Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É certo que Star Wars: O Despertar da Força não é unânime. Mas uma viagem rápida pela imprensa internacional mostra que há muito mais rendidos que o contrário. Embora haja críticas duras, com a da Forbes, a apontar defeitos ao argumento do filme, também há rasgados elogios. O Le Fígaro refere-se à película como “um conto de fadas galáctico”, o El Mundo diz ajoelhar-se ao trabalho de J.J. Abrams. Em jeito de síntese, deixamos ficar 10 críticas de publicações espanholas, francesas e norte-americanas.

The Guardian
Não há dúvidas sobre o que pensa o crítico Peter Bradshaw. Não só pelas cinco estrelas que aparecem no monitor, mas também pelo título: “Um regresso a casa espetacular”. O elogio não é apenas ao cuidado em preservar a estética dos primeiros três filmes, mas também ao desempenho de alguns atores e ao regresso de personagens icónicas — Luke Skywalker, Han Solo e Princesa Leia. “São poucos os filmes que me deixam facialmente exausto depois 135 minutos a sorrir, mas este é um [deles]. E quando Han Solo e Chewie apareceram, tive um sentimento em relação ao cinema que não tinha desde os meus 16 anos: não sabia se havia de chorar ou de aplaudir.”

star-wars-rey

The Independet
Também o título é revelador, com o crítico Christopher Hooton a garantir que esta é a sequela “pela qual estávamos à espera”. Hooton afirma, preto no branco, que o filme é bom e que corresponderá às expetativas dos fãs — a película O Despertar da Força transmite o estilo e a composição da primeira trilogia, sendo que o regresso de todas as personagens do passado tem razão de ser. E sim, pelo meio “há momentos muito dramáticos”, embora o filme chegue ao fim com muitas questões por responder. O ponto negativo remete para o uso de piadas antigas e referências à trilogia de outros tempos, até porque o “enredo é muito semelhante”.

Forbes
A Forbes é mais parca em elogios. Se por um lado escreve que o filme oferece efeitos visuais de encher o olho e personagens cativantes, por outro sugere que o argumento imita a trilogia original, além de apostar num overload de cenas de ação e de regressos que apelam à nostalgia de qualquer fã.

star-wars-han
El País
O jornal considera a estética de J.J. Abrmas “deslumbrante” e a banda sonora escolhida a dedo por John Williams “extraordinária”. Apesar disso, o crítico Carlos Boyero escreve que se divertiu “moderadamente” com o filme e que desejaria que este fosse um pouco mais curto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

El Mundo
“Poucas películas pedem tanto silêncio como o Star Wars: O Despertar da Força”, começa por dizer Luis Martínez, para quem o resultado final é “uma peça de entretenimento limpa, perfeita e descomunal”, da qual é “impossível escapar”. E como termina ele? “[Estou] a seus pés, senhor Abrams.”

star-wars-leia

The New York Times
O gigante da imprensa internacional é bastante generoso com o filme, o qual afirma ter emoção e um toque de humanidade. “A grande notícia sobre o Star Wars: O Despertar da Força é que — spoiler alert — é bom!” Toda a crítica parece ser um rasgado elogio ao trabalho de Abrams que, sendo “super fã”, teve a “ideia inteligente” de livrar-se do excesso.

Entertainment Weekly
Diz a publicação, nas palavras de Chris Nashawaty, que o filme traz ao grande ecrã exatamente aquilo que os fãs querem, isto é, “uma aventura muito divertida envolta em mitologia épica”, mas também um “suspense final” que abre caminho para os dois filmes que vão completar esta trilogia.

star-wars-finn

Rolling Stone
Uma aventura maravilhosa que vai deixar os fãs surpreendidos, assustados e eufóricos — a lista de ingredientes perfeita para a criança que está dentro de nós. É esta a crítica da Rolling Stone.

L’Obs
A revista francesa escreve que o filme em questão “tem potencial para se impor como o melhor Star Wars da saga”. A publicação considera a película como uma “mistura perfeita entre o ritmo de A Vingança dos Sith e a descoberta de Uma Nova Esperança. Uma mistura capaz de exceder o sucesso que foi O Império Contra-ataca. ”

Le Fígaro
“Um conto de fadas galáctico”, diz o jornal francês, que argumenta que J.J. Abrams e Lawrence Kasdan “tiveram a boa ideia de montar uma história totalmente inédita e repleta de reviravoltas”.