Eric Fischer é um apaixonado por mapas. Gosta dos das cidades, do metro, dos antigos, dos atuais, dos do futuro. E trabalha naquilo de que gosta: faz mapas.

Depois de já ter publicado no Flickr um conjunto de mapas em que mostrava os locais onde as pessoas mais carregam fotografias para as redes sociais, o novo projeto de Eric tem como objetivo clarificar aqueles mapas. É que o “The Geotaggers World Atlas” mostrava todas as fotografias que eram postas na internet, enquanto em “Locals and Tourists”, a ideia é a de tentar perceber que sítios são mais fotografados por turistas e quais os preferidos pelos nativos de cada cidade.

A questão é, portanto, como identificar os turistas. O método de Eric foi o de analisar redes como o Flickr e o Picasa e perceber, através das fotografias publicadas, se os respetivos utilizadores publicaram imagens de um determinado local por um período superior a um mês ou se o tinham feito em menos de um mês. Daqui resultou: os pontos azuis são as fotografias de pessoas nativas e as vermelhas são as de turistas. E, porque este método é falível, os pontos amarelos são as pessoas que tanto podem ser turistas como locais.

Assim, em cidades como Las Vegas e Veneza, a mancha é sobretudo vermelha, enquanto em São Francisco, Dublin, Varsóvia e Nova Iorque têm também fortes áreas azuladas. Lisboa, que Eric também retratou, tem manchas avermelhadas no centro, onde contudo há muito amarelo. Na área de Belém e das Avenidas Novas há mais preponderância da cor azul. Pode ver os mapas na fotogaleria, no topo do artigo.