Histórico de atualizações
  • Vamos encerrar por aqui este artigo liveblog, que seguiu a atualidade relacionada com a pandemia de Covid-19 ao longo do dia de ontem, quinta-feira.

    Continue, por favor, a acompanhar-nos nesta nova ligação.

    Berlim. Não-vacinados podem ser proibidos de ir às feiras de Natal

    Muito obrigado!

  • Relatório do Tribunal de Contas. Crianças e jovens têm sido os mais atingidos pelo impacto da pandemia

    Relatório do Tribunal de Contas analisa Políticas Públicas na Educação e conclui que pandemia teve efeito nefasto. Faz ainda uma comparação com a demografia: há menos pessoas e menos estudantes.

    Relatório do Tribunal de Contas. Crianças e jovens têm sido os mais atingidos pelo impacto da pandemia

  • Governo da Guiné-Bissau torna vacina obrigatória para estabelecimentos de ensino e transportes

    O Governo da Guiné-Bissau decretou hoje o estado de alerta na saúde pública e a obrigatoriedade de vacinação para professores, funcionários e estudantes do ensino superior e circulação nos transportes públicos rodoviários e fluviais.

    “A duração do presente estado de alerta é de noventa dias com início às 00h00 de 29 de outubro e término às 23h59 de 29 de janeiro, sem prejuízo de reavaliação da situação ao longo da vigência, se as circunstâncias assim o determinarem”, refere o decreto enviado à imprensa.

    O decreto impõe a mesma medida para a circulação em transporte público rodoviário ou fluvial para passageiros e condutores ou pilotos.

  • Fiocruz e AstraZeneca acordam produção de 60 milhões vacinas em 2022

    A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), vinculada ao Governo brasileiro, e a farmacêutica AstraZeneca assinaram hoje, no Reino Unido, um compromisso para a produção de 60 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 em 2022.

    A declaração conjunta entre a Fiocruz e a AstraZeneca diz respeito à aquisição do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), consumível biológico essencial para a produção do imunizante, informou hoje a Fundação brasileira, um dos principais centros de investigação médica da América Latina.

    O compromisso firmado pelas instituições visa garantir disponibilidade de doses da vacina ainda no primeiro semestre do próximo ano.

  • Angola com 100 novos casos e dois óbitos nas últimas 24 horas

    Angola registou 100 novos casos de Covid-19, dois óbitos e 64 recuperações da doença, nas últimas 24 horas, informaram hoje as autoridades sanitárias.

    Segundo o boletim epidemiológico da Direção Nacional de Saúde Pública, metade das novas infeções foram registadas em Luanda, capital de Angola.

    Angola contabiliza 64.226 casos positivos, 1.705 óbitos, 53.180 recuperados da doença e 9.341 ativos, dos quais oito se encontram em estado crítico, 10 graves, 45 moderados, 38 leves e 9.240 assintomáticos.

    Estão internados 101 doentes, em quarentena institucional 94 pessoas e sob vigilância epidemiológica 4.037 contactos.

  • Espanha com 2.212 novos casos e 33 mortes nas últimas 24 horas

    A Espanha registou nas últimas 24 horas 2212 novos casos de Covid-19 e mais 33 mortes, segundo dados do Ministério da Saúde.

    No total, morreram no país 87.322 pessoas desde o início da pandemia.

    A incidência da doença a 14 dias subiu ligeiramente, para 49,6 casos por cada 100.000 habitantes (mais 0,3 décimas que no dia anterior), pelo que Espanha se mantém perto de passar a risco médio, um limite estabelecido quando a transmissão oscila entre 50 e 150 casos por 100.000 habitantes.

    Entretanto, continua a descer a pressão sobre as unidades de cuidados intensivos (UCI) dos hospitais, que passou de 4,62% para 4,53%, com 413 doentes (menos oito que no dia anterior).

  • Madeira regista 22 novos casos e um total de 132 infeções ativas

    A Madeira sinalizou hoje 22 novos casos de Covid-19 e dez recuperações, indicou a Direção Regional da Saúde, referindo que o total de infeções ativas no arquipélago é agora de 132, com dois doentes hospitalizados.

    A Madeira passa a contabilizar 12.036 casos confirmados de infeção por SARS-CoV-2 desde o início da pandemia, 11.827 recuperados e um total de 77 óbitos associados à doença.

