Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A cada 52 minutos, uma pausa de dezassete. O truque para alcançar maior produtividade no local de trabalho é este: descansar várias vezes ao longo do dia para conversar com colegas, ler um livro ou dar um passeio. Quem o diz é a empresa letã Draugiem Group, que fez um estudo utilizando a app DeskTime para descobrir quais eram os hábitos dos colaboradores mais produtivos.

A conclusão foi, segundo o artigo da revista norte-americana Fast Company, surpreendente: os colaboradores mais produtivos da empresa, cerca de 10%, não trabalhavam mais horas do que os colegas e nem chegavam a concluir as oito horas da jornada diária. A única diferença é que faziam várias pausas durante o dia: intervalos de 17 minutos a cada 52 minutos de trabalho.

“Acontece que o segredo para reter altos níveis de produtividade ao longo dia de trabalho não é trabalhar mais – mas trabalhar de uma forma mais inteligente e com intervalos regulares”, explicou Julia Gilford, a propósito dos resultados do estudo, à revista The Muse.

A pausa de 17 minutos permite que o cérebro se restabeleça, rejuvenesça e se prepare para o novo ciclo de 52 minutos. No início do ano, a Universidade de Toronto já tinha divulgado um estudo que concluía que a ausência da pausa para almoço era responsável por baixar os níveis de produtividade. Em causa, está a quantidade finita de energia psicológica no cérebro, explicou John Trougakos, professor associado da Organizational Behavior & HR, que assinou o estudo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Todos os esforços que fazemos para controlar comportamentos, desempenhar funções e permanecer concentrado recorrem a esse campo de energia psicológica. Quando essa energia se esgota, tornamo-nos menos eficazes em tudo o que fazemos”, referiu John Trougakos.

O estudo levado a cabo pela Draugiem Group confirmou o que vários investigadores têm vindo a dizer nos últimos anos – que o cérebro do ser humano não foi desenhado para trabalhar oito horas por dia. Segundo Gliford, este estudo é importante para que as as chefias demonstrem aos funcionários que podem ir para casa, no final do dia, sem recearem que o facto de não trabalharem mais horas pareça desleixo ou falta de produtividade.

A Fast Company deixa quatro dicas para assegurar que está a fazer as pausas necessárias durante o dia, como agendar as pausas, colocar um temporizador para saber quando é hora de voltar ao trabalho, listar objetivos realísticos e priorizar as tarefas.