A obra inédita da norte-americana Harper Lee “Go set a watchman”, no qual se encontram locais e figuras de “Mataram a cotovia”, é editada a 14 de julho nos países de língua inglesa e, segundo a editora portuguesa, “este livro deu origem a um dos leilões mais disputados entre casas editoriais dos mais diversos países em todo o mundo”. Segundo a mesma fonte, “a ação de ‘Go set a watchman’ decorre em meados da década de 1950 e apresenta muitas das personagens de ‘Mataram a cotovia’, vinte anos mais tarde”.

“Scout (Jean Louise Finch), agora uma jovem mulher, regressa a Maycomb, sua terra natal, vinda de Nova Iorque, para visitar o pai, Atticus, vê-se forçada a confrontar-se com assuntos pessoais e políticos e tenta compreender a atitude do pai em relação à sociedade, bem como os seus próprios sentimentos relativamente ao local onde nasceu e passou a infância”, adianta a apresentação da obra. O cenário é a pequena cidade do Estado do Alabama, sob as fortes tensões raciais dos anos 1950, que também serviria de cenário a “Mataram a cotovia”.

A escritora, citada pela Presença, reconheceu que, “em meados dos anos 1950”, escreveu um romance intitulado “Go set a watchman”.“Tinha como principal personagem uma mulher, ainda jovem, chamada Scout. Na época, o meu editor, entusiasmado com os ‘flashbacks’ da infância de Scout, convenceu-me a escrever um romance a partir da perspetiva de Scout ainda criança’”, afirma Harper Lee, num texto enviado à Lusa pela Editorial Presença.

“Eu estava a dar os primeiros passos como escritora e, por isso, fiz o que ele me disse. Não fazia ideia de que a obra tinha sobrevivido, julgava que o manuscrito se tinha perdido, pelo que fiquei muito surpreendida e encantada quando soube que a minha amiga e advogada Tonja Carter, o tinha descoberto no outono do ano passado”, conta a autora.

Depois da publicação de “Mataram a Cotovia”, em 1960, e que valeu a Harper Lee um Prémio Pullitzer, a escritora “pôs de parte o manuscrito de ‘Go set a watchman’ e nunca mais pensou nele, e foi até dado como perdido, mas, no outono do ano passado, Tonja Carter descobriu-o num lugar seguro, apenso ao original datilografado de ‘To kill a mockingbird’ (‘Mataram a Cotovia’)”.

“Depois de muito pensar sobre o assunto e de alguma hesitação, mostrei-o a algumas pessoas da minha confiança e senti uma grande satisfação por acharem que valeria a pena publicá-lo. Sinto-me orgulhosa e maravilhada por o livro ir ser publicado ao fim de todos estes anos”, remata Lee.

“Mataram a cotovia”, que foi publicado em Portugal em 1964, é um romance sobre racismo e preconceito, nos anos da Grande Depressão, nos Estados Unidos, na década de 1930. O livro conta a história de um advogado que defende um homem negro acusado de violar uma jovem branca.

A obra deu origem ao filme de Robert Mulligam, distribuído em Portugal com o título “Na Sombra e no Silêncio”, com Mary Badham no papel de Scout Finch, e Gregory Peck, como seu pai, o advogado Atticus Finch, desempenho que lhe garantiu o Óscar de melhor ator.

O grupo norte-americano HarperCollins chancela a edição original de “Go set a watchman” e, segundo o seu presidente, Michael Morrison, a obra é “brilhante” “É brilhante este livro! Adorei ‘Go set a watchman’, sei que esta obra-prima será admirada pelas gerações futuras”, afirmou Morrison.