Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Vamos encerrar por aqui este artigo liveblog, que seguiu a atualidade relacionada com a pandemia de Covid-19 ao longo do dia de ontem, sexta-feira.

    Hipótese de coronavírus ser bioarma é “cientificamente inválida”, afirmam os serviços secretos dos EUA

    Continue, por favor, a acompanhar-nos nesta nova ligação. Muito obrigado!

  • Pandemias são ameaça à segurança global e exigem respostas conjuntas, considera Durão Barroso

    Uma doença infeciosa não pode ser combatida com contramedidas de segurança habituais, como sanções económicas, diz Durão Barroso. “Exige a colaboração científica e sistemas de saúde resilientes.”

    Pandemias são ameaça à segurança global e exigem respostas conjuntas, considera Durão Barroso

  • Angola regista dois óbitos e 75 novos casos nas últimas 24 horas

    Angola registou duas mortes associadas à Covid-19 e 75 casos de infeção pelo novo coronavírus, além de 50 recuperados, nas últimas 24 horas, anunciou hoje a ministra da Saúde angolana.

    Sílvia Lutucuta disse que, do total de novas infeções, Luanda registou 30, seguindo-se o Huambo com 21, Uíje com dez, Cabinda com oito, Cuando Cubango com dois, Zaire com igual número, Cuanza Sul com um caso e Namibe com o mesmo número, com idades entre 02 e 90 anos.

    “Temos a lamentar dois óbitos em Luanda, um do sexo masculino e outro do sexo feminino, de 56 e 78 anos”, referiu a ministra.

  • Atual diretor-geral da OMS poderá ser reconduzido por mais cinco anos

    A votação só acontece em maio de 2022 e a tomada de posse em agosto, mas os candidatos a líder da Organização Mundial de Saúde já são conhecidos: Tedros Adhanom Ghebreyesus foi o único nomeado.

    Atual diretor-geral da OMS poderá ser reconduzido por mais cinco anos

  • Tonga regista primeiro caso de Covid-19 desde o início da pandemia. E pode entrar já em confinamento

    Os alarmes soaram em Tonga após ter sido detetado o primeiro caso de Covid-19, sendo que um confinamento pode entrar em vigor já segunda-feira. Passageiro que vinha da Nova Zelândia testou positivo.

    Tonga regista primeiro caso de Covid-19 desde o início da pandemia. E pode entrar já em confinamento

  • Angola vai retomar ligação aérea com o Brasil suspensa devido à pandemia

    Angola vai retomar a ligação aérea com o Brasil, com uma frequência semanal, que se encontrava temporariamente interrompida devido à pandemia da Covid-19, informou hoje o Governo angolano.

    O anúncio foi hoje feito pelo coordenador da Comissão Multissetorial de Combate à Covid-19, Francisco Furtado, quando apresentava o novo Decreto Presidencial sobre o estado de Calamidade Pública, que no essencial traz as mesmas medidas do diploma anterior, que termina às 23:59 do dia 30 do mês em curso.

  • Cabo Verde com mais 16 infetados em 24 horas

    Cabo Verde registou 16 infetados com o novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 38.197 o acumulado de casos desde março de 2020, divulgou hoje o Ministério da Saúde.

    De acordo com o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, os laboratórios de virologia do arquipélago processaram 615 amostras desde quinta-feira, com uma taxa de positividade global para o novo coronavírus de 2,6%.

    No concelho da Praia, capital e principal foco da pandemia de Covid-19 no país, foram registados mais cinco infetados nas últimas 24 horas (em 138 amostras, taxa de positividade de 3,6%), contando agora com 43 casos ativos.

  • Madeira tem 131 casos ativos e 12 novos infetados

    As autoridades da Madeira têm identificados 131 casos ativos de Covid-19 na região e sinalizaram 12 novos infetados nas últimas 24 horas, refere o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção Regional da Saúde (DRS).

    No documento é apontado que a região soma um total de 12.048 casos confirmados de infeção por SAR-CoV-2 desde o início da pandemia.

    Sobre os novos casos reportados, menciona que apenas um é importado do Reino Unido, sendo os restantes de transmissão local.

  • FDA aprova vacinas contra a Covid-19 para crianças dos 5 aos 11 anos

    A autoridade do medicamento norte-americana (FDA) autorizou hoje a administração de vacinas contra a Covid-19 a crianças dos 5 aos 11 anos, avançou o The Wall Street Journal.

