Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Linhas vermelhas. Pandemia está a acelerar

    Esta sexta-feira, foi conhecido mais um relatório semanal de monitorização das linhas vermelhas da pandemia. O que o documento revela é que a pandemia está com uma tendência crescente em Portugal e que a incidência cresce em todas as faixas etárias e o R(t) sobe em todas as regiões.

    Leia mais aqui.

    Pandemia com “tendência crescente”. Incidência pode atingir limiar dos 240 casos por 100 mil habitantes daqui a 15 dias

  • Bom dia,
    Encerramos aqui este liveblog, mas pode continuar a acompanhar os últimos desenvolvimentos e notícias sobre a pandemia de Covid-19 neste novo link.

    Linhas Vermelhas. Pandemia com tendência crescente

  • Virologista alemão prevê que pandemia em Portugal termine na primavera de 2022

    Para o virologista alemão Christian Drosten, a pandemia deve terminar na primavera em Portugal. Na Alemanha, o cenário é diferente, defendendo que se deve reagir “rapidamente” ao aumento de casos.

    Virologista alemão prevê que pandemia em Portugal termine na primavera de 2022

  • Juiz suspende norma que impedia demissão de não vacinados no Brasil

    O juiz Luís Barroso do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil suspendeu hoje todos os efeitos de uma norma emitida pelo Governo do país que impedia as empresas de demitir funcionários que não tenham sido vacinados contra a Covid-19.

    De acordo com um regulamento alterado recentemente pelo Ministério do Trabalho do país, exigir a vacinação seria uma prática discriminatória equivalente a outras relacionadas com a raça, idade, sexo ou deficiências e não pode ser motivo para demissão, ainda mais quando o Governo não implementou a obrigatoriedade da imunização.

    Porém, de acordo com a decisão cautelar de Barroso, uma pessoa não vacinada “pode representar uma ameaça à saúde de outros trabalhadores” e criar “riscos ao ambiente de trabalho e comprometer a saúde das pessoas que interagem com as empresas”.

  • 23 militares portugueses infetados com Covid-19 na fragata Corte-Real em missão da NATO

    Os militares infetados estão bem e apresentam bom prognóstico, permanecendo a bordo em isolamento, sob acompanhamento da equipa médica do navio e em estreita articulação com as estruturas da saúde.

    23 militares portugueses infetados com Covid-19 na fragata Corte-Real em missão da NATO

  • OMS diz que "será difícil" não adotar restrições em países com crescimento de casos de Covid-19

    A OMS garantiu ainda que esta nova onda de Covid-19 na Europa está a atingir principalmente pessoas não imunizadas,

    OMS diz que “será difícil” não adotar restrições em países com crescimento de casos de Covid-19

  • Países Baixos regressam a confinamento parcial por três semanas

    O primeiro-ministro dos Países Baixos, Mark Rutte, anunciou hoje um confinamento parcial de três semanas para combater um número recorde de casos de Covid-19 no país.

    Numa conferência de imprensa em Haia, Rutte classificou a nova série de medidas de combate à pandemia de Covid-19 como “um grande golpe de algumas semanas, porque o vírus está por todo o lado, em todo o país, em todos os setores e atingindo todas as faixas etárias”.

    Os bares, os restaurantes e os estabelecimentos de bens essenciais, como os supermercados, deverão encerrar às 20h00 (19h00 em Lisboa) e as lojas não-essenciais, às 18h00 (17h00 em Lisboa).

    Os cidadãos neerlandeses são instados a não receber mais de quatro pessoas em casa e a adotarem o teletrabalho, “exceto se tal não for realmente possível”, indicou o chefe do executivo.

    Os protestos públicos serão suspensos e as partidas de futebol decorrerão à porta fechada. As escolas mantêm-se, todavia, abertas e as saídas do domicílio são autorizadas.

  • Madeira com 63 novos casos e 19 doentes hospitalizados

    O arquipélago da Madeira registou 63 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, todos de transmissão local, tendo 19 doentes hospitalizados, anunciou hoje a Direção Regional de Saúde (DRS).

    A última vez que a Madeira ultrapassou as seis dezenas de infetados foi em agosto deste ano, no dia 18, quando registou 61 novos casos.

    No documento é também indicado que estão identificadas 379 situações ativas no arquipélago, das quais 333 são de transmissão local e 46 importadas.

    Estes infetados estão a cumprir isolamento, encontrando-se 19 pessoas no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, quatro na Unidade de Cuidados Intensivos dedicada à Covid-19.

    São ainda reportados 39 recuperados, contabilizando a região 12.158 casos de pessoas que conseguiram curar-se da infeção.

