Concertos

Simone e Ivan Lins atuam no dia 7 de fevereiro no Casino Estoril

Tanto a cantora Simone como o músico e cantor Ivan Lins têm atuado regularmente em Portugal. O Casino Estoril refere-se aos artistas como "duas estrelas que são ícones da música popular brasileira".

O músico brasileiro Ivan Lins

HUGO DELGADO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Os músicos Simone e Ivan Lins atuam no dia 7 de fevereiro, no Casino Estoril, nos arredores de Lisboa, apresentando um alinhamento que incluirá canções como “Começar de Novo” e “Desesperar”, foi anunciado esta quarta-feira.

Tanto a cantora Simone, de 69 anos, como o músico e cantor Ivan Lins, de 73, têm atuado regularmente em Portugal; a criadora de “Bilhete” atuou a solo em 2012, e, em 2017, efetuou uma digressão com Zélia Duncam, que passou também pelo palco do salão Preto e Prata do Casino Estoril.

Ivan Lins já partilhou o palco com Carlos do Carmo, Pedro Abrunhosa e Paulo de Carvalho, entre outros artistas portugueses, e, em 2009, ano em que atuou no casino, comprometeu-se a desenvolver uma escola de arte e uma orquestra sinfónica na Cova da Moura, no concelho da Amadora.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o casino refere-se aos artistas como “duas estrelas que são ícones da música popular brasileira”, que se reencontram catorze anos depois da edição do álbum “Baiana da Gema”, no qual Simone gravou treze canções de autoria de Lins.

A primeira vez que atuaram juntos foi no Brasil, em 1972, quando, no seu álbum de estreia, Simone gravou “Chegou a Hora”, de Ivan Lins.

“Daquilo que eu sei” e “Atrevida” são outros temas, “entre muitos outros clássicos de Ivan Lins”, que serão interpretadas neste espetáculo, segundo a mesma fonte.

Simone começou a cantar na década de 1970, depois de se ter evidenciado como basquetebolista, tendo feito parte da seleção brasileira.

Em 1972 gravou o primeiro disco e realizou os primeiros concertos na Europa, incluindo já Portugal.

Ivan Lins protagoniza uma careira de cerca de 50 anos. Em 1979 um convite do músico norte-americano Quincy Jones abriu-lhe as portas do mercado internacional.

Sarah Vaughan, Ella Fitzgerald, Carmen McRea, Manhatten Transfer, George Benson começaram a cantar as suas canções, que foram visitadas, mais recentemente, por Barbra Streisand, Sting e Jane Monheit.

Lins foi já nomeado por duas vezes para os Grammies Latinos, em 1997 e 2000.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)