    De acordo com a FDA, as crianças vão receber o equivalente a um terço da dose de um adulto em duas doses da vacina da Pfizer (a única farmacêutica autorizada) com um intervalo de três semanas.

    Um comité de especialistas independentes já tinha recomendado a administração de vacinas a crianças, alegando que os benefícios superam os riscos.

    Contudo, a decisão ainda não é final, faltando a deliberação final do Centro de Prevenção e Controlo de Doenças.

  • Pandemias são ameaça à segurança global e exigem respostas conjuntas, considera Durão Barroso

    A Covid-19 demonstrou que as pandemias são uma nova ameaça à segurança global, defende o presidente da Aliança Global das Vacinas, Durão Barroso, que exortou os governos a adotarem respostas conjuntas, começando pela vacinação.

    O alerta foi deixado num artigo publicado esta sexta-feira no site “Project Syndicate” pelo ex-presidente da Comissão Europeia e antigo primeiro-ministro português, que lidera agora a Aliança Global das Vacinas (GAVI).

    “Para evitar que a história se repita, a nossa preparação deve refletir a verdadeira extensão do problema. Temos de reconhecer que as pandemias representam agora uma das maiores — e mais prováveis — ameaças à segurança global”, escreve Durão Barroso.

  • África revê em baixa número de mortes e regista 4.926 novos casos nas últimas 24 horas

    África reviu em baixa o número de mortes associadas à Covid-19 (menos 783), para 218.020 óbitos desde o início da pandemia, e registou 4.926 novos casos de infeção, nas últimas 24 horas, segundo dados oficiais.

    Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o total acumulado de casos de infeção pelo SARS-CoV-2 no continente desde o início da pandemia é agora de 8.488.481 e o de recuperados é de 7.887.960.

    Quanto aos óbitos, esta organização tinha indicado, na quinta-feira, um total de 218.803, mas os números desta sexta-feira apontam 218.020 mortes relacionadas com a Covid-19.

  • Linhas vermelhas. Mortalidade específica por Covid desce 19%

    É o único indicador que abranda. A mortalidade específica por Covid-19 registou 7,6 óbitos por milhão de habitantes a 14 dias, uma diminuição de 19% em relação à semana anterior (9,4 por milhão), o que revela uma tendência estável a decrescente nas últimas semanas.

  • Linhas vermelhas. Próxima semana será decisiva para perceber se crescimento terá impacto na pressão nos serviços de saúde

    A pandemia mantém intensidade reduzida, como na última semana, mas a tendência passou de estável para crescente. No relatório de monitorização das linhas vermelhas, DGS e Insa deixam um alerta: a próxima semana servirá para perceber se houve inversão de tendência e se é expectável que a pressão seja sentida nos serviços de saúde.

    “A pressão nos serviços de saúde e o impacto na mortalidade são reduzidos, mas com possível inversão de tendência e início de fase de crescimento nos internamentos em UCI”, lê-se no documento. “A avaliação na próxima semana servirá para confirmar a possível inversão de tendência e início de fase de crescimento com impacto na pressão nos serviços de saúde.”

  • Linhas vermelhas. Portugal pode chegar ao limiar dos 240 casos por 100 mil habitantes no espaço de um mês

    Se a pandemia mantiver o ritmo de crescimento atual, no espaço de um mês, no máximo, dois, Portugal pisa uma das linhas vermelhas da pandemia, ultrapassando os 240 casos por 100 mil habitantes a 14 dias (taxa de incidência).

    Segundo o relatório da DGS e do Insa, o R(t) — índice de transmissibilidade — apresenta um valor igual ou superior a 1 em Portugal, indicando uma tendência crescente da incidência a nível nacional (1,08) e na maioria das regiões. A única exceção é o Alentejo, com uma tendência estável (0,98).

    “A manter esta taxa de crescimento, a nível nacional, estima-se que o limiar de 240 casos em 14 dias por 100.000 habitantes possa ser ultrapassado em 1 a 2 meses”, lê-se no documento.

  • Linhas vermelhas. Todos os indicadores da pandemia subiram, exceto mortalidade

    Taxa de incidência, R(t), proporção de positividade e incidência em maiores de 65 anos. Em relação à semana passada, todos os indicadores aumentaram, revela a monitorização das linhas vermelhas da pandemia, da responsabilidade da DGS e do Insa.

    O mesmo aconteceu com as notificações em atraso, o isolamento e rastreamento, e a ocupação em unidades de cuidados intensivos. A única exceção é a taxa de mortalidade, que revela uma tendência estável a decrescente deste indicador.

