Harper Lee é uma das autoras mais queridas dos leitores americanos. Muitos esperam desde 1960 – altura da publicação do famoso e aclamado romance sobre o racismo no sul dos EUA, assolados pela Grande Depressão, Mataram a Cotovia (Relógio d’Água) – por um segundo livro da escritora de quem apenas se conhecem mais alguns contos e poemas dispersos. Harper Lee, 88 anos, pensava ter perdido o manuscrito de Go Set a Watchman há décadas, mas uma amiga encontrou-o e Lee decidiu publicá-lo. O livro chegará às bancas em julho.

Go Set a Watchman foi escrito em meados da década de 50, antes de Mataram a Cotovia. Na verdade, o livro emblemático de Harper Lee foi pensado a partir deste manuscrito inédito. Quando uma editora leu as memórias de infância de Scout Finch em Go Set a Watchman, sugeriu à escritora que desenvolvesse o romance a partir da perspetiva de Scout, que acabaria por se tornar a heroína do clássico americano que vendeu mais de 40 milhões de cópias em todo o mundo. O segundo romance de Harper Lee conta com muitas das personagens do primeiro e passa-se na década de 50 (20 anos depois) na cidade fictícia de Maycomb, no Alabama, acompanhando a visita de Scout Finch, agora adulta, ao pai, Atticus.

“Era o meu primeiro livro e fiz como me disseram para fazer”, disse Harper Lee sobre o manuscrito, citada pelo New York Times. “Não sabia que tinha sobrevivido. Fiquei tão surpreendida e feliz quando a minha querida amiga e advogada Tonja Carter o descobriu. Depois de muito pensar e duvidar, dei-o a ler a algumas pessoas em quem confio e fiquei muito satisfeita quando me disseram que achavam que devia ser publicado. Sinto-me grata e maravilhada por saber que este livro será publicado depois de tantos anos”.

Mataram a Cotovia, no original To Kill a Mockingbird, deu origem a um filme, dirigido por Robert Mulligan e protagonizado por Gregory Peck, que ganhou três óscares e é por vezes considerado um dos melhores filmes da história do cinema.

A publicação do novo romance de Harper Lee ficará a cargo da Penguin Random House e estima-se que sejam impressas dois milhões de cópias.