    Os dados da autoridade regional coincidem com os apresentados hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), que também atribui à região autónoma 22 novos casos, mas diferem no total.

    A DGS contabiliza 12.629 infeções e 74 mortes devido à doença desde março de 2020.

  • Mais 12 casos positivos e 55 recuperações em Cabo Verde

    Cabo Verde registou mais 12 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas e 55 pessoas foram dadas como recuperadas da doença, informou hoje o Ministério da Saúde.

    Num total de 365 resultados recebidos dos laboratórios, o ministério cabo-verdiano adiantou que há 12 casos novos, dando uma taxa de positividade de 3,3%.

    Os novos infetados foram reportados na Praia (três), São Vicente (três), Maio (três), e um cada em Porto Novo, Ribeira Brava e Tarrafal de São Nicolau.

    Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde deram alta a mais 55 pessoas, aumentando para 37.636 casos recuperados da infeção respiratória.

  • OMS diz que situação da pandemia em Portugal prova a eficácia das vacinas

    A organização diz que a vacinação por si só “não é suficiente para acabar com a pandemia” e “aconselha fortemente” a adoção das restantes medidas de prevenção contra a Covid-19.

    OMS diz que situação da pandemia em Portugal prova a eficácia das vacinas

  • Estudo aponta pico de carga viral similar entre vacinados e não vacinados

    Segundo o estudo, o pico da carga viral entre as pessoas vacinadas foi similar ao registado entre as pessoas não vacinadas, explicando o elevado número de casos em países com altas taxas de vacinação.

    Estudo aponta pico de carga viral similar entre vacinados e não vacinados

  • Gouveia e Melo: "Todos os malucos que acham que o vírus não faz mal" são também "inimigos"

    O vice-almirante diz que “a comunicação foi a parte mais importante” para o sucesso da vacinação em Portugal e recordou o episódio em que um grupo de negacionistas o insultou.

    Gouveia e Melo: “Todos os malucos que acham que o vírus não faz mal” são também “inimigos”

  • Moçambique anuncia sete casos, sem registo de mortes

    Moçambique registou hoje sete novos casos de infeção pelo novo coronavírus, sem registo de óbitos pelo segundo dia consecutivo, anunciou o Ministério da Saúde no boletim diário sobre a pandemia.

    Moçambique tem um total acumulado de 1.929 mortos e 151.260 casos, dos quais 98% recuperados e oito internados.

    O Ministério da Saúde avançou ainda que o país tem 145 casos ativos da doença. Um total de 938.672 casos suspeitos foram testados no país, 1.295 dos quais nas últimas 24 horas.

  • OMS pede 23,4 biliões de dólares para plano que quer evitar cinco milhões de mortes

    A Organização Mundial da Saúde solicitou hoje um financiamento global de 23,4 biliões de dólares (cerca de 20 mil milhões de euros) para apoiar os países menos desenvolvidos a combater a pandemia, permitindo evitar cinco milhões de mortes.

    Até agora, segundo os dados da OMS, apenas 0,4% dos testes e 0,5% das vacinas administradas em todo o mundo foram utilizadas em países de baixo rendimento.

    O financiamento previsto permitirá, de acordo com o plano estratégico da ACT-Accelerator (ACT-A), apoiar a vacinação em 91 países de baixo rendimento, através do mecanismo Covax, contribuindo para atingir a meta global definida pela OMS de uma cobertura de 70% em todos os países até meados de 2022.

    Até agora, o ACT-A já entregou mais de 425 milhões de doses de vacina a 144 países e territórios, através do Covax, reduziu para metade o custo dos testes rápidos da Covid-19 e disponibilizou mais de 128 milhões de testes.

  • Boletim DGS. Duas mortes no Centro e em Lisboa e Vale do Tejo

    Das cinco mortes registadas nas últimas 24 horas, duas ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo e duas na região Centro. Uma pessoa também morreu no Alentejo.

    Relativamente aos óbitos, morreu um homem entre os 60-69 anos, um homem entre os 70-79 anos, um homem e duas mulheres com idade superior a 80.

    Na distribuição de casos por faixas etárias, o boletim mostra que a faixa etária dos 20 aos 29 anos continua a ser aquela que mais casos positivos regista, sendo responsável por cerca de 18% do total.

