Histórico de atualizações
  • Bom dia. Este liveblog termina aqui. Acompanhe as notícias relativas à pandemia de Covid-19 no novo liveblog do Observador desta sexta-feira, que abre com a notícia de uma vacina contra esta doença que está a ser desenvolvida no Porto e se destaca por ser comestível.

    Investigadores do Porto desenvolvem vacina comestível contra a Covid-19

  • Covid-19. Impacto financeiro nos municípios do continente superior a 500 milhões de euros

    A entidade fiscalizadora alerta que esta boa situação financeira pode inverter-se, pelo que será necessário “adotar, no curto-prazo, uma posição de grande prudência.”

    Covid-19. Impacto financeiro nos municípios do continente superior a 500 milhões de euros

  • Medidas restritivas para os não vacinados são "provavelmente inevitáveis", alerta chanceler da Áustria

    O chanceler austríaco assumiu hoje que, devido ao aumento de casos de Covid-19 no país, deverão ser implementadas regras rígidas só para os não vacinados. São “provavelmente inevitáveis”, afirma, citado pela Associated Press.

    “Não há razão para dois terços [da população] perderem a liberdade porque um terço está a hesitar [tomar a vacina]”, reforçou Alexander Schallenberg. Para o chanceler, “não deve haver medidas restritivas para os vacinados por solidariedade aos não vacinados”.

    Schallenberg admitiu que as autoridades sanitárias estão a considerar tornar a vacinação obrigatória para alguns grupos profissionais. Acrescentou ainda que a taxa de vacinação do país é “vergonhosamente baixa”.

    Na Áustria, cerca de 65% da população está totalmente inoculada, enquanto 67% já tomou uma dose da vacina contra a Covid-19.

  • Portugal no amarelo, leste da Europa pintada de vermelho. ECDC divulga mapas sobre Covid-19

    São poucos os países da Europa que não estão pintados de cor laranja ou vermelha, segundo os últimos indicadores do ECDC. Portugal é exceção, juntamente com os vizinhos do Sul da Europa.

    Portugal no amarelo, leste da Europa pintada de vermelho. ECDC divulga mapas sobre Covid-19

  • Espanha regista 4.286 novos casos e 30 mortes nas últimas 24 horas

    A Espanha registou 4.286 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, tendo o Ministério da Saúde espanhol também notificado mais 30 mortes atribuídas à doença Covid-19 durante o mesmo período.

    O número total de casos notificados no país desde o início da pandemia é agora de 5.042.803 e já morreram 87.647 pessoas devido à doença.

    A incidência acumulada de contágios de covid-19 continua a aumentar, tendo subido de 62,7 casos diagnosticados (quarta-feira) para 67,1 (hoje) por cada 100.000 habitantes nos últimos 14 dias.

  • Argentina começa a doar vacinas e Moçambique é o primeiro beneficiado

    A Argentina anunciou hoje que, guiada pelos princípios de “solidariedade e fraternidade”, está pronta para doar a Moçambique 450 mil doses da vacina AstraZeneca contra a Covid-19, produzidas no país, e que prepara uma doação a Angola.

    “No contexto da estratégia de reciprocidade internacional e de solidariedade orientada ao acesso equitativo das vacinas, a Argentina enviará vacinas a outros países em conceito de doação e as primeiras doses a serem enviadas serão 450 mil de AstraZeneca à República de Moçambique”, informou o Ministério da Saúde da Argentina, através de uma nota.

    O Governo argentino justifica a doação “por contar com o stock de vacinas necessário para toda a sua população objetivo” e “por se guiar pelos princípios de solidariedade e fraternidade”.

  • Macron e Harris unidos em defesa do multilateralismo contra a pandemia

    O Presidente francês, Emmanuel Macron, e a vice-presidente norte-americana, Kamala Harris, emitiram hoje um apelo conjunto em defesa do poder do multilateralismo contra a pandemia de Covid-19, conscientes de que nenhum país conseguirá superar o problema sozinho.

    O Fórum de Paris para a Paz foi o palco deste apelo que deixou claro que a crise de saúde exacerbou desigualdades existentes e ameaçou avanços obtidos em matéria de igualdade de género.

    “Este é um momento crucial. Se nos unirmos, não há desafio demasiado grande”, disse Harris, na abertura deste encontro multilateral cuja quarta edição decorre até sábado e que, após anos de boicote da Administração de Donald Trump, conta pela primeira vez com um alto representante norte-americano.

  • Madeira com mais 51 casos e 355 situações ativas

    As autoridades de saúde da Madeira sinalizaram mais 51 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas na região, registando 355 situações ativas e 14 pessoas hospitalizadas, informou hoje a Direção Regional de Saúde (DRS).

