A Saída de Emergência vai publicar, no início do próximo ano, a tradução portuguesa de Fire & Blood, o novo livro de George R.R. Martin, autor de A Guerra dos Tronos, confirmou ao Observador fonte da editora. O volume, que será editado nos Estados Unidos da América e no Reino Unido a 20 de novembro deste ano, não se trata de um romance, como alertou o autor no seu blog, mas sim de uma “história imaginária” da Casa Targaryen (a que pertence a popular Daenerys, a mãe dos dragões) e da sua ascensão e queda.

Com 989 páginas e 75 ilustrações a preto e branco da autoria de Doug Wheatley, Fire & Blood um “livro pesado”, mas não “tão longo como A Guerra dos Tronos ou qualquer dos outros volumes de Crónicas de Gelo e Fogo”. Há, porém, “muito para ler”, garantiu o autor. Este primeiro livro (haverá um segundo), percorre a história dos reis Targaryen desde Aegon I, o Conquistador, até à regência de Rhaenyra, mãe de Aegon III, passando por Aenys, Maegor, o Cruel, Jaehaerys I, Viserys I e Aegon II (pai de Aegon III). Também fala “das suas mulheres, guerras, irmãos, filhos, amigos, rivais, leis, viagens, e muitos outros assuntos”. E de dragões, claro. O narrador é o arquimeistre Gyldayn, da Cidadela, também autor de uma história da Dança dos Dragões, uma guerra travada durante o domínio Targaryen dos Sete Reinos várias vezes referida nos livros das Crónicas de Gelo e Fogo.

A capa da edição norte-americana de Fire & Blood, da responsabilidade da editora Bantam Spectra, e uma das ilustrações do artista gráfico Doug Wheatley. As duas imagens foram divulgadas por George R.R. Martin no seu blog

Tal como a Dança dos Dragões, muitas das histórias de Fire & Blood não são novidade e algumas até já foram publicadas. A secção sobre os reinados do filho de Aegon, Aenys e Maegor, por exemplo, foi integrada na antologia The Book of Swords, editada no ano passado, e o capítulo sobre a conquista de Aegon foi integrado quase na íntegra em The World of Ice & Fire. Foi, aliás, com este volume que surgiu Fire & Blood. Como explicou George R.R. Martin no seu blog, as histórias dos reis Targaryen começaram a ser escritas por causa do lançamento de The World of Ice & Fire, um volume ilustrado, publicado em 2014, que pretende ser uma espécie de enciclopédia do mundo de A Guerra dos Tronos. Só que Martin deixou-se levar e os textos, que deveriam ser curtos, tornaram-se demasiado grandes. “Por isso, tirámo-os daquele volume… E salvámo-los para este.”

George R.R. Martin garantiu que a história dos Targaryen não acaba com a regência de Rhaenyra (irá continuar até à sua queda e a subida ao Trono de Ferro de Robert Baratheon) e que há muito mais para contar num segundo volume. Este, porém, está a “alguns anos” de distância. “Por isso, não fiquem impacientes”, disse o escritor norte-americano. “Gyldayn irá eventualmente escrevê-lo, mas ele é velho e eu também, e ambos temos outros projetos para terminar. A Cidadela exige muito tempo.”

Antecipando possíveis perguntas sobre as prequelas em que a HBO está a trabalhar, Martin afirmou não saber ao certo se o canal de televisão irá usar material de Fire & Blood em futuras produções. E em relação a The Winds of Winter? Depois de garantir que o inverno não irá chegar em 2018 e que os fãs terão de continuar a esperar pelo tão aguardado sexto volume de A Guerra dos Tronos, no final do mesmo post, George R.R. Martin garantiu que ia voltar a trabalhar nele, sem, porém, adiantar uma possível data de lançamento. Por enquanto, a espera continua.