Já são conhecidos todos os finalistas da edição de este ano do Festival da Canção, concurso musical organizado anualmente pela RTP que elege o representante de Portugal no Festival Eurovisão da Canção.

A segunda semifinal decorreu este sábado — foi transmitida em direto pela estação pública — e apurou mais quatro finalistas do concurso, que se juntaram a Tiago Nacarato e Bárbara Tinoco, Marta Carvalho e Elisa, Filipe Sambado e Throes & The Shine, apurados na semifinal anterior.

Os finalistas, que vão apresentar-se na grande final do Festival da Canção em Elvas, no próximo sábado, 7 de março, são escolhidos por júri (composto por várias figuras ligadas ao meio musical português) e público. Conheça os oito candidatos à sucessão de Conan Osiris como representante de Portugal na Eurovisão:

Autor: Jimmy P
Intérprete: Jimmy P
Canção: “Abensonhado”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os genes talvez o levassem para futebolista, já que o pai, Jorge Plácido (nascido em Angola), foi futebolista e até internacional português. Joel Plácido, assim é o seu nome de batismo, até experimentou os relvados, mas trocou o chamado “desporto-rei” pela música. Nascido no Barreiro, viveu também em Paris e no Porto.

Foi ainda em França que descobriu o hip-hop, que haveria de ser ponto de partida para um início de carreira que hoje está mais do que consolidada e que incorpora também as sonoridades da pop e do R&B. O tema que compôs para o Festival da Canção, “Abensonhado”, faz parte do seu quarto álbum de originais, editado este ano. Mais: dá título ao álbum de Jimmy P, que neste mês de fevereiro celebrou dez anos de carreira. É ainda autor de canções como “Ano Novo” (uma colaboração com Deejay Telio), “Entre as Estrelas” (dueto com Diogo Piçarra), “Kill’em All” — colaboração com o grupo de hip-hop Wet Bed Gang —, “Contigo”, que gravou com Carolina Deslandes, e “Os Melhores Anos”, canção com o rapper Valete.

Autor: Pedro Jóia
Intérprete: Tomás Luzia
Canção: “Mais Real Que o Amor”

O compositor de “Mais Real Que o Amor”, Pedro Jóia, é um dos mais reputados e consolidados músicos e guitarristas do panorama nacional. Passou pela Academia dos Amadores de Música (onde começou a estudar guitarra, ainda com sete anos) e estudou também no Conservatório Nacional. Versou-se em guitarra clássica e guitarra flamenca, tocou com músicos brasileiros como Ney Matogrosso e Gilberto Gil, colaborou com Mariza e teve vários projetos nos últimos anos como o Quarteto Arabesco, Resistência e Pedro Jóia Trio.

Para interpretar o seu tema “Mais Real Que o Amor”, Pedro Jóia convidou o jovem cantor Tomás Luzia. Nascido em 2002, tem 17 anos mas chegará à maioridade em abril. O intérprete revelou ao Sapo Mag que tem como inspirações cantores como Adele e Bruno Mars, que estudou música — nomeadamente saxofone — antes de começar a cantar num coro e que está agora a terminar o ensino secundário mas que pretende ser cantor e exprimir-se artisticamente através da música. Ao site Festivais da Canção, contou que também gosta de teatro e que é filho de Fernando Araújo, que teve como nome artístico Yami Aloelela e que chegou também a participar no Festival da Canção, nos anos 1990, com o grupo Safari. “É o início de algo que quero que seja a minha vida no futuro. Tenho apenas 17 anos e sinto que tenho uma sorte gigante por ter esta oportunidade”, contou ainda ao mesmo site.

Autor: Dino D’Santiago
Intérprete: Kady
Canção: “Diz Só”

O autor da música é bem mais conhecido do que a intérprete: Dino D’Santiago, cantor de ascendência cabo-verdiana nascido em Quarteira, no Algarve — que até já deu a cara por um novo festival relacionado com esta localidade algarvia, o Sou Quarteira —, começou a carreira nos universos hip-hop, soul e R&B, colaborando com rappers nacionais. No início dos anos 2000, passou pelo concurso musical Operação Triunfo. Enquanto cantor integrou projetos como os Nu Soul Family e os Expensive Soul, mas a sua imposição na música portuguesa aconteceu recentemente e a solo, após a edição do álbum Mundu Nôbu, em 2018, que lhe valeu atenção internacional. Desde aí já editou o EP (mini-álbum) Sotavento, em 2019, e serviu quase como cicerone da nova música portuguesa e da “Nova Lisboa”, que canta numa colaboração com o produtor musical Branko, para a norte-americana Madonna.

Dino D’Santiago escolheu Kady para interpretar o tema que compôs para o Festival da Canção, “Diz Só”, cuja letra foi escrita por Kalaf, antigo membro dos Buraka Som Sistema. Caboverdiana, nascida na Cidade da Praia, Kady lançou o seu primeiro álbum em 2016. Segundo conta o jornal Público, “é filha de uma das fundadoras do grupo [caboverdiano] Simentera, a cantora (também professora) Terezinha Araújo”, estudou nos EUA, aprendeu jazz e já cantou a solo e em crioulo estilos musicais como a “soul, hip-hop ou funk”, além do já mencionado jazz.

