A Avenida Eusébio da Silva Ferreira, troço da Segunda Circular que passa em frente ao Estádio da Luz, em Lisboa, foi inaugurada esta segunda-feira, em memória do antigo futebolista português, que faleceu há precisamente um ano.

A cerimónia, que decorreu no exterior do reduto benfiquista, contou com as presenças de amigos e familiares de Eusébio, bem como várias personalidades ligadas ao clube da Luz.

O referido troço da Segunda Circular, junto ao Estádio da Luz, passará a denominar-se Avenida Eusébio da Silva Ferreira e será, a partir de agora, a morada oficial dos “encarnados” e do recinto desportivo.

No dia em que termina o ano de luto decretado pelo Benfica, Luís Filipe Vieira frisou que a vida de Eusébio “foi inspiradora para milhões de pessoas” e que a inauguração da nova avenida “é uma justa homenagem da cidade de Lisboa a Eusébio, porque foi a sua cidade, a cidade que abraçou e na qual viveu com alegria e ajudou a projetar no mundo”.

“Quero agradecer ao presidente da Câmara Municipal de Lisboa [CML] esta cerimónia. Sei que Eusébio, onde estiver, estará feliz, mas quero assinalar a unanimidade que esta decisão teve em todas as forças políticas da autarquia de Lisboa, sinal da verdadeira dimensão da figura de Eusébio”, afirmou, durante a cerimónia.

De resto, o próprio presidente da CML, António Costa, salientou a “rapidez invulgar com que foi possível cumprir todo o processo, para que Eusébio passe a constar da toponímia da cidade de Lisboa”, o que, segundo o autarca, só foi possível por se tratar “de uma personalidade que gerou consenso na sociedade portuguesa”.

“A escolha deste local tem enorme simbolismo, pois está junto ao sítio onde tantas alegrias viveu e proporcionou, quer com a camisola do seu clube de sempre, quer com as quinas ao peito. A Avenida Eusébio da Silva Ferreira passa a ser a morada do Estádio da Luz e a morada da sede do Sport Lisboa e Benfica”, referiu António Costa.

Eusébio da Silva Ferreira, para muitos o melhor de sempre no futebol português, morreu na madrugada de 05 de janeiro de 2014, aos 71 anos, vítima de paragem cardiorrespiratória.