Os rumores duravam há semanas mas a notícia só foi confirmada esta quarta-feira ao final da tarde, pelo vice-presidente da empresa, claro, através de um post no Facebook: o Messenger, serviço de mensagens da rede social, vai ter um assistente pessoal. Trata-se de um sistema (algoritmo) com objetivos semelhantes ao Google Now, Siri (Apple) e Cortana (Microsoft), programas que permitem auxiliar os utilizadores na execução de tarefas, tais como, descobrir um restaurante, uma loja, um local, um contacto, enviar uma mensagem, etc. (um longo etc.).

Mas de acordo com a mensagem de Dave Marcus, o M é um sistema de Inteligência Artificial (IA) que será supervisionado por pessoas (fica por esclarecer, para já, como), ao contrário do que acontece com os assistentes da concorrência. E mais: o sistema é ativo na medida em que consegue concretizar alguns objetivos de busca. Por exemplo, não só encontra um restaurante ou uma loja mas também é capaz de efetuar uma reserva ou fazer uma compra.

Para já o M está disponível para um número muito reduzido de utilizadores, baseia-se apenas em texto escrito e, de acordo com a Wired, liga-se e desliga-se carregando num botão na aplicação móvel do Messenger. Nos próximos dias deverão começar a surgir as primeiras impressões sobre o novo assistente pessoal do Facebook, para já uma gota de água nos 700 milhões de utilizadores do segundo serviço de mensagens mais popular — menos 100 milhões que o Whatsapp, também propriedade do Facebook.