  • Mortalidade por Covid tem um "impacto reduzido" e hospitalizações estão com uma "tendência estável"

    A mortalidade específica por Covid-19 registou um aumento de 25% relativamente à semana passada. Apesar disso, o relatório indica que é “um impacto reduzido” da pandemia em “termos de mortalidade específica por Covid-19”.

    No que diz respeito às hospitalizações, o relatório dá conta que o número de camas ocupadas em unidades cuidados intensivos (UCI) aumentou 25%, assumindo uma “tendência estável”.

    “O grupo etário com maior número de casos de Covid-19 internados em UCI é o dos 60 aos 79 anos, apresentando uma tendência crescente nas últimas semanas”, lê-se.

  • R(t) apresenta uma "tendência crescente" e aumentou em todas as regiões

    O R(t) aumentou em todo o país, situando-se hoje nos 1,15, o que “indica uma tendência crescente da incidência de infeção por SARS-CoV-2”.

    A proporção de positividade situou-se, na última semana, nos 3,4%, um valor que se encontra abaixo do limitar dos 4%, estando, no entanto, com uma “tendência crescente”.

  • Incidência aumenta em todo o país e espera-se que limiar de 240 casos em 14 dias seja ultrapassado daqui a 15 a 30 dias

    A incidência cumulativa a 14 dias foi de 138 casos por 100 mil habitantes, revela o relatório das Linhas Vermelhas. Estima-se que o “limiar de 240 casos em 14 dias por 100 000 habitantes possa ser ultrapassado em 15 a 30 dias”.

    O Algarve foi a região em que a incidência mais aumentou (38% face à semana passada), estando também a aproximar-se do limiar dos 240 casos. O Centro também está com uma incidência de 208 infeções e teve um aumento de 36%.

    “O grupo etário com incidência cumulativa a 14 dias mais elevada correspondeu ao grupo dos 20 aos 29 anos (198 casos por 100 000 habitantes). Há uma tendência globalmente crescente na maioria os grupos etários”, lê-se no relatório, que também menciona o grupo etário com 80 ou mais anos apresenta uma “tendência estável”.

  • Linhas Vermelhas. Pandemia com uma "intensidade moderada, com tendência crescente a nível nacional"

    A pandemia, em Portugal, está com uma “intensidade moderada, com tendência crescente a nível nacional”, revela o relatório de Linhas Vermelhas publicado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS) em parceria com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).

  • Angola com mais 201 casos e seis mortes desde domingo

    Angola registou, nos últimos cinco dias, mais seis mortes associadas à Covid-19 e mais 201 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo as autoridades sanitárias angolanas.

    Desde domingo foram reportadas mais 201 infeções em Angola, que soma agora 64.875 casos, dos quais 1.720 óbitos (mais seis desde 7 de novembro), 61.510 recuperados (mais 1.494) e 1.639 ativos (mais 1299).

    O país africano tem registado uma descida acentuada no número de casos e no número de mortes desde a semana passada, sem notificar óbitos nos dias 6 e 10 de novembro.

  • França doa mais de 500 mil vacinas a Moçambique

    O Governo da França doou hoje a Moçambique 501.600 doses de vacinas AstraZeneca contra a Covid-19, no âmbito do contributo do executivo francês para o mecanismo internacional COVAX, anunciou em comunicado a embaixada daquele país europeu em Maputo.

    Em nota de imprensa, a embaixada da França refere que os fármacos vão reforçar a estratégia do Governo moçambicano de imunização da população contra a Covid-19.

    O país africano já recebeu de parceiros internacionais cerca de quatro milhões de doses de vacinas contra a Covid-19.

  • Surto no Jardim-Escola João de Deus de Leiria encerra pré-escolar

    Um surto de Covid-19 no Jardim-Escola João de Deus, em Leiria, obrigou ao encerramento do pré-escolar, pelo menos, até à próxima “segunda ou terça-feira”, disse à Lusa a coordenadora da Unidade de Saúde Pública.

    Segundo Odete Mendes, uma criança testou positivo num autoteste na terça-feira e no dia seguinte o teste PCR confirmou a infeção por SARS-CoV-2.

    “Imediatamente houve a intervenção da saúde pública e confirmou-se que mais 14 crianças estavam positivas”, explicou a coordenadora da Unidade de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde Pinhal Litoral.

    Tendo em conta a idade das crianças, que, por serem pequenas, não usam máscara e estão muito próximas, a saúde pública realizou testes a todo o pré-escolar e respetivas educadoras. “No total, estão infetados 19 alunos e duas educadoras. Colocámos o pré-escolar em isolamento. Até segunda ou terça. Iremos repetir os testes na próxima semana”, revelou.

  • Venezuela supera 5.000 mortes associadas à pandemia

    A Venezuela registou, nas últimas 24 horas, nove mortes associadas ao novo coronavírus, elevando para 5.005 o número de vítimas fatais desde o início da pandemia de Covid-19, segundo dados oficiais.

