Fundação Calouste Gulbenkian

“Mais verde e mais ciclovias”. Parque Urbano da Praça de Espanha pronto em 2020

O novo parque terá esplanadas, parques infantis, quiosques e será possível atravessar a pé a Praça de Espanha através de uma ponte pedonal que faz ligação à Gulbenkian.

O Parque Urbano da Praça de Espanha, que terá acesso direto aos jardins da Fundação Calouste Gulbenkian, deverá estar concluído em 2020, anunciou esta segunda-feira o presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

Nós contamos que as obras estejam concluídas no próximo ano, em 2020, iniciando-se já este ano na rede viária, depois no parque verde, e nessa altura estará concluída aquilo que é verdadeiramente uma marca da Lisboa do futuro, uma cidade mais verde, mais sustentável, com mais espaço público e com mais ciclovias”, disse Fernando Medina (PS).

O autarca falava aos jornalistas no final da apresentação pública da proposta vencedora do concurso público internacional de ideias para a requalificação da Praça de Espanha, que decorreu esta segunda-feira na Fundação Calouste Gulbenkian.

O parque terá “um número muito significativo de árvores”, zonas de “clareiras de fruição”, parques infantis, esplanadas, quiosques e a “recuperação da água como elemento central” daquele espaço, destacou Fernando Medina, acrescentando que o projeto vai “permitir uma melhor vivência para todas aquelas pessoas que vão poder atravessar a pé a Praça de Espanha, utilizando uma ponte pedonal” que a ligará à Gulbenkian.

Segundo Medina, uma “zona hoje inacessível às pessoas, marcada por grandes vias viárias, onde não é possível alguém aceder ao verde que ali existe, vai dar origem a um parque verde”, com cerca de cinco hectares, “de tamanho semelhante ao Jardim da Estrela”.

Relativamente à circulação rodoviária, o presidente da câmara municipal defendeu que “sairá melhorada”, já que haverá ligação direta da Avenida de Berna à Avenida Calouste Gulbenkian.

Isto é, explicou Medina, “quem pretender sair da cidade de Lisboa, em direção a Monsanto ou à ponte, vai direto e escusa de circundar toda a Praça de Espanha”.

“Também para quem quer fazer a ligação entre a Avenida dos Combatentes e a Avenida António Augusto Aguiar [ela] será direta nos dois sentidos. Isto é, quem pretende entrar na cidade de Lisboa via norte, descendo a Avenida dos Combatentes, prosseguirá em frente naturalmente para a Avenida António augusto Aguiar”, disse.

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, anunciou esta segunda-feira que será lançado “em breve um concurso de ideias para a extensão do Parque Gulbenkian para o seu vértice sul”, que deverá estar concluída “pouco tempo depois do Parque Urbano da Praça de Espanha”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)