A leiloeira Christie’s leva esta segunda-feira à praça um conjunto de 34 obras de arte da qual constam algumas peças notáveis da História dos nus na arte. No lote, que se chama “Uma musa de artista”, podem encontrar-se quadros e esculturas de Modigliani, Picasso, Gauguin, Cézanne, Courbet, Miró, Lucian Freud e Roy Lichtenstein, entre outros.

Grande parte das obras são representações de nus, mas destacam-se três quadros do conjunto: o “Nu deitado”, de Modigliani; o “Mulher nua deitada”, de Courbet; e o “Retrato nu num sofá vermelho”, de Freud. A peça de Modigliani, pintada entre 1917 e 1918 (em plena Primeira Guerra), é mesmo uma das estrelas do leilão, podendo atingir um valor de venda próximo dos 100 milhões de dólares. Numa altura em que o mundo, mas sobretudo a Europa, se debatiam com o cinzentismo e o caráter trágico da guerra, o pintor italiano colocou em tela um cenário rico em cor e em sensualidade, fazendo assim um elogio à vida e à vontade de a viver.

Mais barato, o quadro de Courbet, executado em 1862, deverá ser vendido por um preço entre os 15 e os 25 milhões de dólares. A peça tornou-se célebre logo no momento em que foi mostrada ao público, uma vez que foi retirada da parede poucos minutos depois de ter sido pendurada no Salão de Paris. À época, o quadro, que é um dos expoentes do realismo pictórico, causou escândalo por romper de forma tão evidente com os convencionalismos estabelecidos. Ao contrário da pintura clássica, Courbet coloca grande ênfase no sentimento de presença, procurando dar a quem olha a sensação de movimento e da imperfeição — tal como são as mulheres reais.

Já o quadro de Freud, “Retrato nu num sofá vermelho”, pintado nos anos 1980, poderá ser vendido por um preço entre os 20 e os 30 milhões de dólares. Trata-se de uma peça que faz parte de um conjunto de obras pintadas por Freud nas quais figuram as suas filhas. Aqui, Bella, à data com 21 anos, com quem Lucian terá tido uma breve relação. As parecenças com o quadro de Courbet são evidentes e Freud não as negou: também aqui o corpo serve como espelho e afirmação da individualidade.

Também do lote que vai a leilão fazem parte obras como “Jovem com flor”, de Gauguin, “Monte Carlo Bond”, de Marcel Duchamp, “Enfermeira”, de Roy Lichtenstein, e “O pintor e o seu modelo”, de Picasso.