Logo Observador
Ciência

Investigadora da Universidade de Lisboa recebe Prémio Bronstein

151

A investigadora Mercedes Martín-Benito, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa é especialista em Cosmologia Quântica em Loop. Recebeu o prémio no dia 5 de julho.

O Prémio Bronstein é o "reconhecimento mais importante atribuível a um investigador de pós-doutoramento" nesta área

MAFALDA LEITAO/LUSA

Mercedes Martín-Benito, investigadora da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, recebeu o Prémio Bronstein pelo seu trabalho relacionado com a Cosmologia Quântica em Loop, um sub-domínio da Gravidade Quântica em Loop.

Este prémio que, segundo a nota enviada pela Universidade de Lisboa, é o “reconhecimento mais importante atribuível a um investigador de pós-doutoramento” nesta área, foi anunciado no dia 5 de julho durante a conferência Loops’17, em Varsóvia, na Polónia.

“O Prémio Bronstein servirá para consolidar-me ainda mais como um dos especialistas mundiais em Cosmologia Quântica em Loop, e também para dar mais visibilidade ao meu trabalho de investigação”, declarou a investigadora, citada no comunicado.

Mercedes Martín-Benito tem vindo a estudar “os efeitos de flutuações quânticas da geometria do espaço-tempo na física do Universo primordial, quando os efeitos quânticos e a gravidade tinham ambos um papel fundamental”.

A comunidade científica nesta área da Gravidade Quântica em Loop procura entender o espaço-tempo como emergindo de uma geometria não contínua, ou seja, quantizada.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política Científica

Investigadores com contratos à medida

José Ferreira Gomes

Opção legislativa do Governo afastará o sistema científico da competição internacional e da criação de valor para os portugueses, tudo em nome da solidez da geringonça e de certa clientela partidária.