Tinha 61 anos e faleceu na sequência de um acidente num avião privado em Santa Barbara, nos Estados Unidos da América, na segunda-feira. James Horner foi responsável pela banda sonora de mais de 100 filmes, onde se incluem êxitos de bilheteira como “Apollo 13” (1995), “Braveheart” (1995), “Titanic” (1997), “Uma Mente Brilhante” (2001) e “Avatar” (2009).

https://www.youtube.com/watch?v=VdoMajMVFQk

De acordo com a BBC, o impacto do acidente abriu uma cratera no solo e provocou um incêndio que teve de ser controlado pelos bombeiros. Sylvia Patrycja, assistente pessoal de James Horner escreveu no Facebook, na segunda-feira, que o mundo tinha perdido “uma pessoa maravilhosa, com um coração enorme e um talento inacreditável”.

“Ele morreu a fazer o que mais gostava. Obrigada por todo o apoio e amor. Vemo-nos por aí”, escreveu Sylvia Patrycja.

James Horner venceu dois Óscares pelo trabalho que desenvolveu para “Titanic”, em 1997 – um pela banda sonora num todo e outro pela música “My Heart Will Go On”, à qual Celine Dion cedeu a voz. Apaixonado por “contar histórias”, dizia que era o que fazia melhor e que o cinema lhe permitia fazê-lo, relembra o Huffington Post.

https://www.youtube.com/watch?v=8tuvz_9D7Ok

Crê-se que James Horner estava a voar sozinho na avioneta de dois lugares que estava registada em seu nome, a S312 Tucano, de acordo com a Variety. O The Guardian refere que Horner era um piloto experiente e que esta era apenas uma das avionetas que o compositor detinha.

James Horner foi nomeado pela primeira vez para um Óscar em 1986, com a banda sonora que compôs para “Alliens”. Foi este o início da relação com James Cameron, o realizador responsável por sucessos como o “Titanic” e “Avatar”, filmes em que o compositor também participou.

Em 2011, James Cameron disse ao Hollywood Reporter que tinha desafiado Horner a compor uma banda sonora emocionalmente poderosa com violinistas. E que recorrendo “a vozes assustadoras e a gaitas de foles célticas agridoces”, ele tinha reinventado a banda sonora romântica.

Nas redes sociais, as homenagens ao talento de James Horner já começaram, com o realizador Ron Howard (“Uma Mente Brilhante”) e o ator Russel Crowe a prestarem condolências à família.