Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Bom dia! Este liveblog encerra por aqui, mas vamos continuar a seguir a evolução da pandemia da Covid-19 em Portugal e no mundo aqui.

    Covid-19. Hospital de Portalegre abre inquérito a morte de doente que morreu em ambulância enquanto esperava

  • João Ferreira "compreende" endurecer de medidas e não descarta mais alterações à campanha

    Em constante “revisão”, os planos da caravana de João Ferreira poderão sofrer novas alterações em consequência das novas medidas que o Governo anunciou. O candidato presidencial disse “compreender” a posição do Governo em face das informações que o Executivo dispõe, insistiu na necessidade de reforçar os apoios sociais e diz que se for necessário fará alterações aos planos para os próximos dias.

    “A campanha já teve alterações profundas, mas estamos em constante avaliação anda em face das medidas que foram anunciadas. Vamos calibrando iniciativas, na esmagadora maioria já foram tidas em contas todas as exigências com a supressão, o cancelamento, a mudança e adoção de todas as medidas de proteção na saúde”, afirmou o candidato frisando a importância de esclarecer as populações para que as eleições “não passem ao lado”.

  • Marcelo admite fecho de universidades e reavaliar secundário conforme dados: "Vamos esperar para ver"

    Em entrevista à CMTV, esta noite, o candidato e Presidente falou na manutenção das escolas abertas, mas diz que no caso do ensino superior, as universidades e politécnicos estão em avaliações por isso não há aulas presenciais. “Problema diferente será quando voltarem ao ensino presencial se entretanto não achatarmos a curva”, detalhou de seguida deixando em aberto a hipótese de fechar as universidades no fim dos exames, caso a situação da pandemia ainda não estiver controlada.

    Já sobre o secundário, “o raciocínio foi: vamos ver durante estes 15 dias se há uma disseminação social. Porque fechar as escolas era liquidar este arranque de ano civil em termos de ano letivo. Vamos esperar para ver. Ainda não temos os números correspondentes a esta experiência. Veremos daqui a uma semana se, de facto, as escolas tiveram o desempenho que tiveram na fase anterior ou se pioraram. Se há um agravamento em termos de números na sociedade que possa ser atribuído às escolas”.

  • Waldschmidt e Luisão testam positivo à Covid-19

    Luca Waldschmidt testou hoje positivo à Covid-19. O avançado benfiquista foi testado antes do jogo com o Sp. de Braga, a contar para a Allianz Cup, avança o jornal desportivo a Bola.

    Gilberto e Everton também estão isolados devido à doença, ainda não se conhecendo o resultado do teste.

    Também Luisão, diretor técnico e performance do Benfica, testou positivo à Covid-19. E não foi o único elemento técnico a contrair a doença: também há três elementos da equipa técnica que estão com o novo coronavírus.

    Já se sabia que Mário Monteiro, preparador físico, Márcio Sampaio, recuperador físico, e Ricardo Antunes, médico, tinham testado positivo à Covid-19 antes da visita ao Dragão da passada sexta-feira.

    O Benfica tornou-se a equipa dos três grandes com mais casos de Covid-19.

  • Hospital de Portalegre. Idoso morre em ambulância enquanto esperava para ser atendido

    Um idoso com dificuldades respiratórias morreu hoje enquanto esperava para ser atendido numa ambulância nas imediações das Urgências do Hospital de Portalegre, noticia o CM.

    O homem não teve qualquer atendimento médico e acabou por morrer às 20h30, cerca de cinco horas depois de ser transportado pelos Bombeiros de Fronteira.

    Os médicos ainda tentaram socorrer o idoso, recorrendo a manobras de reanimação, mas o homem acabou mesmo por morrer.

  • "Vi o stock de sangue como nunca tinha visto". Álvaro Beleza alerta para a falta de reservas de sangue

    Álvaro Beleza, diretor do serviço de sangue do Hospital Santa Maria, revelou que as reservas de sangue estão a níveis mínimos em Portugal. Os tipos de sangue onde as reservas são mais críticas são os A+, A- e O- com folga de 4 a 7 dias. “Vi o stock de sangue como nunca tinha visto”, descreve.

    Para Álvaro Beleza, a pandemia e o confinamento estão na origem da falta de sangue nos hospitais: “Os dadores acanham-se um pouco. Estamos numa situação difícil, porque temos de continuar os doentes com cancro e com outras patologias”, disse na Edição da Noite, na SIC Notícias.