    No boletim epidemiológico, a DRS aponta que a Madeira contabiliza um total de 12.552 casos confirmados de infeção por SARS-CoV-2 desde o início da pandemia.

    No que diz respeito aos novos casos, indica que apenas quatro são importados (Ilhas de São Vicente e Grenadines, do Reino Unido, França e Região de Lisboa e Vale do Tejo), sendo os restantes de transmissão local.

  • Ensaios da Covaxin mostram 77,8% de eficácia contra infeção sintomática

    Não foram observados efeitos adversos graves relacionados com a vacina e a maioria dos efeitos adversos foram ligeiros, incluíram cefaleia, fadiga e dor no local da injeção.

    Ensaios da Covaxin mostram 77,8% de eficácia contra infeção sintomática

  • Países Baixos batem máximo diário com 16.364 novos casos

    Os Países Baixos contabilizaram nas últimas 24 horas 16.364 novos casos de Covid-19, o número mais alto de infeções desde o início da pandemia no país, em março de 2020, indicou esta quinta-feira o Instituto de Saúde Pública (RIVM) holandês.

    O aumento do número de casos levou esta quinta-feira o Governo de Haia a reunir-se para decidir se vai seguir os conselhos das equipas de especialistas, que recomendaram a imposição de um confinamento limitado no país, decisões que se aguardam para sexta-feira.

    O RIVM indicou que os números das últimas 24 horas refletem 3.688 novos casos mais do que os registados quarta-feira e um valor ainda muito mais alto do que a média registada na semana passada, de 12.339 novos casos diários.

    Segundo o RIVM, nas últimas 24 horas o total de hospitalizações associadas à Covid-19 subiu de 1.647 para 1.699, com 330 deles internados nas unidades de cuidados intensivos, tendo-se registado ainda 26 mortes (a média diária de óbitos na semana passada foi de 24).

  • Surto de Covid-19 com 23 infetados num lar em Moura

    Um surto com 17 utentes e seis funcionários infetados pelo vírus da doença Covid-19 foi detetado no lar residencial de uma associação de apoio a deficientes do concelho alentejano de Moura, disse esta quinta-feira à agência Lusa a presidente.

    O primeiro caso de infeção foi detetado na passada sexta-feira, quando uma funcionária do lar, que estava constipada, teve febre e deslocou-se ao centro de saúde, onde fez teste de despiste do vírus, que deu resultado positivo, explicou Diamantina Escoval, presidente da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Moura, no distrito de Beja.

    Por isso, continuou, na passada segunda-feira, a autoridade de saúde fez testes de despiste do vírus aos restantes funcionários e a todos os utentes do lar e das outras valências da instituição.

    Os testes permitiram confirmar a infeção em 17 dos 20 utentes do lar e em mais cinco funcionários, o que fez subir para 23 o total de infetados, precisou.

    Segundo Diamantina Escoval, 16 dos 17 utentes infetados estão no lar e uma utente está internada no hospital de Beja, porque “tem outras patologias associadas”, mas o seu estado de saúde é considerado “estável”.

  • Boletim DGS. 43% dos novos casos de infeção entre os 20 e os 49 anos

    O grupo etário com maior número de novas infeções foi o dos 40-49 anos (229), seguido das crianças até aos nove anos (216 casos). Também com mais de 200 novos casos estão as faixas etárias dos 20 aos 29 anos e dos 30 aos 39 anos. Só entre os idosos com mais de 80 anos houve menos de 100 casos.

    Houve mais 24 casos de infeção entre as mulheres (751) do que entre os homens (727). Com as mulheres a apresentar mais 30 casos na casa dos 60 anos e mais 20 casos na casa dos 30 anos. Já os homens apresentaram mais 33 casos que as mulheres na casa dos 20 anos.

  • Boletim DGS. Nove óbitos: seis mortes entre as mulheres, oito pessoas tinham mais de 70 anos

    Os nove óbitos estão distribuídos por quatro regiões: três no Norte e em Lisboa e Vale do Tejo, dois no Algarve e um no Centro. Alentejo e ilhas não registaram óbitos com Covid-19 nas últimas 24 horas.

    Cinco mortos tinham mais de 80 anos, três entre 70 e 79 anos e um na casa dos 60 anos. Dois terços dos óbitos eram mulheres e três eram homens.

  • Boletim DGS. Mais de um quinto dos casos na região de Lisboa e Vale do Tejo

    A região de Lisboa e Vale do Tejo reúne 549 dos novos casos de infeção. A segunda região com mais casos é o Centro, com 365, seguido do Norte, com 322 casos.

