Foram revelados os nomes dos jurados da edição de 2020 do Booker Prize, o mais importante galardão de literatura de língua inglesa. A editora e crítica literária Margaret Busby substituirá Peter Florence na presidência do júri, que este ano incluirá o escritor Lee Child, o crítico Sameer Rahim, o locutor de rádio Lemn Sissay e a classicista e tradutora Emily Wilson.

“Há mais de meio século que o Booker Prize saúda a escrita brilhante e provocadora. Sinto-me honrada e deleitada por este desafio e pela oportunidade de contribuir para o processo de escolha juntamente com um painel incrível”, afirmou Margaret Busby, citada em comunicado.

Nos próximos meses, o painel de jurados irá analisar os melhores trabalhos de ficção longa publicados no Reino Unido entre 1 de outubro de 2019 e 30 de setembro de 2020. A primeira lista de nomeados será revelada em julho e a segunda, composta por seis nomes, em setembro. O grande vencedor do prémio com um valor pecuniário de 50 mil libras será revelado, como é costume, numa cerimónia organizada no Guildhall, em Londres, a 27 de outubro.

No ano passado, o Booker Prize foi atribuído pela primeira vez a duas obras, The Testaments, de Margaret Atwood, e Girl, Woman, Other, de Bernardine Evaristo. A decisão do júri foi justificada com a impossibilidade de separar” as duas obras, premiando uma em detrimento da outra. Peter Florence assumiu a responsabilidade da opção, dizendo publicamente que foi escolha consciente do júri “desrespeitar as regras” e que “quanto mais falávamos [membros do júri] sobre eles [os livros], mais percebíamos que os adorávamos tanto que queríamos que ambos vencessem”.

Os dois romances serão publicados este ano em Portugal. The Testaments será editado em português com o título Os Testamentos pela Bertrand, em março, um mês depois de ser lançado pela mesma editora a novela gráfica de A História de uma Serva. Girl, Woman, Other sairá pela Elsinore, em junho.