    A Covid-19 também veio afetar as reservas de sangue, principalmente no tipo A. Segundo alguns estudos, as pessoas com este tipo de sangue sofrem mais complicações decorrentes do novo coronavírus.

    Tendo em conta a situação que “levanta muita preocupação” — o médico diz mesmo que “nunca viu nada assim” –, Álvaro Beleza apela aos dadores se dirijam aos hospitais para dar sangue. E reforça a segurança do ato: “É seguro, é dos sítios mais seguros, os médicos têm todos os cuidados com os dadores”.

    Além disso, “não há nenhuma evidência que alguém possa contrair Covid-19 quando dá sangue“, afirma Álvaro Beleza, que também aponta que dar sangue “é uma das poucas exceções em que as pessoas devem sair de casa”.

    Neste momento, as reservas de sangue A+, A- e O- está com folga de 4 a 7 dias. As de O, B+ e AB- chegam para 7 dias. Já o tipo de sangue AB+ tem folga para 10 dias.

  • "É fácil bater nos políticos e nos cientistas, mas ponham a mão na consciência", diz Adalberto Campos Fernandes

    Apesar de compreender o cansaço da população portuguesa, Adalberto Campos Fernandes apelou ao cumprimento das medidas de restrição. “É fácil bater nos políticos e nos cientistas, mas ponham a mão na consciência”, sublinha o ex-ministro: “O que me custa muito é ver o peso que a mortalidade está a ter e ver Portugal neste primeiro lugar”.

    Mais tarde, o especialista pediu à “maioria” portuguesa que cumpre as medidas que sejam “especialmente exigentes” com a “minoria” que não a cumpre e, por isso, “está a desrespeitar a vida”.

  • "A democracia não pode ser desculpa" para manter eleições com a Covid-19

    Adalberto Campos Fernandes também não compreende a continuação das eleições presidenciais agendadas para o próximo domingo e desvaloriza o argumento de que a democracia deve prevalecer sobre o problema de saúde pública: “A democracia não pode ser desculpa porque a democracia também é respeito pela vida”, defende.

    O ex-ministro da Saúde diz acreditar que as campanhas presidenciais devem estar a ter pouca atenção da população portuguesa. “As pessoas genericamente aderem [às regras], mas estão exaustas”, justifica, acrescentando que os profissionais de saúde vivem um “desânimo”. Por isso é que “a preocupação dos candidatos devia ser visitar hospitais”.

  • "Se dependesse de mim, as escolas fechavam", diz ex-ministro da Saúde

    Adalberto Campos Fernandes, ex-ministro da Saúde e professor de saúde pública, recusou na TVI24 comparar a atuação que tomaria se ainda mantivesse a pasta governamental com a que está a ser seguida pelo executivo de António Costa.

    Mas admite: “Se dependesse de mim, as escolas fechavam, não teria esperado pelo dia 12 para a reunião do Infarmed para tomar medidas, não tinha tido a preocupação de ter um discurso tão macio”, aponta. Para Adalberto Campos Fernandes, o país deveria ter sido “mais efetivo, mais assertivo, tomar decisões mais cedo, mais exigentes na questão das escolas e da circulação das pessoas”

  • Afinal, só abrem os ATL para crianças com menos de 12 anos

    Afinal, nem todos os estabelecimentos de ATL (atividades de tempos livres) vão abrir portas durante o confinamento. O comunicado do Conselho de Ministros extraordinário ressalva que só os que recebem crianças com idade inferior a 12 anos podem voltar a funcionar. Os ATL que recebam crianças ou 12 anos ou mais devem permanecer fechados.

  • Restaurantes em centros comerciais vão poder fazer entregas

    Um comunicado do Conselho de Ministros extraordinário esclarece que, afinal, os restaurantes em centros comerciais podem continuar a funcionar, mas apenas para entrega ao domicílio. Confirma-se que esses estabelecimentos estão proibidos de funcionar em qualquer outro regime, incluindo take away.

  • Alemanha pode tornar máscaras obrigatórias, como já acontece na Baviera e na Áustria

    A Alemanha está a ponderar tornar obrigatória a utilização de máscaras nos transportes públicos e no interiores de lojas, tornando nacional uma medida que já foi tomada na Baviera.