    • 0-9 anos: 51 do sexo masculino e 38 do sexo feminino;
    • 10-19 anos: 47 do sexo masculino e 31 do sexo feminino;
    • 20-29 anos: 98 do sexo masculino e 59 do sexo feminino;
    • 30-39 anos: 70 do sexo masculino e 56 do sexo feminino;
    • 40-49 anos: 58 do sexo masculino e 79 do sexo feminino;
    • 50-59 anos: 47 do sexo masculino e 66 do sexo feminino;
    • 60-69 anos: 40 do sexo masculino e 42 do sexo feminino;
    • 79-79 anos: 33 do sexo masculino e 31 do sexo feminino;
    • Mais de 80 anos: 12 do sexo masculino e 29 do sexo feminino.

  • Boletim DGS. Lisboa e Vale do Tejo concentra cerca de 42% das infeções

    Tal como no boletim de ontem, Lisboa e Vale do Tejo continua a registar o maior número de casos. Nas últimas 24 horas, foram reportados mais 370 infeções por Covid-19, o que corresponde a aproximadamente 42% do total nacional.

    Segue-se a região Norte com 221 infeções nas últimas 24 horas, uma descida face às 201 registadas ontem, correspondendo a cerca de 25% do total nacional.

    A restante distribuição geográfica apresenta a seguinte forma:

    • Centro com 176 infeções;
    • Algarve com 51;
    • Alentejo com 35;
    • Madeira com 22;
    • Açores com 13.

  • Boletim DGS. Há mais 671 recuperados e 212 casos ativos

    Neste momento, existem em Portugal 31.455 casos ativos de -19, uma subida de 212 face a ontem.

    Um total de 671 pessoas recuperaram da doença nas últimas 24 horas, o eleva o número de total de recuperados, desde o início da pandemia, para 1.038.529.

  • Boletim DGS. Ligeiro aumento dos internados, mas redução nos cuidados intensivos

    O boletim da DGS dá conta de uma relativa estagnação no número de doentes mais graves, ou seja, aqueles que necessitam de internamento hospitalar.

    Há 318 pessoas internadas em enfermarias (mais duas do que ontem) e 60 em cuidados intensivos (menos uma do que ontem).

  • Boletim DGS. Diagnosticados 888 novos casos em dia com mais cinco mortes por Covid-19

    Foram diagnosticados 888 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com o boletim divulgado agora mesmo pela Direção-Geral da Saúde, que dá conta também de mais cinco mortes provocadas pela doença.

  • AHRESP pede mais apoios ao turismo e restauração porque "esmagadora maioria" acabou

    A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) pediu esta quinta-feira ao Governo mais apoios ao setor do turismo, restauração e similares, para fazer face à crise pandémica, uma vez que a “esmagadora maioria” das medidas já terminou.

    “Nesta fase de início da recuperação da atividade, que coincide com a típica época baixa do setor, a esmagadora maioria das medidas de apoio já foi retirada”, começa por apontar a associação, no seu boletim diário.

    Neste contexto, “a AHRESP apela para que o Governo continue a apoiar as empresas do alojamento turístico, restauração e similares, para que possam aguentar os meses que se avizinham e estar disponíveis para dar resposta à retoma da atividade turística, que se espera poder acontecer entre o segundo e terceiro trimestre de 2022″, acrescentou.

  • Comissário chinês em Macau defende cooperação com ONU para enfrentar "pandemia do século"

    O comissário do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) da China em Macau, Liu Xianfa, defendeu esta quinta-feira a importância da cooperação com as Nações Unidas, numa altura em que o mundo atravessa “a pandemia do século”.

    “Numa altura em que o mundo atravessa mudanças turbulentas sem precedentes e a pandemia do século, é mais importante do que nunca que a comunidade internacional dê as mãos para enfrentar os desafios e alcançar um desenvolvimento comum”, apontou Xianfa, defendendo a importância de “praticar um multilateralismo genuíno” e “apoiar firmemente as Nações Unidas no desempenho do seu papel central”.

    Liu Xianfa falava na abertura de um seminário organizado em Macau para assinalar o 50.º aniversário do reconhecimento da República Popular da China pela Organização das Nações Unidas (ONU).

1 de 3