Stephen Hillenburg, criador da série popular de desenhos animados televisivos “SpongeBob SquarePants”, morreu aos 57 anos, vítima de uma doença que lhe tinha sido diagnosticada há ano e meio: esclorose lateral amiotrófica. A notícia foi avançada pela revista norte-americana Variety.

O canal por cabo Nickelodeon, que começou a exibir a série em 1999, já reagiu à morte de Stephen Hillenburg. Num comunicado citado pela Variety, a estação refere: “O Steve impregnou o ‘SpongeBob SquarePants de uma inocência e um sentido de humor únicos, que trouxe felicidade a gerações de crianças e famílias em todo o mundo. As suas personagens completamente originais e o mundo de Bikini Bottom [a cidade imaginária em que a série se desenrola] permanecerão longamente como uma recordação dos valores de otimismo e amizade e do poder ilimitado da imaginação”.

O biólogo marinho, cartoonista, argumentista, cineasta e produtor televisivo de Lawton, Oklahoma, já tinha feito duas curtas-metragens (“Wormholes” e “The Green Beret”) e a série de desenhos animados “Rocko’s” (que durou quatro temporadas e teve algum sucesso) antes de conceber a série que lhe deu maior notoriedade.

Passada na cidade imaginária de Bikini Bottom, a série retrata a vida e aventuras de SpongeBob e os seus amigos. Venceu vários prémios, entre eles quatro galardões Emmy, seis prémios Anny (que reconhecem os melhores filmes e séries de animação) e dois prémios BAFTA Children. No último ano, estimou-se que a série de 12 temporadas, que deu ainda origem a filmes e um musical, tenha dado receitas de merchandising de 13 mil milhões de dólares, perto de 11 milhões e meio de euros à taxa de câmbio atual.