Francis Obikwelu assegurou hoje uma histórica quinta presença em Europeus de atletismo, ao ser segundo nos 100 metros dos Campeonatos de Portugal, o que lhe garante a presença na estafeta para Zurique.

Ao somar quinto europeu, Obikwelu ficará igualado na lista dos mais internacionais com o marchador João Vieira (também ainda em atividade), apenas atrás das seis internacionalizações de Fernanda Ribeiro.

“Isto é a vida… acontece”, ironiza o recordista europeu e vice-campeão olímpico em 2004, nascido na Nigéria e que em 2001 se naturalizou português, mostrando-se pouco surpreendido com o feito deste sábado.

Em Lisboa, no Estádio Universitário, foi segundo na final, com 10,56 logo atrás do favorito, Yazaldes Nascimento, de novo campeão em 10,39 (vento -2,1 m/s). E por isso lamentou não juntar mais uma medalha principal ao seu palmarés: “Pena não conseguir ganhar o campeonato… parabéns ao Yazaldes. Eu tive este ano vários problemas, não estava a correr como deve ser, houve lesões, problemas familiares, pelo que isto foi bom”.

“A velocidade em Portugal evoluiu muito. Vamos a Zurique para fazer um bom resultado, para bater o recorde nacional”, antevê. “Eu não tenho estado a treinar bem, mas dou sempre tudo o que tenho”.

Com naturalidade, Yazaldes Nascimento confirmou os mínimos para os 100 metros do Europeu e é campeão nacional, garantindo: “objetivo cumprido, numa época boa em termos de lesões”.

“As lesões estão controladas com os médicos e fisioterapeutas, posso conseguir o máximo na minha corrida”, diz o atleta que deverá ter a 14.ª marca entre os inscritos no Europeu.

Em Zurique, “o objetivo é bater o recorde pessoal”. “Se isso acontecer, posso ir às meias-finais. Estamos todos muito perto.”.

“A estafeta é só no último dia e aí temos uma tradição a manter em termos de campeonatos da Europa. Com este nível de atletas a estafeta é muito forte e tudo está em aberto”, disse admitindo a possibilidade do melhor resultado de sempre para Portugal.

Portugal tem garantida uma estafeta nos Campeonatos da Europa, em Zurique, de 12 a 16 de agosto, graças ao ranking continental da estafeta (é 10.º e as 16 melhores são convidadas) e os melhores velocistas nacionais foram previamente informados de que a corrida de hoje valia como seleção.

Ou seja, os quatro mais bem classificados (Yazaldes, Obikwelu, Diogo Antunes e Arnaldo Abrantes) apuraram-se para a estafeta. O lugar para o suplente deverá ser para o hoje ausente David Lima, que já tem mínimos confirmados nos 200 metros.

Francis Obikwelu continuará a ser o símbolo da seleção lusa, ele que já foi campeão europeu em 2002 e 2006, antes de ser quarto em 2010 e integrar a estafeta de 4×100 metros sexta posicionada em 2012.