Curiosidade. É essa a palavra que a maioria alega para escrever “Jennifer Lawrence” no motor de busca com o objetivo de ver as fotografias roubadas da iCloud da atriz. Mas a partir de agora será mais provável apenas encontrarem fotografias de passadeiras vermelhas ou, pelo menos, fotografias onde a americana esteja vestida.

A Google foi obrigada pelos advogados de Jennifer Lawrence a remover dois links para as fotografias pirateadas. Os pedidos alegavam a lei dos direitos de autor dizendo que esses pertenciam à atriz. Normalmente esta legislação conhecida por Digital Millennium Copyright Act -DMCA – é usada em casos de pirataria de séries, filmes ou música.

Silberberg & Knupp, os advogados do caso, dizem que os hackers usurparam os direitos de Jennifer. A Google removeu, por isso, os sites do seu motor de busca não havendo ainda um novo link que dê acesso às páginas.

Já não é a primeira vez que a Google cede a pedidos de advogados de celebridades cujas fotografias privadas são divulgadas. Martin Singer, um conhecido advogado das estrelas, diz que vai processar a companhia por “comportamento pouco ético” com uma ação no valor de 100 milhões de dólares. Singer escreve com frequência para operadores de websites de maneira a que tirem as fotografias, segundo ele ilegais, das suas páginas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Já no início de outubro a Google tinha tirado “dezenas de milhares de fotografias e fechado centenas de páginas. A internet é usada para muitas coisas boas. Roubar as fotografias privadas das pessoas não é uma delas.”