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Bob Dylan justificou a ausência na cerimónia de entrega dos prémios com “outros compromissos”, mas, no discurso, lamentou não estar em Estocolmo.

Ainda assim, disse estar no local “em espírito” e “honrado” com o prémio.