Museu do Chiado

Museu do Chiado inaugura nova exposição permanente com “Razões e Emoções”

"Arte Portuguesa. Razões e Emoções" estará patente ao público de 20 de abril a 31 de março no Museu do Chiado. Reúne 211 obras, 70 das quais foram raramente mostradas, de 97 artistas.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A exposição “Arte Portuguesa. Razões e Emoções”, que vai reunir 211 obras de 97 artistas no Museu do Chiado, em Lisboa, é inaugurada esta quinta-feira, às 19:h, com uma viagem por 150 anos da História da Arte em Portugal.

De acordo com o Museu Nacional de Arte Contemporânea — Museu do Chiado, as obras do acervo — pintura, escultura, desenho, fotografia, vídeo, e instalação — ocuparão integralmente as galerias do edifício da rua Serpa Pinto, e uma ala da rua Capelo, abrindo ao público na sexta-feira.

Do total de obras, cerca de 70 raramente foram mostradas ou saem pela primeira vez das reservas do museu, dando a conhecer a história da arte portuguesa desde a segunda metade do século XIX até à primeira década do século XX.

A entidade salienta que a proposta curatorial desta nova exposição permanente “aponta para uma reflexão sobre os envolvimentos sociais e políticos, e as noções do modo de ser moderno, desde o século XIX, ao distinguir no percurso cronológico, as continuidades e mudanças, os gostos e conceitos, na mais completa coleção de arte contemporânea” que dá nome ao museu, fundado em 1911.

Maria de Aires Silveira, Emília Tavares e Emília Ferreira são as curadoras desta exposição que reúne obras de artistas como Paula Rego, António Soares, Abel Manta, Bernardo Marques, Mily Possoz, Jorge Barradas, Hein Semke, Jorge de Oliveira, entre outros.

“Espelhos de Almas”, “O Poder da Imagem”, “Uma Cultura Moderna”, “Cuidado Com a Pintura!”, “Formas de Comunicação e Contestação”, “Linguagens e Experimentação”, “Pós-Modernismo” são os títulos dos sete núcleos.

A exposição inicia-se com o retrato, “uma temática oitocentista, raramente abordada, em diálogos geracionais de coletivos de artistas”, e com obras desconhecidas de Miguel Lupi, Luciano Freire, Veloso Salgado, Duarte Faria e Maia e Constantino Fernandes.

Na mostra são apresentadas obras “significativas e de autores pouco referenciados” como António Patrício e José de Brito, um conjunto de pinturas inéditas do legado Veloso Salgado, recentemente incorporado. A exposição “Arte Portuguesa. Razões e Emoções” é inaugurada neste dia, às 19h00, e ficará patente ao público de 20 de abril a 31 de março de 2019.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Questões afetivas, sexuais e outras /premium

Laurinda Alves

Ler o que escreve Halík dá que pensar e ajuda a pôr muita coisa em perspetiva. Amanhã estará em Lisboa e vai, também ele, encher auditórios e anfiteatros. Vem para colocar o dedo em muitas feridas.  

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)