    Nesta região alemã (a maior do país) desde esta segunda-feira que se tornou obrigatório utilizar máscaras em comboios, autocarros, elétricos e no interior de supermercados. A medida não vai ser policiada até 24 de janeiro; e as crianças, inspetores e motoristas estão isentos.

    Na vizinha Áustria, o chanceler Sebastian Kurz anunciou no domingo que, a partir de 25 de janeiro, seria obrigatório usar máscaras em transportes públicos e lojas. É uma das medidas que consta no pacote de regras delineados para o confinamento geral marcado até 7 de fevereiro.

  • Variante sul-africana propaga-se 50% mais rápido mas não é mais grave

    Uma investigação sugere que a variante do SARS-CoV-2 detetada na África do Sul se espalha 50% mais rápido e que os anticorpos naturais são menos eficazes, segundo cientistas sul-africanos, que acrescentam que esta não provoca doenças mais graves.

    “Há limitações sobre o que podemos ver num laboratório, por isso temos de esperar pelos dados dos ensaios clínicos para compreender a gravidade da resistência das novas variantes às vacinas”, disse a professora Penny More, do Instituto nacional de Doenças Transmissíveis (NICD, em ingês), numa reunião de especialistas liderada pelo ministro da Saúde sul-africano, Zweli Mkhize, citada pela agência noticiosa Efe.

    Apesar de assinalarem que o vírus “se está a adaptar”, os cientistas assinalaram que isso “não significa que as vacinas não funcionem”, argumentando que estas são complexas e podem provocar múltiplos tipos de imunidade.

    Os dados recolhidos até agora mostraram também que a nova variante sul-africana do novo coronavírus, nomeada 501Y.V2, não acompanha uma maior taxa de morbilidade, embora o aumento da pressão do sistema de saúde possa estar por detrás de mais mortes.

  • Cinco positivos e dois inconclusivos nos testes a 247 alunos de Silves

    Testes realizados a 247 alunos de 10 turmas de um agrupamento de escolas de Silves detetaram cinco casos positivos e dois inconclusivos. Alunos tinham estado em contacto com um docente infetado.

    Cinco positivos e dois inconclusivos nos testes a 247 alunos de Silves

  • Covid-19. Surto em lar de Arruda dos Vinhos com 90 casos ativos

    O lar da Cartaxaria tem, neste momento, 90 infetados com SARS-CoV-2, depois de oito terem morrido e quatro recuperado. 10 funcionários infetados estão a dar assistência aos idosos positivos.

    Covid-19. Surto em lar de Arruda dos Vinhos com 90 casos ativos

  • Covid-19. Bombeiros querem "vacina já" para se manterem na linha da frente

    Liga dos Bombeiros Portugueses considerou que “só a antecipação imediata” do processo de vacinação dos bombeiros poderá salvaguardar estes elementos que atuam na primeira linha do combate à pandemia

    Covid-19. Bombeiros querem “vacina já” para se manterem na linha da frente

  • Covid-19. Surto com 42 casos em lar de freguesia rural de Évora

    Foi detetado no lar do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora da Boa Fé, Évora: um total de 30 utentes e 12 funcionários de um lar. Alguns idosos enfrentam segundo surto.

    Covid-19. Surto com 42 casos em lar de freguesia rural de Évora

  • Covid-19. Jovens dos 18 aos 24 anos são grupo com maior incidência de infeção

    Agravaram-se os casos de infetados registados entre os jovens de 13-17 anos e de 18-24 anos, segundo Carlos Antunes. Matemático defende encerramento das escolas.

    Covid-19. Jovens dos 18 aos 24 anos são grupo com maior incidência de infeção

  • Covid-19. Hoteleiros algarvios consideram apoios à economia "insuficientes"

    “O governo persiste em continuar a ignorar a especificidade da atividade turística em geral e do Algarve em particular”, afirma a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve.

    Covid-19. Hoteleiros algarvios consideram apoios à economia “insuficientes”

  • Covid-19. Novo confinamento deixa empresários de Castelo Branco apreensivos

    A Associação Empresarial da Beira, em Castelo Branco, afirmou que perante um novo confinamento “é grande a expectativa e a apreensão das empresas e empresários”

    Covid-19. Novo confinamento deixa empresários de Castelo Branco apreensivos

1 de 5