    Fonte: DGS/Insa

  • Autarca de São Teotónio diz que vacinação foi “aspeto positivo” da cerca sanitária

    O presidente da Junta de Freguesia de São Teotónio, em Odemira, Dário Guerreiro, apontou hoje o incremento da vacinação contra a covid-19 como um dos aspetos positivos da cerca sanitária decretada pelo Governo, há seis meses.

    “Nem tudo o que aconteceu durante a cerca foi negativo, também houve coisas positivas, como a vacinação contra a Covid-19, devido ao problema do grande número de migrantes que estava a chegar e dos casos que estavam a surgir”, afirmou, em declarações à agência Lusa.

    De acordo com o autarca, além do incremento da vacinação contra a covid-19 que, naquele território, “funcionou bem”, também se assistiu a um “alívio” das “situações um bocadinho duvidosas” que existiam no território.

  • Autarca de Longueira-Almograve diz que “nada mudou” seis meses após cerca sanitária

    A autarca de Longueira-Almograve, no concelho de Odemira, Glória Pacheco, considerou hoje que “nada mudou” no território e defendeu a construção de mais habitação, seis meses após a cerca sanitária devido à elevada incidência de Covid-19.

    “Olhando para trás, continuo sem perceber os objetivos daquela cerca e parece-me que não mudou nada”, disse a presidente da junta de freguesia, em declarações à agência Lusa.

    Assinalando os seis meses desde que foi decretada a cerca sanitária nas freguesias de Longueira-Almograve e São Teotónio, a autarca disse notar apenas uma diferença: “Não vejo tantos grupos de imigrantes nas ruas”.

    “Eles continuam cá, mas, se calhar, não andam tanto em grupo na rua. Continuam nas mesmas casas, não temos mais casas na freguesia, porque não houve construção, portanto, não sei, sinceramente, o que mudou”, argumentou.

  • PS/Açores questiona Governo Regional sobre atrasos em apoios a empresas

    O grupo parlamentar do PS nos Açores pediu hoje ao Governo Regional justificações sobre “o atraso superior a cinco meses” no pagamento de apoios para compensar empresários da região por quebras de faturação relacionadas com a Covid-19.

    Em comunicado, o PS esclarece estarem em causa “apoios do Programa de Apoio aos Custos Operacionais 2020 (PACO 2020), que visa compensar os empresários da região pelas quebras de faturação” relacionadas com a pandemia.

    Num requerimento assinado pelos deputados Rui Anjos, Carlos Silva e Francisco César, os socialistas questionam “porque não foi prorrogado este programa de apoio para o primeiro semestre de 2021, uma vez que os empresários da região continuaram a ter quebras de receitas”.

  • Tonga regista primeiro caso de Covid-19 e pode entrar em confinamento

    Tonga registou hoje o primeiro caso de Covid-19 desde o início da pandemia. O país da Oceânia pode mesmo entrar em confinamento após a primeira infeção, trazida por um viajante da Nova Zelândia.

    De acordo com a Al Jazeera, o viajante veio num avião com mais 215 passageiros desde cidade neozelandesa de Christchurch. A equipa olímpica e alguns trabalhadores sazonais vinham também nesse voo.

    Siale ‘Akau’ola also, ministro da Saúde de Tonga, anunciou que todos aqueles que estiveram no aeroporto e não estavam vacinados terão de ficar em quarentena. Todos os habitantes foram ainda aconselhados a respeitar o distanciamento físico.

    Embora não tendo registado qualquer caso, 48% da população tem pelo menos uma dose da vacina e 31% duas doses.

    Com 106 mil habitantes, Tonga — um país formado por vários ilhas — tem seguido a estratégia Covid zero. As autoridades locais justificam-na por causa do sistema de saúde nacional precário.

  • Espanha regista 2.261 novos casos e 46 mortes nas últimas 24 horas

    A Espanha registou 2.261 novos casos de infeções de Covid-19 nas últimas 24 horas, tendo o Ministério da Saúde espanhol também notificado mais 46 mortes atribuídas à doença durante este período.

    O número total de casos registados no país desde o início da pandemia é de 5.011.148 e já morreram 87.368 pessoas devido à doença.

    A incidência acumulada de contágios subiu hoje ligeiramente, depois de vários dias sem tendência definida, tendo passado de 49,6 casos (quinta-feira) para 49,9 (hoje) por cada 100.000 habitantes diagnosticados nos últimos 14 dias.

1 de 3