Logo Observador
Bruno de Carvalho

Bruno de Carvalho vai abandonar o Facebook e pede: “Deixem-me em paz, deixem-me trabalhar”

590

Entre críticas aos maus resultados nas modalidades e no futebol, Bruno de Carvalho assume que vai deixar o Facebook "por ter um lado perverso que não pretendo ver aumentado".

PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP/Getty Images

Bruno de Carvalho, num extenso texto publicado na sua página oficial de Facebook, assume que, “depois de uma profunda análise”, vai deixar esta rede social. Porquê? “A minha vontade de proximidade com o universo leonino acabou por ter um lado perverso que não pretendo ver aumentado. Tem a ver com o ultrapassar de fronteiras onde se confunde vontade de estar próximo com o ser incomodado, a toda a hora, com opiniões despropositadas e intromissões na vida pessoal”, escreve o presidente do Sporting.

Daqui em diante, promete Bruno de Carvalho, será “um Presidente próximo, presente e consciente das suas tarefas e objectivos”, mas o Facebook “deixará de ser um desses modos de comunicação com a Família Sportinguista”.

Depois do anúncio, a crítica. Para dentro. Elogiando as modalidades do clube, que têm “um apoio que mais nenhum clube tem no mundo”, Bruno de Carvalho relembra que estas tiveram esta época “os maiores investimentos de sempre”, o que representa “um esforço herculeano feito por esta Direcção”.

Os resultados, contudo, não satisfazem Bruno de Carvalho. Nem os resultados, nem os adeptos que não criticam os atletas pela falta de resultados. E explica o presidente do clube: “A cada mau resultado (…) lá vem a onda de apoio aos ‘meninos’. Nas modalidades é confrangedor. Perdemos jogos e lá estão as bancadas a aplaudir os ‘seus meninos’ e a acarinhá-los. (…) Neste Clube, treinadores e atletas têm como missão dar-nos bons momentos e evitar os maus. (…) Estes ‘meninos’ têm que ser sempre homens e ganhar os seus jogos e conquistar títulos, sem desculpas, sem estar sempre a falar de arbitragens, sem usar adversidades inexperadas ou o azar, percebendo que têm de fazer muito mais.”

Quando se aponta o dedo aos ‘meninos’ é o ‘aqui d’el-rei’. Credo! É o horror, o sacrilégio… Começam logo os opinadores leoninos: faça-o em privado, não confunda coisas, não é bem assim”, acusa Bruno de Carvalho.

Quanto ao futebol, cujos resultado esta época também não satisfizeram o presidente do clube, Bruno de Carvalho lembra os “maiores investimentos de sempre” feitos esta época, afirmando depois que “também no futebol temos de subir um degrau”.

As crítica de Bruno de Carvalho nesta derradeira publicação no Facebook não se resume, contudo, às modalidades e ao futebol, mas também àqueles que descreve como “pessoas de grandes egos”, sem nunca identificar a quem se refere. “Continuamos a ser um Clube onde ainda existem pessoas de grandes egos, que se intrometem na vida do Clube, de opinadores fáceis mesmo não sabendo nada do que se passa não se coibindo em cada oportunidade de aparecer nos media, em vez de nos mantermos sempre unidos, incondicionalmente, com quem lidera o Clube e, assim, tendo a mesma linguagem de exigência para com todos”, explica.

A terminar, e afirmando sem teias nem peias que “feliz não estou”, um pedido e várias promessas de Bruno de Carvalho. “Amo o Sporting Clube de Portugal e prometo a todos que, na próxima época, vou ainda fazer mais e melhor, vou continuar a dar a minha vida por este meu Amor e vamos mostrar, com a vossa ajuda, em todas as modalidades e nomeadamente no futebol, porque somos o grande Sporting Clube de Portugal”, começou por escrever, acrescentando depois: “A única coisa que vos peço para a próxima época é que me deixem em paz, que me deixem trabalhar como eu achar melhor para depois poderem viver as alegrias que tanto merecemos.”

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: tpalma@observador.pt
Fogo de Pedrógão Grande

Assim, nada vai mudar

Alexandre Homem Cristo

A quem se entrega um dossier que se pretende inconclusivo? Ao parlamento, claro – um cemitério de reformas políticas e um palco de desentendimentos que nunca desilude nos espectáculos mediáticos.

Ocidente

A tradição ocidental da liberdade sob a lei

João Carlos Espada

A velha ideia de Universidade é uma das ideias centrais da Tradição Ocidental da Liberdade sob a Lei. Ambas serão celebradas entre hoje e quarta feira no Estoril Political Forum.

Fogo de Pedrógão Grande

Tudo é nada. E o nada é medo

Helena Matos

O imprevisível tornou-se no terror do Governo. Porque é o imprevisível que expõe o logro desse Estado cheio de “meninas César" que gasta metade da riqueza nacional e desaparece quando gritamos Socorro