434kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

"Dear Basketball". A curta de animação que valeu um Óscar polémico a Kobe

Este artigo tem mais de 2 anos

Kobe Bryant escreveu, produziu e narrou "Dear Basketball", que em 2018 lhe valeu o Óscar de Melhor Curta Metragem de Animação. Mas em pleno #MeToo, e tendo sido acusado de abuso, houve polémica.

Um frame da Curta Metragem de Animação "Dear Basketball"
i

Um frame da Curta Metragem de Animação "Dear Basketball"

Um frame da Curta Metragem de Animação "Dear Basketball"

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Em 2018, Kobe Bryant venceu o Óscar de Melhor Curta Metragem de Animação com “Dear Basketball”. O filme é produzido e narrado pelo próprio basquetebolista, que também é um dos criadores do guião, e foi realizado por Glen Keane. Mas não foi um prémio bem aceite na cerimónia de Hollywood.

Bryant tinha sido preso em 2003 por alegado abuso sexual em 2003 e apesar de ter sido ilibado, as reações de indignação foram muitas. O basquetebolista foi acusado por uma empregada de um hotel  Colorado de ter sido abusada, Bryant foi detido, mas afirmou sempre que a relação com a jovem de 19 tinha sido consensual. Depois a vítima optou por não ir a tribunal e chegou a acordo extra-judicial.

Mas numa cerimónia marcada pelo #MeToo e pelas muitas referências ao combate ao assédio sexual, o Óscar para Kobe foi visto quase como uma provocação, levando a várias e duras críticas nas redes sociais, Houve mesmo comparações com Harvey Weinstein e vivas a Hollywood

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.