Banksy voltou a fazer das suas. O furtivo artista cuja identidade continua a ser um mistério conseguiu fazer-se passar por técnico de desinfeção do metro de Londres para pintar um novo mural numa carruagem. Num vídeo partilhado na sua conta de Instagram vê-se que Banksy pintou um mural onde várias ratazanas aparecem a interagir com equipamentos de proteção pessoal como máscaras e álcool gel.

Só que foi sol de pouca dura. A obra já foi apagada devido à política anti-graffiti da empresa que gere o metropolitano londrino. Apesar disso, a Transport for London (TfL) diz que Banksy está convidado a pintá-la de novo, mas desta vez num “local apropriado”.

“Apreciamos a vontade de encorajar as pessoas a usar a máscara de proteção, o que a maioria dos nossos utilizadores já usa”, refere um porta-voz da empresa de transportes.

O dito vídeo mostra ainda como o artista vestiu um colete refletor, um macacão branco, óculos e uma máscara de forma a passar despercebido. Caminhou pelos corredores, passou por dezenas de pessoas e finalmente entrou numa carruagem, munido de uma espécie de mochila pulverizadora de desinfetante que, em vez de ter a solução alcoólica, tinha tinta.

View this post on Instagram

. . If you don’t mask – you don’t get.

A post shared by Banksy (@banksy) on

Na sua conta no Instagram, juntamente com o vídeo, surge uma frase enigmática: “If you don’t mask – you dont get”, um trocadilho em inglês. No final do vídeo surge outra mensagem que o artista pintou nos corredores do metro: “Estive em lockdown” mas “levantei-me outra vez”.

Esta nova obra surge num momento em que as autoridades do Reino Unido estão a repensar as diretrizes oficiais sobre a obrigação de utilizar ou não máscara de proteção individual — há uma vontade por parte do governo de Boris Johnson de aligeirar as imposições de utilização.

(Notícia atualizada às 10h42 de 15 de julho com a informação de que a obra foi apagada)