    O Algarve registou 118 casos, mas as restantes regiões menos de 100: 74 no Alentejo, 44 na Madeira e cinco nos Açores.

  • Boletim DGS. Desde 16 de setembro não havia mais de 35.000 casos ativos

    Esta quinta-feira, a DGS reporta ainda 746 pessoas recuperadas da infeção e mais 969 contactos em vigilância (num total de 26.920). No total, são 35.250 casos ativos — mais 722 nas últimas 24 horas.

    Portugal não registava mais de 35.000 casos ativos desde 16 de setembro, quando registou 35.165.

  • Boletim DGS. Mais três doentes internados com Covid-19, dois nos cuidados intensivos

    Estão 383 pessoas internadas com Covid-19 — mais três do que no dia anterior —, das quais 64 estão nas unidades de cuidados intensivos — mais duas do que na quarta-feira.

  • Boletim DGS. Nove óbitos com Covid-19 e 1.477 novas infeções em 24 horas

    Portugal registou 1.477 novos casos de infeção com SARS-CoV-2 e nove mortes com Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

    A última quinta-feira com tantos casos de infeção aconteceu a 9 de setembro quando foram registados 1.408.

    Da mesma forma, a média de novos casos a sete dias não era tão alta desde 12 de setembro — na altura, com 1.219,6 casos, agora, com 1.198,6.

    Desde o início da pandemia já se registaram 1.102.438 casos de infeção e 18.231 óbitos.

  • Morgues da Roménia e Bulgária enchem devido a baixo nível de vacinação contra a Covid-19

    A Roménia e a Bulgária têm registado as maiores taxas de mortes diárias por Covid-19 na União Europeia, devido a superstições, informações erradas e falta de confiança nos governos e instituições.

    O chefe do hospital universitário de emergências de Bucareste, Catalin Cirstoiu, garantiu à Associated Press que o sistema de saúde da Roménia está perto do ponto de rutura devido à “incapacidade da população de perceber que tem de ser vacinada”.

    A Roménia atingiu, na semana passada, uma média de 23,7 mortes por cada milhão de habitantes por dia, e a Bulgária chegou às 22,8 (a média europeia é de 3,1), de acordo com dados da OurWorldInData.

  • EMA recomenda pela primeira vez dois tratamentos com base em anticorpos contra a Covid-19

    A Agência Europeia do Medicamento recomendou esta quinta-feira dois tratamentos contra a Covid-19 baseada em anticorpos: Ronapreve e Regkirona. Ambos podem ser aplicados na generalidade das pessoas a partir dos 12 anos que pesem pelo menos 40 quilogramas, mas só podem ser aplicados a quem não necessite de ventilador e esteja em risco de desenvolver Covid-19 grave.

    Os anticorpos utilizados nestes tratamentos unem-se às proteínas na superfície do SARS-CoV-2, impedindo que eles se liguem à membrana das células. A recomendação surge após uma revisão dos resultados científicos obtidos em estudos sobre estes fármacos.

  • Taxa de mortalidade de crianças e jovens em Inglaterra é de dois em cada milhão de indivíduos

    No espaço de cerca de um ano, morreram 25 crianças e jovens em Inglaterra de causas diretamente relacionadas com a infeção com o coronavírus SARS-CoV-2, conforme publicado na revista científica Nature Medicine.

    Os nossos resultados são 60% mais baixos do que os dados deduzidos dos testes positivos, reduzindo de forma marcada a estimativa de crianças e jovens que estão, potencialmente, em risco de morte durante esta pandemia”, escreveram os investigadores no artigo.

    Dos mais de 12 milhões de crianças e jovens que viviam em Inglaterra entre março de 2020 e fevereiro de 2021, morreram 3.105. Destes, 61 testaram positivo para o coronavírus SARS-CoV-2.

    No entanto, apenas 25 mortes foram atribuídas diretamente ao coronavírus — o que dá uma taxa de mortalidade de dois por milhão, referem os autores. Destes óbitos, 22 são resultado da doença Covid-19 e três relacionados com a síndrome inflamatória multissistémica pediátrica associada ao coronavírus.

    No total, 99,995% das crianças e jovens com um teste positivo ao coronavírus sobreviveu”, escreveram os autores.

    A equipa britânica, com membros do Serviço Nacional de Saúde britânico e pediatras, confirmou assim que as mortes de crianças e jovens associadas à infeção com SARS-CoV-2 são raras. Não só a doença é menos grave nestas idades, como nem todas as crianças e jovens infetados morreram na sequência desta infeção.

1 de 2