Autor: Elisa Rodrigues
Intérprete: Elisa Rodrigues
Canção: “Não Voltes Mais”

O primeiro álbum de Elisa Rodrigues como cantora, Heart Mouth Dialogues, foi lançado em 2011 e revelou-a desde logo como uma voz forte do panorama jazzístico nacional, capaz de interpretar com o seu cunho pessoal algumas canções maiores deste género musical. O primeiro álbum com canções originais demorou a chegar, mas por uma boa razão: Elisa Rodrigues foi convidada para cantar num álbum do grupo britânico These New Puritans, editado em 2013, e prosseguiu depois com o grupo como convidada e cantora em digressões da banda pelo mundo.

Em 2018, Elisa Rodrigues editou o seu primeiro álbum de canções originais. Produzido por Luísa Sobral e com sonoridades do jazz e blues, sobretudo, mas também da canção pop-rock, As Blue As Red era cantado maioritariamente em inglês. Já aí, porém, Elisa Rodrigues deixara sinais de que também poderia vir a cantar em português, interpretando um tema composto por Pedro da Silva Martins, “Vai Não Vai”, que acabou mesmo por ser uma das canções mais populares do álbum. Agora, a intérprete que também já é compositora e que em 2018 foi escolhida pelo Observador como uma das revelações femininas da música portuguesa do primeiro semestre desse ano compôs “Não Voltes Mais” para o Festival da Canção e decidiu interpretar o tema.

Autor: Tiago Nacarato
Intérprete: Bárbara Tinoco
Canção: “Passe-Partout”

Bárbara Tinoco é uma jovem cantora e compositora lisboeta que deu que falar pela sua participação na fase de casting do The Voice Portugal. Apesar de não ter conseguido ser apurada, a canção que apresentou no programa da RTP acabou por se tornar no seu primeiro single. “Antes Dela Dizer Sim” foi gravado no RF Estúdio e no Estúdio Zeco por Ricardo Ferreira, João Só e Nuno Simões.

O tema que Bárbara Tinoco apresentou nos estúdios da RTP, “Passe-Partout”, foi composto por Tiago Nacarato, músico que revelou o seu primeiro álbum de originais em 2019. Curiosamente, os dois estão nomeados este ano para artistas revelação da música nacional nos Play – Prémios da Música Portuguesa.

Autor: Marta Carvalho
Intérprete: Elisa
Canção: “Medo de Sentir”

Elisa Silva é outra jovem cantora de 20 anos. Natural da Madeira, começou a cantar “aos 7 anos, em festivais da escola” e a partir dos 13 começou “a levar a música mais a sério”, como contou ao Observador. O interesse pelo jazz levou-a a frequentar o curso do conservatório madeirense. Deu continuidade aos estudos musicais em Lisboa, na Escola Superior de Música, onde entrou em 2018. A artista está atualmente a preparar o primeiro álbum de originais, em colaboração com outros artistas nacionais.

A canção que interpretou na primeira semifinal do Festival da Canção, “Medo de Sentir”, foi composta por Marta Carvalho, cantora e compositora originária do Porto que passou pelo programa The Voice Portugal e que já revelou canções como “Deslizes”.

Autor: Filipe Sambado
Intérprete: Filipe Sambado
Canção: “Gerbera Amarela do Sul”

Parece impossível, mas Filipe Sambado conta quase com dez anos de carreira. O músico de 34 anos deu os primeiros passos no mundo da música em 2012, quando lançou o EP Isto Não É Coisa Pra Voltar a Acontecer. Felizmente, e ao contrário do que o título anunciava, Sambado voltou a acontecer, lançando o primeiro álbum, Ups… Fiz Isto Outra Vez, quatro anos depois. O disco de 2018, Filipe Sambado & Os Acompanhantes de Luxo, foi muito elogiado por quem lhe prestou atenção e acompanhou o nascer de uma identidade artística através da série de videoclips que lançou para o acompanhar.

A canção que levou ao Festival da Canção, “Gerbera Amarela do Sul”, composta por si, tem qualquer coisa de canção de intervenção de outros tempos e outros festivais, que contrasta fortemente com a imagem arrojada de Sambado em cima do palco. O cantor e compositor lançou em janeiro um novo álbum.

Autor: Throes + The Shine
Intérprete: Throes + The Shine
Canção: “Movimento”

Os Throes + The Shines são um trio da cidade do Porto que mistura kuduro, eletrónica e rock. Surgidos em 2011, lançaram o primeiro álbum de originais, Rockduro, em 2012. Contam atualmente com quatro discos e uma história marcada com algumas mudanças na formação. O último, Enza, contou com a participação de artistas como Cachupa Psicadélica, Mike El Nite, Selma Uamusse e Sotomayor.