O Metropolitano de Lisboa vai investir 2,9 milhões de euros na modernização do sistema automático de deteção de incêndios e mais de 161 mil euros para equipar as máquinas automáticas de venda de títulos com “tecnologia sem contacto”.

Em comunicado, o Metro de Lisboa refere que, com a conclusão da instalação do Sistema Automático de Deteção de Incêndios — SADI na estação dos Olivais, efetuada no âmbito das obras de requalificação aí realizadas, “o sistema encontra-se agora instalado em todas as estações”.

Segundo a empresa, o SADI permite avisar rapidamente os serviços competentes da existência de um foco de incêndio e desencadear automaticamente as ações previstas para evitar a sua propagação.

Agora está prevista a modernização do sistema nas estações, parques de material e oficinas e instalações administrativas “em que o mesmo já se encontra obsoleto”, num investimento global de 2,9 milhões de euros, dos quais cerca de 607 mil euros são comparticipados pelo Fundo Ambiental. Na estação dos Olivais, a instalação do SADI representou um investimento de mais de 77 mil euros.

Ainda de acordo com o Metro de Lisboa, relativamente às obras de requalificação da estação dos Olivais, que se iniciaram em fevereiro de 2019 e representaram um investimento total de 3,9 milhões de euros, foram realizados trabalhos de “correção de patologias nas infraestruturas e a renovação de alguns equipamentos”, nomeadamente a reparação de infiltrações em praticamente todas as zonas da estação, renovação dos tetos das abóbadas do cais e a reabilitação dos painéis de azulejos.

Além disso, as duas escadas mecânicas de ligação entre o cais e o átrio e as portas dos três elevadores da estação foram substituídas e foi renovado o sistema de iluminação das zonas públicas para iluminação LED, de baixo consumo.

A substituição da iluminação, agora efetuada na estação Olivais, ao nível do cais e dos acessos, já permitiu uma redução da potência instalada de 126,175 kW, o que significa uma redução de 299 toneladas de CO2eq. anual”, lê-se na nota do Metropolitano, acrescentando-se que, atualmente, 17 das 56 estações já dispõem de sistema de iluminação LED.

Relativamente ao investimento realizado para equipar as máquinas automáticas de venda de títulos de transporte com “tecnologia sem contacto”, a empresa adianta que está disponível nas 285 máquinas existentes.

Assim será possível fazer pagamentos de títulos através de “QR-Code e da aplicação bancária MBWay, de telemóvel e de cartões bancários que disponham dessa tecnologia”.

Este ‘upgrade’, efetuado em todas as máquinas, contou com um investimento total de 161,3 mil euros”, acrescenta o Metro de Lisboa.