Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um artista visual sueco a viver em Berlim, que capta e retoca imagens por prazer e enquanto ganha-pão. Que encontra na fotografia uma forma de colecionar material para concretizar as ideias que ocupam espaço na sua mente. É mais ou menos assim que se descreve Erik Johansson nas diferentes redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram. Não capta momentos, mas antes ideias, e uma só uma imagem enquanto produto final pode derivar de centenas de fotografias diferentes.

Aos 30 anos Johansson já deixou a sua pegada artística na internet, por onde circulam algumas das suas criações que parecem retratar um qualquer universo fantástico e onde distintas realidades se sobrepõem. O artista cresceu numa quinta com os pais e duas irmãs mais novas e cedo encontrou no desenho um hábito frequente. Seguiram-se a fotografia e os computadores: fruto de uma relação a três — desenho, fotografia e computador — nasceram as imagens que tanto o caracterizam e que aqui pode ver em fotogaleria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR