A construção de dois edifícios e das instalações de apoio para instalar as alunas no Colégio Militar a partir do ano letivo 2015/2016 vai custar mais de 4,5 milhões de euros, segundo dados do Exército. Estes dados foram divulgados nesta quinta-feira pelo Exército num ‘briefing’ no Colégio Militar com o ministro da Defesa, que visitou as obras iniciadas há poucas semanas e que vão permitir iniciar o regime de internato feminino.

Neste encontro com Aguiar-Branco, o major de engenharia Amaral Oliveira adiantou que a construção do primeiro edifício para as novas alunas e das instalações de apoio (atualmente com 6% de execução) deverá estar concluída em setembro deste ano e vai custar 2,276 milhões de euros. Já a segunda fase do projeto, que inclui a construção do segundo edifício, prevê um período de execução de 300 dias e um custo de 2,263 milhões de euros.

No total, as obras ascendem a 4,5 milhões de euros (4,539), ficando o colégio centenário do Largo da Luz com capacidade para receber 168 alunas em regime de internato. Na reunião com o ministro da Defesa, o chefe do Estado-Maior do Exército, general Carlos Jerónimo, afirmou ainda que será ainda construído um novo pavilhão gimnodesportivo, mas que estas obras “não estão orçamentadas”. “Devido ao aumento do número de alunos é necessário um novo pavilhão”, referiu o chefe militar. O general Carlos Jerónimo acrescentou que com “o acréscimo de alunos” o Colégio Militar vai precisar de 19 vigilantes.