Pela primeira vez uma impressora 3D, a Vulcan II, vai ser utilizada para construir um bairro inteiro. A ONG New Story planeia utilizar a máquina para criar 50 casas para famílias desfavorecidas na América Latina, avança o site Fast Company. O local exato ainda não foi divulgado.

A Vulcan II tem 10 metros de comprimento por 3,3 metros de largura e será capaz de construir uma pequena habitação em menos de um dia, com cerca de 6 mil euros em matérias primas. As casas serão disponibilizadas a famílias com um rendimento mensal abaixo dos 178 euros.

A New Story paga por todo o processo de construção, tendo os novos donos que devolver apenas uma fração dos custos através de um empréstimo sem juros, cujo valor depende da capacidade económica da família. O dinheiro reverte para futuros projetos de habitação.

A impressora 3D edifica as paredes e o chão da casa esguichando camadas sucessivas de cimento de secagem rápida. Após a construção das bases, demora apenas algumas horas a construir o telhado. Só as janelas e portas terão de ser instaladas manualmente.

O responsável pelo projeto, Alexandria Lafci da New Story, explicou à Fast Company que a operação da Vulcan II foi simplificada para que toda a obra possa ser realizada por trabalhadores locais: “Toda a máquina pode ser operada através de um ecrã tátil, automatizando até a mistura de materiais, permitindo que se construa uma casa com a necessidade de menos mão de obra”.

Quando se imprime uma comunidade inteira, e uma comunidade onde que podem viver pessoas, passamos do reino da ficção para uma solução real que pode ser aplicada à escala mundial“, afirma Lafci à mesma publicação. O objetivo da empresa é aliar a Vulcan II à construção tradicional de bairros sociais que já desenvolve.