    Os dados foram divulgados pela vice-presidente da Venezuela, Delcy Rodríguez, através do Twitter, onde precisou que nas últimas 24 horas foram ainda registados 930 novos casos de Covid-19 no país, “todos por transmissão comunitária”.

    A região que registou mais casos novos nas últimas horas foi Caracas (204), seguindo-se os estados de Lara (139), Anzoátegui (113) e Yaracuy (87), precisou a governante.

    Delcy Rodríguez sublinhou ainda a importância do “sistema do semáforo” implementado desde 1 de novembro pelas autoridades venezuelanas, para controlar os acessos ao comércio e outros estabelecimentos, a fim de “evitar a transmissão e cortar futuras cadeias de contágios”.

  • Espanha regista 4.353 novos casos e 26 mortes nas últimas 24 horas

    A Espanha registou 4.353 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, tendo o Ministério da Saúde espanhol também notificado mais 26 mortes atribuídas à doença Covid-19 durante o mesmo período.

    O número total de casos notificados no país desde o início da pandemia é agora de 5.047.156 e já morreram 87.673 pessoas devido à doença.

    A incidência acumulada de contágios de Covid-19 continua a aumentar, tendo subido de 67,1 casos (quinta-feira) para 71,5 (hoje) por cada 100.000 habitantes nos últimos 14 dias.

    Apesar dos aumentos dos contágios, a pressão hospitalar continua em níveis considerados aceitáveis.

  • Marta Temido não descarta um novo confinamento: "Todos os cenários têm de estar em aberto"

    A ministra da Saúde não rejeita a ideia de um novo confinamento nacional. “Todos os cenários têm de estar em aberto”, refere, acrescentando que está “tudo nas nossas mãos”.

    No entanto, Marta Temido destacou que, ao contrário de outros países que aboliram praticamente todas as medidas não farmacológicas, Portugal manteve algumas regras, como o uso de máscara em espaços fechados.

    “Neste momento, no contexto português, está em cima da mesa olhar para as medidas não farmacológicas e apelar à vacinação da população elegível”, afirmou, salientando, em contrapartida, que este vírus é “novo” e poderá surgir uma nova variante.

    Relativamente à situação europeia, Marta Temido diz que “estamos a assistir a vagas muito evidentes”, principalmente na Alemanha.

  • Regresso da task force? Marta Temido prefere salientar "relação de proximidade" com o vice-almirante

    Marta Temido decidiu elogiar o desempenho da antiga task force da vacinação contra a Covid-19, não respondendo diretamente sobre um eventual regresso da estrutura liderada por Gouveia e Melo.

    “Nós quando há um ano optámos por criar a task force era num cenário totalmente novo, em que era preciso vacinar massivamente a população”, refere a ministra da Saúde, acrescentando que, agora, numa fase em que Portugal atingiu os 85% de população vacinada, os desafios são outros.

    Para Marta Temido, a principal preocupação passa agora por “congregar o apoio da comunidade”, designadamente da juntas de freguesias.

    À margem da inauguração da nova Unidade de Hemodiálise do Serviço de Nefrologia em Penafiel, a ministra foi ainda questionada sobre o regresso do vice-almirante a uma eventual task force. Não dando uma resposta categórica, Marta Temido preferiu elogiar Henrique Gouveia e Melo: “Liderou-nos de uma forma extraordinária, devemos-lhe muito”.

    Ainda hoje, garante Marta Temido, existe “uma relação de proximidade” entre Gouveia e Melo e os organismos que coordenam a vacinação. Contudo, aponta que existem “várias etapas e fases” quer na campanha de vacinação, quer na “vida das pessoas”, que obrigam a tomar diferentes estratégias.

    “Essencialmente esta é uma responsabilidade que parte muito da adesão das pessoas à vacinação”, afirmou.

  • Governo lança campanha a apelar a “um esforço coletivo” na vacinação

    O Governo vai lançar este fim de semana uma campanha de comunicação nas rádios, televisões e jornais a apelar a um “esforço coletivo” para reforço da vacinação contra a Covid-19, com o objetivo de ninguém ficar para trás.

    “Continuamos a contar com todos para continuar a escrever a história de sucesso que tem sido o processo de vacinação em Portugal e, por isso, vai ser lançado este fim de semana e durante a próxima semana uma campanha de comunicação (…) a apelar a este esforço coletivo”, anunciou o secretário de Estado Adjunto e da Saúde numa conferência de imprensa sobre a vacinação contra a gripe e contra a Covid-19.

    O governante salientou que Portugal teve “uma campanha de vacinação sem precedentes”, mas agora está noutra fase em que “a vacinação não acontece de forma massiva”.

1 de 3